19.11.09

Movimentações políticas se intensificam no DF

Os eleitores devem ter reparado o quanto a pirotecnia do governo Arruda tem aumentado ainda mais de uns meses pra cá. A impressão que passa é a de que ele não está contente com o que as pesquisas lhe dizem.

Com toda a máquina, com toda a propaganda, como a campanha anunciada ele ainda tem menos intenção de votos nas pesquisas, mesmo nas menos confiáveis, do que teve em 2006.


Acerto petista

O Partido dos Trabalhadores parecia irremediavelmente rachado. Com dois pré-candidatos a governador e 12 candidatos a presidente regional do partido, mas os recentes acordos fechados mudaram este cenário.

O candidato Roberto Policarpo, da Articulação - Unidade na Luta, conseguiu aglutinar o apoio de outros seis candidatos: Wilmar Lacerda, da Construindo um Nova Brasília, Dirsomar Chaves, do Movimento PT, Hélio José, do Base Petista e Socialista, Abimael Nunes, do MAS PT, Marcius Siddarta, do O Trabalho, Jamil Mustafá, da Alternativa Militante. Policarpo já contava com o apoio do deputado distrital Chico Leite.

Ainda seguem na disputa: José Ricardo, da Articulação de Esquerda, Chico Machado, do Movimento de Reafirmação do Socialismo, Carlos Roberto, do Socialistas no Movimento Popular, Gustavo Balduíno, do Partido Ético e Democrático e Antônio Sabino, do No Movimento Popular.

Os acordos já fechados podem destravar o impasse em torno com da candidatura a governador com o consenso em torno do nome de Agnelo Queiroz e o deputado federal Geraldo Magela se lançando a senador ou à reeleição.

Esse rearranjo é condição sine qua non para o partido entra na disputa pelo Palácio do Buriti com chances reais de vencer. E as chances jamais foram tão grandes. Nunca um pré-candidato petista largou nessa disputa partindo do patamar que Agnelo já parte, a exceção de Cristovam Buarque quando foi candidato a reeleição.

O acerto, é claro, não agrada a todos. As pré-candidaturas proporcionais, para deputado, começaram a ser discutidas e bem planejadas. Nomes experientes como Chico Vigilante, Wasny de Roure e Arlete Sampaio devem concorrer a distrital e isto vem deixando alguns outros pré-candidatos um tanto quanto irritados.


"Na próxima eu te apoio, eu juro, dessa vez é sério"

O neo-Democratas parece ter chegado a um novo acordo. Assim como há quatro anos Arruda conseguiu convencer Paulo Octávio a ser seu vice.

Já disse aqui e repito: PO não tem coragem de peitar Arruda, e além do mais as obras de outras ações do governo estão fazendo ele lucrar o suficiente pra ficar calado.



PMDB, a noiva

É incrível, ninguém gosta, mas todo mundo quer o PMDB. Como também já disse aqui, as chances do PMDB fechar com o PT no DF são maiores do que parecem.

O presidente do PMDB-DF, deputado Tadeu Filipelli, é mantido politicamente pelo presidente nacional, deputado Michel Temer, e se for pra esse ser vice de Dilma, Filipelli terá de assegurar o acordo aqui.

O PMDB fechar acordo com o ex-governador Joaquim Roriz é a possibilidade mais remota.

Agora, pra quem o PMDB fará campanha? Cada um pra quem lhe interessar.

Nenhum comentário: