Governo do Maranhão decide entregar UPA à Prefeitura de Chapadinha


O governo do Maranhão já comunicou oficialmente à Prefeitura de Chapadinha a decisão de entregar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para a gestão municipal a partir do dia 1º de janeiro de 2019.

Em ofício dirigido ao prefeito Magno Bacelar, o secretário estadual de Saúde Carlos Lula justifica a decisão como consequência da inauguração do Hospital Regional de Chapadinha, ocorrida no dia 11 de agosto de 2018, e se compromete em repassar R$ 200 mil para ajudar a manutenção da unidade.

A UPA de Chapadinha tem classificação de porte 2 e foi construída com R$ 3,1 milhões do governo federal, mas não abriu as portas até o dia 29 de março de 2017 porque o município não tinha condições de manter o custeio da unidade. Foi quando intervenção do deputado estadual Levi Pontes convenceu o governo do Maranhão a assumir a administração da UPA e investir mais R$ 1 milhão por mês para que a população recebesse o serviço de pronto atendimento.

Ouvida pelo Blog, a secretária municipal de Saúde Mônica Pontes demonstrou preocupação ao se referir à situação como “muito delicada” e afirmou que tendo estudado com sua equipe a reorganização da UPA a partir do ano que vem.

Chapadinha receberá R$ 1,3 milhão adicional nesta sexta-feira



O repasse adicional de 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de dezembro deve ser depositado até às 18h desta sexta-feira, 07 de dezembro, nas contas das prefeituras de todo o país. A previsão da Confederação Nacional de Municípios (CNM) é de que o montante recebido por Chapadinha seja de mais de um milhão e trezentos mil reais (R$ 1.336.620,37 em número exatos). O valor é 6,67% maior do que o recebido pela prefeitura no mesmo adicional de 2017.

O montante não interfere na parcela regular a ser transferida no dia 10 e deve ajudar a administração a manter os salários dos servidores em dia. Sobre este valor não incide retenção automática para o Fundeb, sendo de livre utilização do gestor, nos termos da lei.

No acumulado de janeiro até novembro de 2018 o FPM de Chapadinha recebeu R$ 28,2 milhões (R$ 28.284.492,47). Um valor 6,2% maior do que no mesmo período do ano passado.

Com informações do Portal CNM

Médicos começam a se apresentar para substituir os cubanos em Chapadinha



Segundo a Secretaria de Saúde de Chapadinha (Semus), seis médicos já se apresentaram para substituir os 16 médicos cubanos que deixaram o município após recente decisão do presidente eleito Jair Bolsonaro de descontinuar a parceria do Brasil com Cuba no âmbito do programa Mais Médicos.

Os demais médicos têm até o dia 14 de dezembro para se apresentar à Semus, data na qual o órgão definirá o local de trabalho de cada um deles. Os médicos que se apresentarem antes deverão ter a preferência na escolha.

Os médicos assinarão contrato de 36 meses, receberão do governo federal o valor mensal de R$ 10.513,01 e deverão cumprir jornada de 40 horas semanais nos postos de saúde para onde foram designados.

Neto Pontes: "Dr Magno, preste atenção que o dinheiro é do povo"


O vereador Neto Pontes (SD) não economizou nas críticas ao governo municipal durante a sessão ordinária de hoje (27) da Câmara Municipal.

Segundo o parlamentar, o prefeito Magno Bacelar, que está em Brasília, tem se omitido das suas responsabilidades e a população cada vez mais tem feito o que seria obrigação do poder público. Um dos exemplos lembrados foi o conjunto de quebra-molas construído na avenida Ataliba Vieira de Almeida por meio da contribuição de comerciantes da região. “Chapadinha está quase virando um presépio de tanto a população fazer ‘vaquinhas’ para resolver problemas que a Prefeitura deveria estar resolvendo”, afirmou o parlamentar.

Lamentando ter feito parte da eleição do prefeito municipal, o vereador reclamou ainda da demora em entregar a reforma da rodoviária municipal, em obra há 277 dias, quando o prazo legal era de 90 dias, e o uso de madeira de péssima qualidade em reparos paliativos na ponte da Mangabeira. “Eu trabalho com madeira na Gincol e posso afirmar que aquela madeira usada ali apodrece na primeira chuva”, alertou.

O discurso se encerrou com um alerta: "Quero dar um recado para o prefeito: Olhe o que o senhor está fazendo, Dr Magno, porque o dinheiro é do povo!".


Iluminação pública

A vereadora Nildinha Teles (PRB) apresentou requerimento pedindo a melhoria da iluminação pública na rua Benjamin Ferreira. O pedido foi aprovado por unanimidade e fez o vereador Marcelo Menezes (PRP) sugerir uma reunião de todos os parlamentares com o prefeito para tratar da iluminação em todo o município.

Sem diálogo

A vereadora Marcely Gomes (PP) afirmou que o diálogo entre os poderes deveria partir do Executivo. “O governo deveria procurar esta Casa para dizer a verdade sobre quando vai iluminar as ruas ou se vai deixar no escuro e o porquê, mas só reagem depois que o problema já existe”, lamentou a mesma.

Obras parlamentares

O vereador Netinho Gedeão (PV) lamentou não poder fazer mais pela infraestrutura do município. “O certo é que todo vereador tivesse uma verba para destinar para estas melhorias, mas não tem nenhum bairro que não tenha recebido uma ajuda minha nestes quase dos anos de mandato”, lembrou.

Asfalto para Novo Castelo e Recanto dos Pássaros

A presidente da Câmara, vereadora Professora Vera (PTB), registrou encontro que teve com o secretário estadual de Articulação Política, deputado eleito Márcio Jerry, em busca de asfalto para os bairros onde ela mais recebeu votos nas eleições de 2016. Ele afirmou que não descansará enquanto não conseguir.

Educação na mira da oposição

O vereador Alberto Carlos (PR) criticou a justificativa apresentada pela secretária de Educação para atrasar o pagamento dos servidores contratados da pasta. “Culpar o 13º dos efetivos não tem sentido porque todos os anos esse pagamento tem que acontecer, o atraso aconteceu por falta de planejamento da gestão”, afirmou.

O líder da oposição ainda criticou a diferença entre os calendários letivos da zona urbana e da zona rural e rejeitou de público a proposta que teria sido apresentada pelo líder do governo de votar em conjunto as três contas de gestão do prefeito Magno Bacelar que estão na Casa.

As críticas da oposição, contudo, pareceram pequenas diante o quanto o governo tem apanhado daqueles que seriam da base aliada da gestão na Câmara.

Câmara de Chapadinha homenageia 16 médicos cubanos que deixam o município


O clima de emoção apareceu em vários dos discursos feitos na tarde desta sexta-feira (23) no plenário João Batista Barros. Vários do médicos cubanos estiveram presentes na sessão solene realizada pela Câmara Municipal, por iniciativa do vereador Luís Barbeiro, em homenagem e agradecimento pelo serviço que eles prestaram em Chapadinha.

A secretária de Saúde Mônica Pontes representou o prefeito na cerimônia e esteve acompanhada da coordenadora do programa no município, Marjorie Mesquita, e do membro do Conselho Municipal de Saúde Reginaldo Correia. Além deles, os vereadores Marcely Gomes, Netinho Gedeão, Alberto Carlos e Marcelo Menezes se somaram aos elogios feitos aos profissionais que já foram desligados dos postos de saúde, assim como os ex-vereadores Emerson Aguiar e Luiz Eduardo Braga, editor deste blog.

Segundo a coordenadora do programa, Chapadinha tem a confirmação de dois médicos que tenham se inscrito para preencher as 16 vagas abertas com as saídas dos cubanos. Após a conclusão do prazo do edital pelo qual eles estão se inscrevendo eles deverão se apresentar à gestão municipal, que definirá os postos de trabalho de cada um deles.


Disputa interna

Sem perder o foco da homenagem, alguns vereadores criticaram pontualmente nas suas falas a presidente da Casa, vereadora Professora Vera, porque esperavam que sessão solene fosse transmitida pela rádio Câmara.

A presidente não estava presente na sessão, mas em contato com o blog explicou que cedeu o espaço do plenário para a realização da homenagem, mesmo sem ter sido formalizado via ofício, mas que não poderia permitir a transmissão na rádio. "Há um regulamento, com cronograma pré-definido, estipulando o que pode e quando pode ser transmitido. Eu não vou fazer nada de errado para depois a rádio ser fechada", esclareceu.