23.1.13

Polarização quebrada


Lideranças sem rédeas
Quando voltei para Chapadinha, iniciei minha atuação política no município com o texto “Quebrando a polarização”, defendendo a possibilidade de se construir, já nas eleições de 2012, uma candidatura competitiva fora da lógica bipolarizada entre as lideranças dos ex-prefeitos Isaías Fortes e Magno Bacelar. Outros possíveis candidatos refugaram e a agora prefeita preferiu ser candidata com o apoio de um grupo já consolidado.

O final da história todo mundo conhece. Desejando mudança e sem outra opção, o povo elegeu Ducilene Pontes pela sua credibilidade, sua fortuna, a liderança política de Isaías e os tolos erros cometidos pelos seus adversários. 

Passada a eleição, passou a polarização. Sem menosprezar as lideranças de Magno Bacelar e Isaías Fortes (nenhum dos dois está morto, pode ter certeza), o quadro político de Chapadinha não está mais preso a essa dicotomia. 

A derrota acachapante de Magno Bacelar, seguida pelo seu afastamento da cidade, e o estremecimento das relações entre a nova prefeita e o líder político do seu grupo, abrem o campo para o crescimento de  novas lideranças e novas opções.

Neste contexto, a de se destacar a vitória do vereador Nonato Baleco para a presidência da Câmara alçando-o à condição de liderança ascendente, os resistentes votos de Vagner Pessoa, a reafirmada imprevisibilidade do PT e, de forma geral, os avanços da sociedade chapadinhense cada vez mais crítica com suas novas faculdades, escolas, movimentos sociais borbulhando com novos debates e idéias.

O tabuleiro político ficou mais complexo, forças políticas se reorganizam e reveem velhas alianças. Todos os movimentos têm que ser acompanhados e estudadas todas sua consequências futuras. Não é hora de açodamento, de ir com muita sede ao pote. Antes de 2014 ainda tem quase todo um 2013.

O governo que se inicia pode até não ser a mudança que prometeu durante a campanha eleitoral, ainda não se sabe, mas a mudança política será irremediavelmente a tônica da nossa cidade nos próximos anos. Não percamos essa oportunidade.

Nenhum comentário: