30.5.11

Carta à Juventude e ao PT

Valdemir Pascoal

É com muito orgulho que, hoje, escrevo este texto. Não é sempre que um jovem, vindo da periferia de Cuiabá, passando por todas as dificuldades que passei na vida, chega até onde cheguei: Secretário Nacional da Juventude do PT.

Sempre que ouço os discursos de nosso eterno presidente Lula, falando da dificuldade de sua vida e a de muitos brasileiros, sinto como se ele estivesse se referindo a mim e a história de minha família. Minha mãe, militante histórica do PT do Mato Grosso, também sente isso. E nos orgulhamos muito.

E isso tudo me dá claros sinais. Sinais de que esta oportunidade que o destino me dá não pode ser jogada fora. Sinais de que a Juventude do PT ansiou por mudanças, como as que ocorrem no Brasil. Sinais de que os avanços na discussão do “tema juventude” não podem parar. E não vão, no que depender deste companheiro.

Os que me conhecem sabem que sou uma pessoa de compromisso e muito trabalho. São essas duas características de minha personalidade que ofereço ao PT e ao Brasil. Assumo desde já o compromisso de realizar uma gestão que inclua todas as representações internas e de segmentos sociais que compõem nossa Direção. A Juventude do PT só pode ser chamada assim se de fato os jovens do PT a compuserem. É tarefa nossa romper a barreira entre dirigentes da juventude e a base desta, e dialogar amplamente com todos os jovens, nos quatro cantos do país.

Assumo ainda mais compromissos. Vamos, junto com a Direção da JPT nas agendas internas e externas que teremos, aumentar nossa participação numérica e politicamente em todas elas.  A JPT precisa e deve estar inserida no movimento social e, acreditem, estaremos.

O I Congresso da Juventude do PT representou um avanço imensurável na organização da JPT nos estados e municípios. Portanto, nosso maior desafio, sem dúvida, é organizar um II Congresso maior e melhor, ou seja, menos eleitoral e mais politizado, e que possibilite a manifestação de toda a diversidade dos delegados vindos dos 26 estados, mais o Distrito Federal. O II Congresso deve ser também um encontro do Brasil Petista, de troca de experiências e realidades, onde todos e todas saiam ganhando.

Por fim, esta frase do Presidente Lula, escrita em 28 de outubro de 2002, sintetiza meus pensamentos e sentimentos: “Meu coração bate forte. Sei que estou sintonizado com a esperança de milhões e milhões de outros corações. Estou otimista. Sinto que um novo Brasil está nascendo.”

Um forte abraço a todos que sonham. É com eles que iremos caminhar em nossa gestão.


Valdemir Paschoal é secretário nacional da Juventude do PT

Nenhum comentário: