17.5.11

Blogueiro entrevista o vice-governador



A "real polítik” tem destas coisas. Eleito vice-governador na chapa PT/PMDB Wasghinton Oliveira agora amarga ter que enfrentar os piores indicadores sociais do país. Sem o apoio do PT de Imperatriz, que diz não o querer ver nem “pintando de ouro”, Oliveira segue a orientação do campo majoritário que é de coligar com o PMDB. 
Cada um sabe a dor e a delicia de ser o que é. Cada um escolhe suas causas e assume seus valores. No MA o PT esta todo articulado ao sarneysmo, e uma frente começa a ser organizada pelo PSB, PCdoB e PDT, contra a hegemonia PT/PMDB.
Ontem, já bem tarde da noite, por volta das 00:03, através do facebook , fiz esta breve entrevista com o Vice-governador:


Vice-governador boa noite:
O que o senhor achou dos dados do IBGE sobre a questão da miséria? 25 7% da população maranhense vivem com menos de 70 reais.
O Maranhão é um dos estados mais ricos da federação. Esta riqueza está concentrada e o desafio é ter um programa desenvolvimentista com distribuição de rendas.
A burguesia é uma só no mundo e quer lucro em qualquer parte. A partir de 2002 iniciou-se no Brasil um projeto nacional que busca enfrentar o problema da desigualdade social e regional e o Maranhão estava desconectado disso. É preciso discutir como enfrentar o problema com um programa massivo de qualificação profissional, além disso, investir em educação. Investir na agricultura familiar e na pequena e média empresa

Outra questão: as eleições ano que vem apontam para dobradinha PT e PMDB, em sua opinião com fica o caso de Imperatriz que tem o PT ferrenhamente na oposição?
Vamos fazer alianças com o PMDB onde estas alianças ajudarem no projeto de governo do partido. Os filiados do PT em Imperatriz decidirão o que é melhor para Imperatriz e para o PT.
Quando falo em projeto de governo falo neste projeto desenvolvimentista e distribuidor de rendas.

Então O senhor acha que não corre risco de intervenção por aqui? Digo isso pelo fato deles (PT) estarem numa posição muito delicada com o campo majoritário... 
O PT não tem essa cultura intervencionista. Quem erra presta conta perante o povo. E os exemplos estão aí pra se ver.

A que o senhor credita essa rejeição do PT de Imperatriz ao senhor e a governadora? 
O PT fez uma aliança com PMDB tanto para presidência como para o governo do estado. Em muitos diretórios municipais a maioria apoiou a aliança seguindo decisão política do partido. Em ITZ que eu saiba o Diretório Municipal apoiou Flavio Dino. Alguns filiados, no entanto votaram conosco.
Não sei se dar pra você entender corretamente o que eu quis dizer OK?

Dá sim, sou acostumado com o este tipo de texto das redes sociais. Quero lhe lembrar que publicarei isso no blog.
Certo. É que não gosto de dar declarações confusas. Sem problema acompanho sempre seu blog.

Há uma forte tendência de o prefeito daqui buscar apoio no grupo político da governadora; ele é do PSDB, como o senhor avalia essa outra situação de Imperatriz?
O PT tem bons nomes em Imperatriz acho que devem sair com candidatura própria

Eu queria insistir nesse ponto: Madeira PSDB, apoiado por setores do governo PMDB/PT? O senhor não acha que o PT tem tido bastante a mera posição de vice em candidaturas historicamente de direita no MA?
Eu acho que o PT em Imperatriz deve sair com candidatura própria pelo que eu soube já tem até três pré-candidatos. Você acha mesmo que eu sou um mero Vice?

Acho que o Vice-governador Wasghinton, não só um "mero vice", mas nos dois sabemos que esta aliança PT/PMDB no MA tem favorecido mais o PMDB (direita). O senhor se considera politicamente, de esquerda ou de centro?
Sou militante desde os dezessete anos fui preso pela ditadura militar e vivi oito anos na clandestinidade, porque seria de centro se continuo na mesma militância lutando por um país democrático e socialmente justo?
Só tive dois partidos em minha vida o PCdoB que militei vinte anos e o PT já a quase trinta aliás mais de vinte, entrei no PT em 88 ou 89.

Nenhum comentário: