25.2.11

A quem interessa o enfraquecimento do PT?

Raimundo Monteiro
Do Blog do Robert Lobato

Um espectro ronda a política do Maranhão: o espectro do petismo. Há algo de estranho no ar em relação à tentativa de linchamento moral do presidente estadual do PT, Raimundo Monteiro.

Estranho que, exatamente quando o PT maranhense atravessa um momento de possibilidades reais de se firmar enquanto partido que está e quer disputar poder, surjam acusações contra o seu principal o dirigente.

Divulga-se tudo sobre essa operação da Polícia Federal em relação ao Incra, menos que foi exatamente o ex-superintendente Raimundo Monteiro quem primeiro solicitou à PF que ela fosse efetivada. Mais: o PT apoia a operação e exige que os culpados sejam punidos. Mas isso parece ter importância para quem aposta na “prisão” do presidente do partido como forma de enfraquecer o PT para as disputas eleitorais futuras.

Mas quebrarão a cara quem jogar todas as suas fichas nesse jogo de intimidação que visa fragilizar o partido da presidente Dilma, aqui no Maranhão.

O PT sabe o que quer e onde deseja chegar. Conta com um vice-governador que tem uma biografia marcada por muitas lutas, goza do apoio da governadora Rosena Sarney, além de ser um dos principais interlocutores do governo federal e do diretório nacional do partido, no Maranhão.

Nesse sentido, um PT fragilizado só interessa àqueles que não desejam que o partido cresça no estado, que não querem que ele seja um dos protagonistas na constração de um novo projeto de sociedade para o Maranhão, que não seja um instrumento estratégico para colocar o estado em outro patamar de desenvolvimento socioeconômico através do governo que participa. Ao que tudo indica, tudo o que estamos vendo neste momento parece está ligado a 2014, o que é uma verdadeira precipitação.

Um comentário:

Anônimo disse...

Concordo plenamente. Vejo que o PT tem sido objeto de acusações sistemáticas desde que começou ascensão no Maranhão, acusações de toda ordem que querem denegrir a imagem do partido e de companheiros. Acredito no companheiro Monteiro, não podemos permitir que se embarquem numa trajetória que "transforma as pessoas em párias antes do julgamento". A pessoa, até ser provada a sua culpa, é inocente. O companheiro está sendo acusado, mas não têm uma culpa formada. Quem o conhece Monteiro sabe da sua integridade, ética e honestidade. É um homem humilde e comprometido com as causas sociais. Merece todo o nosso apoio, confiança e credibilidade. Portanto, ninguém tem o direito de apontar dedo e tomar uma atitude farisaica. É preciso avaliar o que tem de verdade e se houver erro, corrigir". Nenhum petista tem que ter vergonha de defender um companheiro. O PT tem compromisso com a democracia, não apenas formal, mas econômica, social e cultural para que possamos incluir e fazer uma nação digna. É assim, que vamos construir novas vitórias e novos caminhos para o PT. Mas ninguém tem mais autoridade moral e ética" do que o partido. "O PT não pode se acovardar nesse debate.
Márcio Bezerra (PT - TIMON)