26.12.10

PT do Maranhão dá guinada à moderação

Da coluna Estado Maior:
De todas as novidades que circularam nos bastidores da política maranhense nas últimas semanas, nenhuma surpreendeu mais da revelação que o braço maranhense do PT poderá ser turbinado com a filiação de um grupo expressivo, formado por empresários, intelectuais e profissionais liberais.
A ação partidária é da ala “Sempre PT”, criada há algumas semanas, mas cujos integrantes contribuíram para a aliança do partido com o PMDB no Maranhão e que colocou a legenda no poder com a eleição de Washington Oliveira para vice-governador.
A informação sobre as filiações não é recente, mas em meio às tensões pré e pós-eleitorais, o que circulava sobre o assunto era inconsistente e poucos levavam a sério. Agora a situação é diferente, e a informação de Robert Lobato,
um dos articuladores do movimento, dá como certo e iminente um pacote de filiações que poderão tornar o PT maranhense ideologicamente mais arejado.
Será como uma espécie de flexibilização doutrinária destinada a livrar o PT maranhense do ranço de esquerda intolerante. Não se trata de uma tentativa de tirar o PT do campo esquerdista, porque é essa a natureza do partido.
Mas ideologicamente a esquerda tem vários tons, e o tom do PT é predominante o de um esquerdismo moderado, muito próximo de uma social-democracia avançada.
É nessas águas ideológicas e doutrinárias que navegam os líderes mais importantes do petismo, a começar pelo presidente Lula, que tem Washington Oliveira e Raimundo Monteiro como porta-vozes no Maranhão.
Os líderes da corrente “Sempre PT” haviam agendado as filiações para dezembro, mas uma série de empecilhos fez com que elas fossem transferidas para depois da posse do novo governo.
Resta aguardar para se conhecer os futuros petistas.

Um comentário:

Anônimo disse...

Seria mais coerente afirmar que um grupo de fut's estão penetrando sem compromisso com as ideologias partidária, simplesmente para dar força a esta cambada de aproveitadores estrangeiros como o vice q nem é maranhense. E, tornar o PT submisso aos interesse do grupo Sarney.