19.11.09

Main de Dieu


O lance do atacante Thierry Henry, um dos melhores que eu já vi jogar, ajeitando a bola com a mão antes de cruzar para o zegueiro Gallas marcar o gol da classificação francesa para a Copa do Mundo foi polêmico, e mais polêmica foi a declaração dele sobre o lance: "Não sou eu o árbitro".

O árbitro da partida não viu a mão boba, estava com a visão do lance encoberto. A não ser que o acusem de mau posicionamento, não dá pra culpá-lo por não ter marcado a falta.

Henry, portanto, deveria ter se acusado?

Sinceramente, isto é do futebol.

Não é da vida, não é da política, não é nem exemplo pra ninguém, mas é do futebol.

Na pelada, "pediu pra parar, parou". No futebol, o juiz apitou para o lance, não apitou segue o jogo.

Se houvesse o recurso tecnológico para o árbitro rever os lances mais complicados como este, a França não iria pra Copa, mas o não uso destas tecnologias é uma opção feita pela Fifa.

A não ser quanto é uma questão de direito, não creio que o jogador deva ser obrigado a se acusar.

Nenhum comentário: