4.3.16

Pessoas podem ser presas, expostas, constrangidas, perseguidas, mas as idéias são mais difíceis de se combater

Que a intenção da "República de Curitiba" e sua operação Lava Jato era chegar a Lula não havia dúvida, mas há de se reconhecer os méritos de como chegaram a ele.

Não poderiam simplesmente ter mandado prender Lula há dois anos. A operação foi prendendo vários, investigando muitas vezes assunto de relevante interesse público, botando gente graúda atrás da grades, mesmo que alguma reputações tivessem que ser destruídas para construir esse caminho.

Zé Dirceu, o suspeito-geral da União, foi logo e já aumentou a credibilidade da operação. Empreiteiros, doleiros, um banqueiro, um senador, o marqueteiro. Como não aplaudir quem está colocando esse povo atrás das grades depois de tantos escândalos que não deram em nada, como o caso Banestado julgado pelo mesmo Sérgio Moro?

Moro virou herói nacional. Um versão reduzida de Joaquim Barbosa. Dois Capitães Nascimento que usam o Judiciário como o personagem usava seu BOPE.

A antes inimaginável prisão de Lula, se tornou questão de tempo. E não adianta dizer que é só condução coercitiva, para a construção da imagem que querem, Lula foi preso e ponto. Pouco depois de se lançar candidato a presidente em 2018, pouco depois de dizer que acabara o "Lulinha paz e amor", muito depois de deixar outros pelo caminho.

Lula entregou a cabeça de Dirceu como se não fossem atrás dele depois. Viu seu ex-ministro ser condenado por "domínio do fato" sem provas como se ele mesmo não pudesse ser condenado da mesma forma, e pode vir a ser. Não se disputou a consciência, se incorporou a narrativa que os adversários, com seu cartel da informação, impuseram.

Está aí a consequência. O PT é o partido da corrupção na cabeça do povo e qualquer denúncia contra qualquer petista torna-se crível. Após 11 anos da defensiva, sem defender seu projeto de nação, sem disputar a sociedade e se limitando a resultados eleitorais a custa de ser "o partido do Lula, o PT se vê no fundo do poço, mas uma coisa é certa: Mesmo que destruam a imagem do maior líder popular que esse país já teve, mesmo que cassem o registro do PT, mesmo que o eco do cartel da mídia chegue em cada casa, nunca vai deixar de existir petismo, nunca vai deixar de existir quem sonhe e quem se doe pela construção de um país mais justo. E se o preço a pagar for passar pela mesma perseguição de novo, haverá quem se disponha a pagá-lo quantas vezes puder.

Comemore o dia, anti-petista, mas não cante vitória muito cedo, não. Nem leve flores para a cova do inimigo, que as lágrimas do jovem são fortes como um segredo: podem fazer renascer um mal antigo.

Nenhum comentário: