19.5.13

Política a favor ou contra



Quem já parou pra assistir programa eleitoral conhece o bordão do PSTU: “Contra burguês, vote 16”. Mas pouquíssimos sabem a favor do que o partido é. Não é a toa que nunca conseguiram representatividade na sociedade brasileira.

Em Chapadinha vivemos também uma política baseada na rejeição. É mais fácil você ouvir alguém criticando Isaías Fortes ou reclamando de Magno Bacelar do que alguém assumindo a defesa de algum deles. A maioria dos atores da política justifica suas posições pelo desejo de acabar com um deles ou até com os dois, mas a facilidade em dizer ao que se opõem não é a mesma ao se dizer do que são a favor.

Foi com esse erro que se elegeu o atual governo. Sob a justificativa de derrotar um governo com alta rejeição, uniram um balaio de gente que não se suporta, mas que tinha um objetivo comum: derrotar a dupla Magnúbia. Com força eleitoral, mas sem a menor unidade de ação, a guerra interna que o grupo vencedor hoje enfrenta era inevitável.

Se hoje atuo com firme crítica a esta administração, não é apenas pelo desejo de ser “do contra”, mas por representar o oposto daquilo que defendo para a cidade. Não precisamos de alguém que se eleja prefeita para enricar ainda mais à custa do município ou que contrate ilegalmente seus cabos eleitorais em detrimento de quem tenha competência, independente do seu posicionamento político. Precisamos superar a política baseada no dinheiro e garantir oportunidade para todos.

O desafio a nossa frente é unir todos aqueles que querem construir uma alternativa política que traga desenvolvimento com criação de emprego e gere renda no nosso município. Uma forma de fazer política baseada em idéias e não em ódio. Com respeito a todos e melhoria da qualidade de vida, principalmente para os mais pobres, mesmo que isso signifique não acumular benesses para si, para os amigos e financiadores do poder.

Para isso é necessário se desarmar, deixar antigas rixas de lado e construir uma nova forma de fazer político. Que não seja contra este ou aquele, mas a favor do nosso município.

11.5.13

A luta de todos por MAIS EDUCAÇÃO


Sobre a postagem do blogueiro que perdeu o discurso moralista para defender a prefeita depois do escândalo do lixo, me cabe ressaltar:

1. Na última assembleia do SindChap propus uma reunião entre a comissão eleita pelos professores para dialogar com o governo e os vereadores que têm acompanhado a luta da categoria para garantir que o município respeite e cumpra seus direitos;

2. Democraticamente, avisei que a reunião seria aberta a outros professores que tivessem disponibilidade no dia e horário marcado;

3. A intenção da reunião era exclusivamente fortalecer o diálogo entre os professores e os representantes do povo e construir conjuntamente um projeto de lei que regulamente no município os direitos já conquistados pelos professores;

4. Uma conversa que deveria ser entre nove ou dez pessoas se transformou numa grande plenária na Câmara pela mobilização por parte do governo de diretores, assistentes e outros ocupantes de cargos comissionados;

5. Manteve-se a conversa naturalmente dando espaço para a exposição dos diferentes pontos de vista dos presentes;

6. Infelizmente, em Chapadinha sempre há quem leve tudo para o sentido da disputa política prejudicando a discussão de questões do interesse coletivo;

7. Saímos da reunião decididos a esperar a homologação do parecer nº 18/2012 do Conselho Nacional de Educação pelo MEC para tê-lo como base para a apresentação do projeto de lei municipal;

8. Aproveito para desejar publicamente tudo de bom na vida daqueles que vivem de mentir e distorcer os fatos relacionados a tudo que envolva a minha participação política. 

9. Por fim, e o e$cândalo do lixo, não vai falar nada?