5.4.11

Governo e Prefeitura decretam luto oficial em São Luís e no Maranhão

Chefes de poder e lideranças políticas receberam com tristeza, ontem, o anúncio da morte do ex-governador Jackson Lago (PDT). A governadora Roseana Sarney (PMDB) foi comunicada por volta das 17h40, e decretou luto oficial de três dias no estado. A assessoria do prefeito João Castelo (PSDB) informou que o tucano "ficou muito abalado" com a morte do aliado. Já o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), tenta convencer a família a fazer o velório - ou pelo menos parte dele - na Assembléia Legislativa, apesar do desejo dele de ser velado na sede do PDT. "O Jackson foi deputado e merece esta honra", disse Melo. Lago foi deputado estadual entre 1974 e 1978 pelo MDB.

Para o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Jamil de Miranda Gedeon Neto, Jackson Lago foi "um notável homem público". Em nota, o chefe do Poder Judiciário reconheceu a trajetória de médico e político do ex-governador que, na sua opinião, soube conduzir-se com denodo, abnegação e dignidade. "Ele deixou na história política do Maranhão o seu intransferível legado", afirmou Gedeon.

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA), desembargador Raimundo Cutrim, fez um histórico da vida de Jackson Lago e destacou que ele deu a sua contribuição ao Maranhão. "O doutor Jackson Lago foi uma grande médico. Depois, como político, deu sua contribuição à vida pública, chegando ao Governo do Estado", afirmou o representante da Justiça Eleitoral, que comandou as últimas eleições. O ex-governador participou da disputa em 2010.

Na Assembléia Legislativa, o anúncio da morte de Jackson Lago foi feito na tribuna pelo deputado Neto Evangelista (PSDB). Ele discursava quando foi informado da perda. Os colegas presentes à sessão renderam homenagens ao pedetista e encerraram os trabalhos. Jackson foi deputado estadual na década de 70.

Adversário político do líder pedetista, o senador e ex-governador João Alberto de Souza (PMDB) lembrou que sempre manteve com o pedetista um relacionamento de embate leal. "Tivemos muitos embates, mas todos dentro da mais absoluta lealdade", lembrou Alberto. O ex-governador contou que, como chefe do Executivo, ao mesmo tempo em que Jackson Lago era prefeito de São Luís, mantiveram um relacionamento amistoso. "Por várias vezes ele nos visitou no Palácio dos Leões, e eu fui também várias vezes à Prefeitura", lembrou.

O presidente nacional do PDT, e ministro do Trabalho, Carlos Lupi, é aguardado em São Luís para o velório do ex-governador. Jackson era vice-presidente nacional do PDT, e amigo pessoal de Lupi, que esteve várias vezes em São Paulo visitando o ex-governador. De acordo com o suplente de deputado e assessor especial do MinT, Weverton Rocha, "o ministro sofreu muito com o problema do ex-governador e ficou abalado com a notícia de sua morte".

Lideranças políticas do Maranhão e de outros estados - prefeitos, governadores, deputados federais e estaduais, vereadores e líderes partidários - são esperados hoje para o velório do ex-governador. 



Fonte:Jornal O Estado do Maranhão

Nenhum comentário: