25.11.10

PT-MA poderá ampliar seus espaços

Quem chefiar o poder Executivo nunca poderá abrir mão da prerrogativa de indicar seus ministros, secretários e demais auxiliares. O discurso é sempre o mesmo: "Nenhum partido é dono de nenhum espaço". Tudo bem, mas acordo feito é acordo cumprido.

No caso do Maranhão, a governadora reeleita Roseana Sarney monta sua própria equipe com o poder que o povo lhe deu, mas sabe que depende de apoio político para governar e para realizar "o melhor governo da sua vida".

Reeleita graças à aliança do seu PMDB com o PT, Roseana garantiu ao partido do presidente Lula que lhe caberia indicar o vice-governador do estado e os secretários de Educação, Desenvolvimento Social e Trabalho, este último uma indicação mais dela do que do partido e até aqui foi assim que as coisas aconteceram.

A exoneração do ex-secretário de Educação Anselmo Raposo a pedido do próprio partido não poderá servir de argumentação para o descumprimento unilateral do acordo feito. Se Roseana quiser indicar algum "não petista" para comandar a pasta, deverá fazê-lo em novo acordo com o partido ampliando seus espaços em outros setores do governo.

24.11.10

Anselmo Raposo: “Deixei a Seduc com a consciência do dever cumprido. Estou à disposição do meu partido para contribuir com o Maranhão”

Do Blog do Robert Lobato:




O ex-secretário de Estado de Educação, Anselmo Raposo, falou com exclusividade ao JP On Line  sobre a sua exoneração da Seduc. Raposo afirmou que deixou a pasta com a consciência do dever cumprido e que mudanças nos governos são naturais e fazem parte do jogo político.
O petista disse ainda que não guarda ressentimento de nenhum aliado de partido, inclusive do vice-governador eleito Washington Luiz, que, segundo foi divulgado na imprensa, teria sido o autor do pedido da sua exoneração junto à governadora Roseana Sarney. Para o ex-secretário, Washington Luiz não é dono de secretaria alguma, pois quem em última instância determina quem fica ou que sai é governadora Roseana Sarney
Economista e mestre em Administração, Anselmo Raposo é professor do Departamento de matemática e informática, da Universidade Estadual do Maranhão. Ocupou vários cargos de direção na UEMA, entre os quais o de pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação. A seguir, os principais trechos da entrevista de Anselmo Raposo.
IDA PARA SEDUC
Aceitei assumir a secretaria de Educação num momento muito difícil do PT. Fui chamado para cumprir a missão de demarcar uma posição política dentro do partido e dentro do governo Roseana com que temos uma aliança chancelada pela direção nacional do PT. Fui convidado pelos companheiros Washington Luiz, presidente do partido Raimundo Monteiro, Rodrigo Comerciário, enfim, pelas principais lideranças locais que defenderam a aliança com PMDB aqui no Maranhão, tal como queria o presidente Lula e a então candidata Dilma Rousseff. Aceitei o desafio em nome do partido, tanto a nível nacional, quanto estadual.
ESTRUTURA VICIADA
Nunca achei que ao tomar posse na Seduc iria num passe de mágica mudar uma estrutura que há anos vem mantendo uma série de vícios. Lutei para dirimir esses vícios até onde foi possível política e administrativamente. Não me faltou apoio da governadora em muitos momentos e também do meu campo político dentro do PT. Claro que o ideal seria eu assumir a secretaria podendo formar uma equipe basicamente por petistas ou pessoas mais afinadas com a política educacional do partido, mas o governo não é do PT, é um governo de coalizão, onde o PT terá mais força a partir de agora com a vitória, nas urnas, da aliança do nosso partido com o PMDB da governadora.
DENÚNCIAS DE CORRUPÇÃOFui bombardeado por uma série de factoides que tentaram passar como fatos reais. Tenho convicção que fui vítima de uma armação de setores políticos conservadores que não admitem que a governadora Roseana Sarney entregue a secretaria de Educação ao PT. Armou-se uma rede de falsas denúncias cujo único objetivo era me derrubar de qualquer jeito da Seduc. Essa rede de factoides foi acionada de forma sistemática contra mim. Aliás, já estou acionando alguns jornalistas e blogueiros que terão que provar, na Justiça, todas as acusações que fizeram contra mim.
EXONERAÇÃO E RESSENTIMENTOS
Não há motivos para guardar ressentimentos de ninguém, muito menos de companheiros do meu partido. Tenho compreensão de que o cargo de secretário de Educação não era meu, assim como não é do vice-governador eleito Washington Luiz ou de qualquer outra pessoa. Os cargos são da governadora Roseana Sarney em última instância. Ela é quem determina quem fica ou que sai do governo. Deixei a Seduc com a consciência do dever cumprido, pois os meus acertos foram bem maiores do que algum erro que cometi.
NOVOS PLANOS
Sou filiado ao PT há mais de 20 anos. Ajudei a construir esse partido e não me furtarei a continuar ajudando a construí-lo. Estou convencido de que temos o melhor projeto de nação, sociedade, cidadania etc. O governo Lula mostrou isso e o próximo governo liderado pela companheira Dilma avançará ainda nas nossas políticas, sobretudo nas políticas sociais.
Estou convencido de que o PT maranhense acertou ao escolher uma aliança local com as mesmas forças que sustentaram o governo do presidente Lula e que sustentarão o da Dilma. Ou seja, o partido está correto ao apostar numa aliança política estratégica com o PMDB e com a governadora Roseana Sarney. Contudo, sei que há uma diferença entre as intenções da governadora e dificuldade de setores do governo em engolir o PT. Estou à disposição do meu partido para contribuir com o Maranhão, seja diretamente no governo Roseana através do Conselho de Gestão, o qual ela me convidou, ou quem sabe através de algum posto na estrutura do governo federal, em Brasília.

Belezinha e Noni Braga no PT

Do Blog do Alexandre:


Fontes ligadas ao PT de Chapadinha afirmam que o partido tem sido procurado por personalidades da sociedade local em busca de filiação em seus quadros.

Entres os possíveis novos integrantes da agremiação estariam a empresária Dulcilene Pontes, a Belezinha e a educadora Noni Braga, da Faculdade do Baixo Parnaíba. Belezinha e Noni aparecem a esquerda na foto – tirada em um evento da campanha de Dilma Roussef, segundo turno – na qual posam ainda o vice-prefeito Antonio Prata, o vice-governador eleito Washington Oliveira, o advogado Erik Marinho – que há tempo também flerta com PT – e o presidente do diretório municipal da legenda, Paiva.

Ainda de acordo com a fonte, o ingresso de Noni, por seu serviço prestado à educação da região, é até comemorado pelo Partido dos Trabalhadores.

Já com relação a Belezinha há um porém: os petistas não querem pessoas ligadas a ala política do ex-prefeito Isaías, por isso teriam sinalizado que caso ela venha a descartar qualquer vínculo com a turma de Isaías e esteja disposta a construir uma alternativa aos dois grupos dominantes locais, a empresária será bem aceita nas hostes do partido da presidente Dilma.




Em tempo 1: Erik Marinho e Belezinha são pré-candidatos a prefeito e dificilmente ambos se filiarão ao PT. O nome mais cotado é o da empresária;

Em tempo 2: Eles blogueiro não tem qualquer vínculo familiar com a empresária Noni Braga.

20.11.10

Leilão na Câmara Municipal


A eleição para nova presidência da câmara municipal de Chapadinha está definida, programada para acontecer no dia 13 de dezembro.

03 chapas foram montadas, tendo como representantes a parlamentar Hilda Pontes, o vereador França Nilo e a parlamentar Márcia Gomes. Para análise dos nossos internautas está disponível abaixo um pouco do perfil de cada candidato.

HILDA PONTES - viúva do ex-prefeito Irineu Veras Galvão, é tida como forte candidata para suceder a atual presidente Graça Nunes. A parlamentar está em seu primeiro mandato, eleita nas eleições de 2008.



FRANÇA NILO - é tido como polêmico e controverso, um vereador que por diversas vezes, em momento de fúria, proferiu vários ataques a Magno Bacelar e Danúbia Carneiro, grupo o qual ele pertence, porém nunca deixou de segui-los. Segundo informações a presidência da câmara seria um dos grandes sonhos do parlamentar de vários mandatos.

MARCIA GOMES – ferrenha defensora do grupo que faz parte, inclusive tendo vivido pequenos atritos com membros da oposição, a exemplo o parlamentar Marcelo Menezes, Marcia Gomes retornou a câmara em 2008 e é também apontada como possível substituta da atual presidente.

Em meio a toda a euforia dos candidatos para o cargo mais importante do palácio legislativo Francisco Almeida Carneiro, uma triste realidade se esconde vindo à tona, o leilão de parlamentares.

Informações dão conta que vereadores estariam abertos a altas negociações para formar complô, tendo em vista a colocação de um novo presidente, ou presidenta, ligada ao poder municipal.

As negociações estariam sendo comandadas por membros do executivo, haja vista que suas contas a partir de agora serão votadas pelo legislativo, uma forma de tapar buracos.

A polêmica seria tanta que alguns já negociados, teriam recebidos valores altíssimos e ainda a promessa de cargos na máquina pública.

Conselho Aprova Contas da Saúde com Ressalvas

Conselho Municipal de Saúde aprovou, nesta quarta-feira (17), com ressalvas, por 10 votos a 2, as contas da Saúde de Chapadinha referentes ao exercício financeiro de 2009. As contas tiveram que ser reavaliadas porque houve erros na primeira sessão que desaprovou as contas.

A aprovação com ressalvas significa que a Secretaria de Saúde de Chapadinha não convenceu os conselheiros sobre a conformidade da aplicação dos recursos.

No final prevaleceu o pensamento de que a rejeição do inteiro teor da prestação de contas poderia acarretar mais prejuízos à população. Mas, os pontos desaprovados da gestão financeira deverão ainda ser alvo de apuração mais detalhada das autoridades competentes.

Entre os conselheiros, segundo apurou o blog, o sentimento era de que ninguém queria ser responsável por qualquer penalidade ao sistema de saúde, mas, ao mesmo tempo não estavam dispostos a compactuar com irregularidades fundamentadas no relatório da comissão.

11.11.10

Chapadinha Sediará Oficina dos Projetos PROINF


No próximo dia 18 de novembro, será realizada a Oficina de Homologação dos Planos de Providências dos Projetos PROINF do Território Rural do Baixo Parnaíba, no município de Chapadinha.

O Plano tem por objetivo a implementação de medidas adequadas para colocar em pleno funcionamento os projetos PROINF de investimentos já concluídos. Este Plano desencadeará a construção de acordos e implementação de medidas corretivas pelas prefeituras e/ou órgãos estaduais responsáveis diretos pela execução dos projetos, com a participação dos Conselhos Estaduais e Colegiados Territoriais.  

Nesta Oficina ocorrerá o aprofundamento das discussões sobre os reais problemas que dificultam o funcionamento dos projetos, deverão ser propostas medidas corretivas a serem pactuadas/implementadas.

Vale ressaltar, que o representante CODETER local Juvenal Neres (CODETER/Baixo Parnaíba; ASA-MA/COSEA-MA) e o assessor técnico, Welquer Lima, estão articulando este processo

9.11.10

Quebrando a polarização


Desde quando me entendo por gente as disputas políticas de Chapadinha (MA) são polarizadas entre dois grupos. Talvez tenham caído em desuso essas alcunhas, mas antigamente os grupos eram chamados Pebas, liderados pelo ex-prefeito Isaías Fortes, e Cambirimbas, que correspondem aos que hoje estão sob o comando da prefeita Danúbia Carneiro e do ex-prefeito Dr. Magno Bacelar, o auto-intitulado Nota 10.

Lembro-me especificamente bem da eleição de 2000. A prefeitura vivia um estado de caos sob o comando de Isaías Fortes, que tentava a reeleição. Político de forte apelo populista, Isaías não suportou o descontentamento do funcionalismo municipal, que ficava meses a fio sem receber salário. Então deputado estadual, Magno aproveitou-se da situação, disputou e derrotou Isaías travestido em símbolo de ética e de competência administrativa.

A polarização manteve-se e as tentativas de quebrá-la não alcançaram sucesso. Podemos analisar essa disputa e os resultados eleitorais dos grupos locais nas últimas eleições municipais pelo seguinte quadro percentual:


Em todas essas eleições houve quem tentasse fugir dessa dicotomia, mas as candidaturas de Chaguinha (1996), Lívia Viana (2000) e Alexandre Pinheiro (2004) foram apenas coadjuvantes. Contudo, o resultado da eleição de 2008 nos mostra o quadro diferente reforçando o enfraquecimento de ambos os grupos dominantes e o crescimento das chances de sucesso de uma terceira via.

Mesmo tendo sido vitorioso na disputa pelo voto, é visível o revés de baixa nas votações de Isaías e, portanto, a constatação de que sua vitória só foi possível graças a divisão dos demais concorrentes.

Outra constatação fácil de ser feita com base nos números é a de que o crescimento da votação da terceira via, apresentada em 2008 pelas candidaturas de Dr. Levi Pontes (PDT) e Dr. Talvane Hortegal (PT), se deu substancialmente sobre o eleitorado do grupo de Magno Bacelar, desiludido ao constatar que o "Nota 10" não é aquilo que outrora prometeu ser.

Contra o grupo de Isaías há outro peso. Apeado pela lei "Ficha Limpa", ele não será o candidato do grupo. Ignorando as pretensões do cunhado Vagner Pessoa, já lançou a filha, Isamara, como candidata a prefeita dificultando ainda mais a transferência de voto, que vem ficando cada vez mais escasso.

Somem-se a favor da terceira via ainda outros três fatores. 


1. Unida, a 3ª via teria mais votos que a soma das duas candidaturas; 
2. O impedimento legal de Isaías o enfraquece ainda mais;
3. A má avaliação do governo Danúbia lhe tira a competitividade.


1. Se o caminho natural da política é a bipolarização, numa cidade sem segundo turno isso é levado ao extremo. Se duas candidaturas despontam a frente, o eleitor sente que o seu voto numa terceira seria um voto perdido e que não define o eleito. Assim, o primeiro desafio é unir todas as forças políticas entusiastas da terceira via em uma candidatura só e apresentá-la para a sociedade como competitiva.

2. O eleitor, esse ser misterioso e difícil de entender, quer definir a eleição. Se ele vê seu voto depositado num candidato sendo anulado, tende a não repetir este voto com receio de vê-lo mais uma vez desrespeitado. Haja vista a última votação de Jackson Lago na disputa pelo governo estadual.

3. Danúbia é prefeita hoje sem ter vencido no voto. Perdeu e reverteu o resultado na Justiça. Se ela já não venceu antes, agora com a administração má avaliada seu sucesso nas urnas é ainda mais difícil.


E o PT?

Com a autoridade de quem nunca foi peba nem cambirimba, de quem agrega o suficiente para abrir diálogo com todas as lideranças políticas descontentes com os caminhos políticos de Chapadinha e de quem vive um momento de crescimento e fortalecimento em todo o estado, o Partido dos Trabalhadores deve assumir a responsabilidade de estar a frente deste processo.

"Estar a frente" não deve ser entendido como brigar para ter a cabeça de chapa a qualquer custo. Nomes para esta tarefa não faltam ao partido, mas todos os atores desta terceira via devem sentar para conversar desprendidos de vaidades e colocando seus projetos pessoais em segundo plano. 

A candidatura que vai emergir deste processo não será vitoriosa se for fruto do desejo pessoal de quem quer que seja, mas tem tudo para lograr êxito se for construída como um projeto coletivo, com todos os agentes políticos sendo respeitados e de braços dados com a sociedade chapadinhense.

Os sindicatos, os movimentos sociais, entidades da sociedade civil em geral e a Academia devem ser inseridos na formulação de um programa de governo que mostre as bandeiras que este grupo levantará para mostrar ao eleitor que é diferente e melhor do que estes que aí estão.

Este humilde blogueiro avisa: Estarei inserido neste processo ajudando a construir este novo caminho.

7.11.10

Quem é Quem nas Eleições 2012 (Chapadinha)

Nem bem findava a disputa política deste ano e já começava o burburinho com relação às eleições municipais de 2012.
Com base nos números e lances do pleito deste ano traçamos um perfil de cada possível candidato e analisamos as chances de cada um, sem ponderações quanto a quem seja melhor ou pior para conduzir o destino da cidade mais importante do Baixo Parnaíba.
Chamo atenção que alguns nomes pertencem ao mesmo grupo, mas como se sabe, cada ala política tem sua batalha interna pela indicação e há ainda possibilidade de rachas no calor das disputas intestinas.
Vamos aos nomes.
Izamara Menezes – Filha do ex-prefeito Isaías, ocupou cargos nos governos de Jackson Lago e Roseana e foi candidata a deputado mais votada em Chapadinha. Demonstrou capacidade de obter votos entre os seguidores do pai, articulada e ativa. É hoje favorita na disputa.
Belezinha – Empresária de sucesso impressionante, teve participação ativa nas últimas eleições, chegando a ser acusada de extrapolar os limites legais. Acredita num improvável apoio de Isaías e é cortejada pela terceira via. Se conseguir melhorar discurso e demonstrar sabedoria política – que convenhamos é diferente da empresarial – pode chagar lá.
Danúbia – Filha de tradicional família política, ex-vereadora e ex-secretária e atual prefeita com direito a reeleição. Por motivos justos ou preconceituosos tem hoje avaliação muito ruim. Mas, tem poder nas mãos e fazendo ajustes necessários pode voltar a ser competitiva.
Gomes – Empresário, liderança evangélica e militante político que tem se mostrado corajoso e coerente com uma linha independente entre os grupos de Magno e Isaías é sempre um nome a ser lembrado.
Eric Marinho – Advogado, superintendente jurídico da poderosa Secretaria de Educação do Estado e aliado de Ricardo Murad. Eric tem demonstrado interesse em entrar na disputa, articula-se com o PT, como a Belezinha cultiva esperança de receber apoio de Isaías. Para assumir o papel de líder perdeu oportunidade de apoiar um candidato a deputado, discursar e criticar pessoalmente os adversário Magno e Danúbia. Deixando de fazê-lo, perdeu fôlego. Mas ainda pode reverter o quadro.
Vagner Pessoa – Empresário e ex-deputado por duas vezes, cunhado de Isaías por quem se sente traído e debita sua derrota em 2010, por isso declara que não apóia candidatos ligados ao ex-prefeito Isaías. Teve votação significativa este ano, que pode definir futura eleição. Se não for candidato é nome importante para alianças e articulações.
Magno Bacelar – Médico, ex-prefeito e ex-deputado. Líder, até agora, inconteste de um dos dois maiores grupos locais. Apesar de uma eleição difícil, com campanha pesada de adversários sustentando sua inelegibilidade, erros de gerenciamento da campanha e sua ausência de Chapadinha, obteve, superando todos as expectativas, mais de 9 mil votos no município. Absorve parte do desgaste da administração, mas se fizer prevalecer sua liderança dentro do grupo e seu inato arrojo demonstrado em pelejas até mais difíceis, é outro favorito.
Sempre Lembrados – Incluo entre os possíveis “prefeituráveis” os nomes de Raimundo Marques, Talvane Hortegal e Levi Pontes. Um pela respeitabilidade que supera os limites de Chapadinha ,Raimundo Marques), e os outros dois pela tradição política e seguidas participações não podem ser descartados.

4.11.10

Valdinar estenderia a mão a Flávio se este estivesse lá


O deputado estadual Valdinar Barros (PT) é sabidamente membro da ala petista balaia. Sempre apoiou o governo Jackson Lago e vem fazendo oposição ao governo Roseana Sarney. Defendeu que o PT firmasse aliança com o PCdoB de Flávio Dino e apoiou a candidatura comunista ao Palácio dos Leões à revelia do partido, mas na hora do "pega pra capá" mostrou ter lado.

Para irritação dos ditos radicais do PT maranhense, Valdinar cometeu um ato de civilidade que pegou muitos de surpresa e frente ao senador Edison Lobão estendeu-lhe a mão em cumprimento. "Um absurdo". Estaria Valdinar virando um, desculpem a palavra, sarneista? Não, estava apenas pedindo votos e marcando presença num ato de campanha da agora presidente eleita Dilma Rousseff, que contou com o apoiou entusiasmado de Lobão e de todo o PMDB maranhense. 

Ficaram bravos porque Valdinar cumprimentou Lobão? Ele poderia ter sido flagrado apertando a mão de Flávio Dino, de Domingos Dutra, de Jackson Lago, de Zé Reinaldo... Mas para isso seria necessário que estas figuras tivessem apoiado Dilma durante o segundo turno. Jackson apoiou Serra desde o primeiro, Zé Reinaldo, o tetra-derrotado, saiu do armário e confessou seu entusiasmo com o candidato tucano. Quanto a Dutra e Flávio Dino, se apoiaram Dilma foi dentro de suas casas, escondidos, longe das lentes de uma máquina fotográfica que poderia registrar um cumprimento deles com Valdinar.