3.11.09

Arruda no "É Notícia"


O governador José Roberto Arruda foi o entrevistado do programa "É Notícia", apresentado pelo bom jornalista Kennedy Alencar, neste último domingo.

Dois trechos da entrevista chamaram a atenção.

Primeiro quando perguntado o motivo pelo qual o Distrito Federal tem o maior índice de desigualdade social do Brasil (logo o único lugar governado pelo PFL) Arruda explicou que isto acontece porque Brasília foi vítima de ciclos migratórios de pessoas despreparadas.

Que perfeito. A pobreza é culpa do pobre! Este é o jeito DEMO de governar!

Outro parte interessante foi quando Kennedy lembrou do episódio da violação da votação secreta que casssou o mandato do ex-senador Luiz Estevão. O governador disse que cometeu um erro, ler uma lista. Não, não, não. Arruda fez muito mais do que isso. Vamos aos fatos:

  1. Arruda disse à então diretora do setor de informática do Senador, Dra. Regina Célia Borges, que queria lhe fazer uma consulta pessoalmente e a convidou para ir ao seu apartamento;
  2. Lá, Arruda perguntou à Dr. Regina, na véspera da votação que cassaria Luiz Estevão, se era possível conhecer os votos de uma votação secreta;
  3. Diante de uma inicial negativa, Arruda insistiu e fez Regina sair dali direto para casa de Heitor Ledur, técnico que procedeu a retirada da lista no dia seguinte;
  4. Regina Célia entregou a lista ao então assessor Domingos Lamoglia, hoje conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal, que entregou ao patrão, Arruda, que entregou ao patrão, Antônio Carlos Magalhães, babalorixá do Senado naquela época;
  5. Meses depois a história vazou e Arruda subiu à tribuna do Senado jurando por Deus, pela família, pelos filhos e pelo própria honra que nada tinha a ver com o episódio, "se é quem ele realmente aconteceu";
  6. Regina Célia deu novo depoimento e fez Arruda voltar à mesma tribuna cinco dias depois para disdizer tudo que tinha tido e confessar a participação no crime.

Arruda violou e mentiu. Isto é muito mais do que simplesmente ver uma lista.


Foto: Agência Brasil

Nenhum comentário: