12.10.09

Vai pra casa, Ciro!

De Ricardo Noblat* em cinza com comentários em vermelho:


"O que mais causaria incômodo a Lula? O candidato do PSDB a presidente se eleger direto no primeiro turno da eleição? Ou ele ser obrigado a apoiar o deputado Ciro Gomes (PSB) no segundo turno?

Se for o caso, Lula prefere perder a eleição com Dilma Rousseff do que ganhá-la com Ciro. Dilma foi escolha dele. Ciro tenta se impor à sua revelia.

(Como diz o Genoíno, na política tem dois lados, o lado de lá e o lado de cá. Dilma e Ciro são do lado de cá. Serra, Aécio, Heloísa Helena e Marina são (ou viraram) do lado de lá. Tolice achar que uma vitória de Ciro não seria apresentada como uma vitória do bloco governista e, portanto, de Lula)

Nenhum chefe político gosta de ser contrariado. Chefes em geral não gostam.

Lula desenhou a sucessão dele com régua e compasso. Mesmo assim deu errada aquela jogada do terceiro mandato consecutivo. Não convenceu nem seus aliados mais fiéis. Então ele inventou Dilma, sem passado dentro do PT, sem a mínima experiência eleitoral.

(Aqui Noblá, blá, blá diz por conta ou risco que Lula arquitetou uma tentativa de terceiro mandato consecutivo para si. Não se tem notícia disso, pelo contrário, mas se ele tivesse sinalizado neste sentido, não tenham dúvidas, o PT teria comprado a idéia)

Se ela não emplacasse, quem sabe o terceiro mandato não ganharia as ruas e acabaria aprovado pelo Congresso?

(Quando\se Dilma não emplacar não haveria mais tempo para mudar a legislação para permitir o terceiro mandato. Se fosse pra ser já teria sido, e não nunca foi)

Por ora, Dilma de fato não emplacou. Mas a crise financeira internacional sepultou o sonho do terceiro mandato.

(Aquela crise financeira que manteve a popularidade de Lula mais alta do que a de qualquer outro que já tenha ocupado Palácio do Planalto?)

Foi um vacilo de Lula concordar com o desejo de Ciro de se testar como candidato. Ciro logo passou Dilma nas pesquisas de intenção de voto.

Lula está sinceramente convencido de que a comparação dos resultados do seu governo com os resultados do governo de Fernando Henrique servirá de combustível para incendiar a candidatura de Dilma.

E que sua presença na campanha ao lado dela dizendo a todo instante “Minha candidata é Dilma”, derrotará José Serra sozinho ou na companhia de Aécio Neves como vice.

("Claro que não, Serra está eleito a muito tempo, isto é claro. O sentimento do povo brasileiro claramente é de que o país não está no rumo certo, tem que mudar e a oposição sem discuro deve voltar ao poder")

Quem quiser pode vir que Lula está fervendo.

Marina Santos (sic), candidata do PV? Lula não aposta um tostão furado na candidatura dela. Descarta que ela possa crescer o suficiente para provocar um segundo turno entre Dilma e Serra.

Uma eleição plebiscitária, tal como ele a concebe, se esgotará no primeiro turno. Se Dilma perder... Foi ela que perdeu. Lula terá feito tudo para elegê-la. E, pensando bem, Serra não será tão mal para ele.

O que não dá, não dá mesmo, é Ciro bater Dilma no primeiro turno e se classificar para concorrer com Serra no segundo. O mito Lula sairia afetado.

O cara não teria demonstrado força sequer para garantir Dilma no segundo turno. Ouviria: cadê o poderoso cabo eleitoral ambicionado por 10 entre 10 candidatos às próximas eleições? Cadê? O gato comeu.

(Nesta conjuntura Lula tem duas candidaturas, caramba. Se um segundo turno fosse entre Serra e Marina, ou Aécio e Heloísa Helena tudo bem. Aí Lula seria o grande derrotado. Quer apostar como isto não vai acontecer?)

De resto, Ciro é imprevisível. Lula não confia nele. Um bocado de gente não confia. Vez por outro banca o insensato. É temperamental. E dado a rompantes.

(Ciro não é confiável? Mesmo argumento contra Lula 89. Deu Collor)

O que não murmuraria o PT, hein?

Sim, porque diante de Lula só resta ao PT murmurar. Estrilar? Não. Espernear? Esqueça. Revoltar-se? Jamais! Mas o que murmuraria o PT?

Forçado a ir com Dilma, o PT ainda se veria na humilhante situação de ter que sair gritando por aí no segundo turno: “Ei, ei, ei, Ciro é nosso rei”. Logo o PT que não engole Ciro em São Paulo nem banhado a ouro. Salvo se Lula quiser, é claro.

Divirta-se Ciro enquanto puder como aspirante à vaga de Lula. O seu próprio partido, o PSB, prefere tê-lo como candidato à vaga de Serra.

Ciro piscou primeiro e cometeu a bobagem de transferir seu título de eleitor para São Paulo. Queria agradar a Lula. Sabujo! Mesmo que perca, ajudará a eleger deputados do partido.

Para presidente, o PSB espera o momento certo de anunciar que é Dilma desde garotinho.

PDT e PC do B estão com Dilma.

Com Ciro só tem ele e quase 18% do eleitorado.

(Há oito anos Serra estava empatado em algumas pesquisas com o falecido Enéas Carneiro com 4,2% das intenções de votos e tinha porque tinha que ser candidato. Hoje Ciro tem "apenas" 18% nas pesquisas e deve ir para casa)

Se o eleitor não encontrar o nome de Ciro na célula votará em outro.

Por aqui, eleitor só serve para votar. Para escolher candidato, não. Os caciques escolhem por ele.

Essa é a democracia que temos. Ou melhor: o regime político que temos, qualificado de democrático. Está longe de ser."



*Noblat é aquele da vacância da presidência da República, da brasileira torturada na Suiça, do jantar com o Arruda na noite do dia 27 de junho de 2000 etc.

2 comentários:

Gabriel Tatagiba disse...

Ciro na verdade é um ótimo candidato para Lula, pois seria dele as críticas a Serra. Em 2002, Serra e Ciro ficaram se batendo para ir ao segundo turno com um Lula intacto. Pode acontecer isso de novo: Ciro bate em Serra e Dilma faz campanha propositiva. Caso dê errado, não há nenhum mal em Lula apoiar Ciro no 2º turno. Mas ele pode ficar tranquilo, pois o fato é que Ciro não tem mesmo nenhuma chance de ir até lá.

Kleber Vinicius disse...

Ciro, presidente, por um país decente.

A "Lula de saia" não tem chances! Todas as pesquisas indicam queda.

Triste fim da dona Dilma.