30.4.08

"Graças a" ou "apesar de"

O Brasil recebe o título de grau de investimento!

Graças a política econômica de Guido Mantega ou apesar da política monetéria de Henrique Meirelles?

29.4.08

Crise, não. Oportunidade

Algumas mentiras, de tanto serem repetidas, parecem se tornar verdades; outras existem que os seus autores repetem tantas vezes e, ao final, eles se convencem que não passam de mentiras. São como as ondas, vêm, passam um tempo e vão-se. Como são mentiras, pretendem “formatar” a opinião pública, mas muitas delas sucumbem por falta de consistência.

Nos últimos tempos, vivenciamos várias “crises”: a do álcool, a do petróleo, a da Bolívia com o Evo Morales, a da Venezuela e, mais recentemente a do Paraguai. Os paraguaios devem estar satisfeito ao verem estampada em manchete de um jornal brasileiro “Paraguai bota o Brasil na parede”.

Afora esta última, cujo Presidente nem mesmo tomou posse, todas as outras se mostraram que eram (ou foram) fabricadas por aqueles que não se conformam com o bom desempenho da economia brasileira.

A propósito, existe uma Primeira Dama do Apocalipse, comentarista da CBN, que acha que o Brasil está sempre na contramão da história, mesmo quando a maioria das bolsas de valores despencam e a Bovespa cresce. Que salutar!

Agora estão inventando a crise do arroz. Certamente que os autores não entendem como funcionam os mercados e que a alta de preços nos mercados internacionais cria oportunidades para o produtor brasileiro ganhar mais. Aliás, durante muitos anos esses produtores vivenciaram os preços muitos achatados das suas mercadorias. Sem dúvida que esta situação respinga no consumidor brasileiro. No entanto, como a nossa produção é maior que o nosso consumo e como dispomos de estoques que estão guardados para serem oferecidos ao mercado em épocas como esta, cadê a crise?

A salutar “crise” originada pelo aumento de consumo é um elemento incentivador para os produtores brasileiros. Produtor é movido pelo preço. Qualquer manual de economia diz que “a oferta de um bem é função do preço que o mercado estiver disposto a pagar” e não precisa ser economista para entender isso! Certamente que com esta situação de preços no mercado, na próxima safra estaremos produzindo muito mais, aliás superando o recorde deste ano.

Existe uma crise mundial no setor de alimentos? Sim. O mundo dispõe de recursos (principalmente os recursos naturais) para superá-la? É um desafio.

Existe esta mesma crise no Brasil? Não. Existe uma repentina alta de preços, provocada por fatores externos. Dispomos de condições suficientes para superá-la? Sim.

Se produzirmos mais bio-combustível, deixaremos de produzir alimentos? Também não. O que é inadmissível é que os países ricos nos imponham a tarefa de produzir alimentos, para eles, a preços baixos.


Newton Braga,

Professor de economia do Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB)

28.4.08

Lula = Efeagacê ?

Primeiro clique aqui e leia matéria de Carollina Andrade sobre a pesquisa CNT/Sensus.

O povo ama Lula. Ele ficará no inconsciente do povo como o maior líder do país. Acima de nomes como Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek.

Não tiro os méritos deste governo. Até porque é o melhor da história do Brasil. Nunca antes na história deste país uma porrada de coisa. Mas será que este governo e este presidente são tão bons quanto o povo pensa?

As políticas sociais, mesmo que não emancipem o povo, vêem reduzindo as desigualdades e aumento as oportunidades. Ok.

Na política econômica este governo faz o que tem que fazer e ainda conseguiu tirar o Brasil da lógica neo-liberal. De quebra ainda influenciou toda a América Latina neste rumo. Ok.

Crescemos economicamente distribuindo renda!

Na política externa o governo se mostra de esquerda e ampliou os diálogos do país com todo o mundo. Literalmente. Ok.

Mas e a ética? E a condução política? E as medidas provisórias? Não, não sou contra as medidas provisórias. Muito pelo contrário. É um dispositivo constitucional dos mais importantes. E não há problema de excesso de MP's. Se há muitas MP's que o Congresso discuta muito e vote muito. O problema é o desrespeito à Constituição Federal por parte do executivo!

"Em caso de relevância e urgência, o Presidente da República poderá adotar medidas provisórias, com força de lei, devendo submetê-las de imediato ao Congresso Nacional."

"A abertura de crédito extraordinário somente será admitida para atender a despesas imprevisíveis e urgentes, como as decorrentes de guerra, comoção interna ou calamidade pública"

Trecho constitucionais violentados rotineiramente.

E não para por aí os problemas da relação do executivo com o legislativo. A manutenção da política do toma-lá-da-cá, da troca de cargos por votos é tida como normal, natural, esperava, aceitável.

PAC do Daniel Dantas

Agora, para igualar este governo com o anterior em relação a falta de pudor, estamos assistindo o nascimento da BrOI, o PAC do Daniel Dantas.

Daniel Dantas está por trás de tudo que há de "estranho" no Brasil. Plano Collor, privatização das teles, mensalão, BrOi... Tudo tem as impressões digitais do banqueiro baiano. Suspeito que um dia ainda provarão que ele mandou Ronaldo marcar Zidane naquele escanteio em 98.

Já seria absurdo o suficiente o casuísmo de mudar a lei para beneficiar esta ou aquela empresa, para possibilitar esta ou aquela transação, mas há muito mais por trás disto. Ela é o fechamento do processo (obscuro) que começou com a privataria do governo Efeagacê.

Nessa "brincadeira", Dantas deve levar algo em torno de R$ 1 bilhão. Este é o preço pelo silêncio dele. O que ele pode ter a dizer de tão importante que vale a pena mudar as leis para ele ganhar essa bolada?

Para o negócio se concretizar Lula terá de sujar as próprias mãos e assinar um decreto presidencial mudando o Plano Geral de Outorga (PGO). Pode, também, não fazê-lo.

Se Dantas abrir a boca Lula não cai. Essa pesquisa da CNT/Sensus mostra o quão firme está a popularidade do homem, a economia está estável e não tem EUA nem "crise" de alimentos que vá mudar isso.

Lula tem uma grande chance. A chance de dizer não. De ir para o enfrentamento. De mostrar que seu governo pode ser diferente dos que o antecederam. Dantas falará tudo? E dai? Lula não cai mais.

26.4.08

Paulo Renato

Sempre falei aqui deste "um peso, duas medidas" com o qual a grande imprensa trata o governo e a oposição.

Na edição do "Correio Braziliense" de ontem (26 de abril) a capa destacava a "crise de alimentos". Falava também sobre concurso público, imposto de renda, a compra da Brasil Telecom pela Oi, a economia argentinas sob o controle de Néstor Kirchner, a CPI dos cemitérios, o caso Bargaço, o caso Isabella (claro), o acidente do césio que aconteceu em Goiânia em 1987 e o relançamento de "Moby Dick" em edição de luxo.

Lá pela página 4 (página par, menos lida) foi publicada a matéria "CGU condena gastos de Paulo Renato", do ótimo jornalista Leandro Colon. Segundo a matéria o senador João Pedro (PT-AM) acusa Paulo Renato de pagar com dinheiro público hospedagem sua e da sua esposa, então namorada, na época que era ministro da educação, no governo FHC. Seria uma nota de R$ 562,30 e outra de R$ 2.153,10. Haveria ainda 52 notas de serviço de transporte pago por Paulo Renato à LCM Transporte e Serviços-ME em viagens rotineiras ao Rio de Janeiro entre 2001 e 2002. Os gastos somam R$ 25.541,96.

O senador petista destacou que, embora haja intervalo de vários dias entre as viagens, as notas da empresa são de numeração seqüenciada.

Ainda segundo a matéria a Controladoria-geral da União diz não haver amparo legal para o pagamento de hospedagem da então namorada do então ministro. Paulo Renato, diz não ver problema nenhum.

Há irregulares? Sabe-se lá. Tem que haver investigação como em qualquer denúncia.

Agora, imagine uma mudança de personagem na história. Se não fosse Paulo Renato Souza. Se fosse José Dirceu, Waldir Pires, Humberto Costa ou Olívio Dutra? Seria manchete na primeira página e destaque na página 3. Assim como a história da tapioca. Na imprensa brasileira pau que bate em Chico não bate em Francisco.

Genocídio

Quando a menina nós ainda não sabemos, mas eles devem ter jogado a gramática pela janela.

Dois lados da mesma moeda

Tirado do site Imirante:

********************************************

"O Tribunal de Contas da União (TCU) condenou os ex-prefeitos de Chapadinha (MA) Isaías Fortes Menezes e Magno Augusto Bacelar Nunes ao pagamento de R$ 34.434,54 e R$ 313.879,68, respectivamente. Foi constatado desvio, em ambas as gestões, de recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Alguns alimentos foram comprados de empresas que não existem nos endereços declarados nas notas fiscais.

Há ainda indícios de direcionamento nos processos de licitação. O ex-prefeito Isaías Fortes, o presidente da comissão permanente de licitação, Levi Silva Mota, e Francisca Gomes Aguiar, membro da comissão, também foram multados, individualmente, em R$ 6 mil."

********************************************

Lembro-me da minha infância em Chapadinha sempre com nostalgia. A politíca dali sempre foi dividida pelos grupos políticos tradicionais. Os "pebas", com Isaías Fortes Menezes (PP), e os "cambirimbas", que se diziam contrários às práticas políticas dominantes. Lembro que quando Magno Bacelar (DEM) foi eleito prefeito a sensação era de que tínhamos nos livrado de corrupção e obscuridão no trato da coisa pública. Agora o TCU vem dizer que ele é quase 10 vezes pior que seu antecessor.

Este ano tem eleição municipal. Nenhum dos dois será candidato. Magno porque já foi reeleito, Isaías porque está inelegível. Porém, os dois estarão presentes com seus grupos políticos apoiando este continuísmo. O povo dali espera uma terceira via.

24.4.08

Como havíamos adiantado

Num furo jornalístico, o Blog do Braga adiantou aqui que o PT vetara aliança com o PSDB nas eleição municipal deste ano em Belo Horizonte.

Segue a íntegra da resolução:


1) O 3º Congresso Nacional do PT, realizado em 2007, e posterior resolução do Diretório Nacional sobre Tática Eleitoral, consideram o PSB, o PCdoB e o PDT como aliados prioritários nas eleições de 2008. Portanto, a posição do Encontro Municipal de Belo Horizonte, ao definir apoio a um candidato a prefeito do PSB está adequada à diretriz nacional definida pelas instâncias partidárias.

2) A Resolução do DN sobre tática eleitoral estabeleceu, ainda, que as alianças com o PSDB e com o DEM (ex PFL), em cidades com mais de 200.000 habitantes, Capitais dos Estados e cidades que transmitem horário eleitoral de TV só poderiam se dar como exceção e mediante autorização da CEN.

3) O significado é o simbolismo de uma aliança PT/PSDB em Belo Horizonte extrapola a dimensão política de um simples acordo municipal. Revela uma aliança explicitada e documento aprovado pelo Encontro Municipal com o Governador do Estado de Minas e potencial candidato a Presidente da República, Aécio Neves. Por isto, contraria a posição definida pelo Diretório Nacional para a política de alianças e desrespeita a avaliação política do próprio Diretório Regional de Minas firmada na sua Resolução nº 002/08, segundo a qual:

O Governo Aécio não se coaduna com o que o PT quer para Minas Gerais e muito menos para o Brasil. Reafirmamos nossa oposição programática ao governo estadual, conforme Resolução do 3º Congresso Estadual, em razão de ações como: mínimos investimentos na área social, ausência de participação popular, falta de transparência no gasto público e sua concepção de estado mínimo.

4) O DN e o Diretório Estadual de Minas Gerais consideram o governo Aécio Neves uma administração comprometida com políticas frontalmente distintas daquelas que compõem nosso ideário e o nosso programa de governo.

5) A Comissão Executiva Nacional decide:

Comunicar ao Diretório Municipal de Belo Horizonte e ao Encontro Municipal para definição de tática eleitoral, que não autorizará, em nenhuma hipótese, o PT a participar de qualquer coligação da qual faça parte o PSDB naquela capital.

Nana nina não

O Blog do Braga acaba de ser informado pro fonte interna que a executiva nacional do PT decidiu intervir na escolha da tática eleitoral do partido em Belo Horizonte.

Documento aprovado por 13 votos a 2 definiria o governador Aécio Neves como oposição e avisaria ao encontro municipal que ocorrerá no próximo final de semana que será vetada qualquer aliança com o PSDB naquela capital.

A qualquer momento a decisão deve ser tornada pública.

Alckmin vai pipocar?

O ex-governador do umbigo do mundo, Geraldo Alckmin (PSDB), quis porque quis ser candidato a presidência em 2006. Brigou pela indicação do partido contra ninguém mais ninguém menos do que um fundador do partido, ex-ministro, ex-senador e então prefeito de São Paulo José Serra (PSDB).

Foi candidato e foi pífio. "De onde veio o dinheiro do dossiê", quase berrava nos debates os candidato-presidente Lula (PT). Conseguiu a façanha de ter menos votos no segundo turno do que tivera no primeiro. Isto depois de todas as crises pelas quais Lula passou na presidência e com toda a grande imprensa do seu lado.

Agora ele quer porque quer ser candidato a prefeito de São Paulo. Se for candidato será pífio. Não terá discurso. Não poderá criticar administração tucano-democrata de Gilberto Kassab (DEM), mas também não poderá defendê-la (Se ele é a favor da administração de Kassab pra que concorrer contra ele?).

Desde a primeira pesquisa ele só caiu. As vezes mais, outras menos, mas sempre caindo. Kassab por outro lado vem crescendo paulatinamente. O tucano correria o risco de não ir para o segundo turno e se sepultar politicamente. Se for para o segundo turno e perder para Marta Suplicy (PT) será sua segundo derrota consecutiva e ficará com a marca de quem brigou pela segunda vez para ser candidato e perdeu de novo.

Pra piorar sua situação o ex-governador Orestes Quércia, presidente estadual do PMDB, (clique aqui para ler sobre Quércia e a pipoca) fechou acordo com Kassab. O acordo prevê que Quércia apoiará Kassab indicando a vice na chapa e aumentando seu tempo na propagando eleitoral para cerca de oito minutos. Em troca Quércia terá o apoio do próprio Kassab e de Serra, provável avalista secreto do acordo, quando disputar uma vaga no Senado, em 2010.

Se tiver juízo Alckmin deixa essa disputa para concorrer ao governo paulista em 2010 com o apoio de toda a direita paulista, mas será necessário muito poder de persuasão para leva-lo a desistir de concorrer à prefeitura.

Quem sabe dança...



... quem não sabe assiste.

Pronto, agora ninguém segura ele

O príncipe dos sociólogos e ex-presidente desta República Efeagacê é o único brasileiro numa lista de 100 intelectuais da atualidade de todo o mundo.

A responsável é a revista estadunidense Prospect.

Agora é que ninguém vai aguentar a pedância do homem mesmo.

Leia aqui

21.4.08

Falei sério

Não estava brincando. Eu realmente fui andar de metrô de graça. Que pandemônio!

Todos os vagões completamente lotados. Muito além de um limite de segurança. Que falta de preparo para um governo tão metido a besta no que diz respeito a organização.

Mas uma das poucas, pouquíssimas, coisas boas que este governo vem fazendo de bom é tentar dar um sentimento de "brasilianidade" à população daqui. Orgulho da própria cidade e identificação da população com ela mesma são coisas que faltam ao povo de Brasília. Eu mesmo não tenho.

Tirando isso, esta festa é uma pirotecnia popularesca sem igual.

A imprensa local, claro, está de joelhos. É toda chapa-branca. Ninguém que grita aos quatro ventos que o PAC, um programa de investimentos em todo o país com o objetivo de acelerar nosso crescimento econômico, é um factóide eleitoreiro tem a mesma bravura para dizer o mesmo sobre uma festa custeada pela viúva brasiliense com RBD, Leonardo, Chiclete com Banana e Capital Inicial em plena esplanada dos ministérios com passagem de metrô de graça.

É um absurdo ver os hospitais e as escolas do DF em situações degradantes e todo este dinheiro ser gasto dessa forma. Seria mais ou menos como o reitor de uma universidade sucateada gastas meio milhão de reais, que deveriam ir para pesquisas, na reforma de um apartamento.

A imprensa, liderada pelo Correio Braziliense, enaltece o mau uso do dinheiro público. O violador de painel tem mesmo motivos para rir.

Caymmi e Chico



"A Vizinha do Lado"
Composição: Dorival Caymmi

21 de abril

Hoje é um dia de muitas coisas.

Estima-se que em 753 a.C., nesta data, Rômulo fundou Roma, a cidade eterna.

Em 1927 o estádio de São Januário foi fundado, num dos mais belos capítulos da história do Club de Regatas Vasco da Gama.

Hoje seria aniversário do sociólogo Max Weber e do governador Mário Covas. A rainha da Inglaterra Elizabeth II também completa anos hoje.

É também aniversário de falecimento de personalidades como Ranieri Mazzili, Luís Eduardo Magalhães e Telê Santana.

Tancredo Neves também morreu num 21 de abril. Sorte a dele. Foi um grande brasileiro, defensor das liberdades e combatente das injustiças e morrer antes de assumir a presidência da República foi a melhor saída para uma bela e vitoriosa vida. Ele não era um político com traquejo para o executivo e teria feito um governo tão ruim quanto fez o seu vice, José Sarney. Ao invés de decepcionar o povo que tanto o defendeu, ele faleceu e permanece no imaginário do povo com a imagem do grande democrata, que de fato foi.

Outro mineiro lembrado no dia de hoje é Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. Este talvez seja a maior farsa da nossa história. O único pobre na história da Inconfidência Mineira, união de burgueses que não queriam pagar altos impostos, ele foi o único morto pelo Estado brasileiro e anos depois tido como líder do movimento e mártir de uma causa justa, a independência do Brasil. Pura ilusão vinda da necessidade que a recém proclamada República tinha de forjar um herói nacional. Até hoje este dia é feriado em todo o país em sua memória.

Como se não fosse suficiente, o ex-presidente Juscelino Kubitschek torrou o dinheiro público na construção de uma cidade desnecessária e a fundou nesta mágica data. Brasília é o encontro de todo o Brasil, de todas as culturas de um país tão diverso, tem prédios e monumentos deslumbrantes projetados pelo genial Oscar Niemeyer, mas, sobretudo, é um tremendo derramamento de dinheiro público em formato de mármore. Símbolo de um governo liderado por um homem que veio de baixo, se tornou "podre" de rico e governou sem a menor preocupação social.

A comemorar mesmo só a fundação de São Januário.

Agora com licença, vou ali andar de metrô de graça.

Péssima entrevista, péssimo advogado

É difícil fugir da grande pauta do momento. A tragédia da menina Isabella Nardoni toma conta das rodas de conversas por todo lugar.

A entrevista exclusiva do pai, Alexandre Nardoni, e da madrasta, Anna Carolina Jatobá, ao Fantástico deste domingo deve piorar substancialmente suas imagens, já execradas, perante a opinião popular.

Eles são inocentes. Partindo-se o pressuposto que todos somos até que provem em contrário. Dito isso, sigo meu texto.

A Globo não escalou para entrevistá-los o César Tralli ou o Alexandre Garcia, mas sim Valmir Salaro, um jornalista prudente e experiente, que já cobriu casos como o da Escola Base. Valmir não foi incisivo, não colocou o casal contra a parede, não mostrou incoerências. Limitou-se a questionar sobre a marca de sangue no carro e perguntar umas três ou quatro vezes como eles estão se sentindo.

O ideal seria fazer a entrevista de forma a tentar buscar a verdade. A Globo preferiu se limitar a dar todo o espaço possível para o acusados se defenderem e manter a audiência alta. E esta é exatamente a pior parte para o casal. Mesmo a Globo tendo sido tão leve na entrevista, eles conseguiram não explicar nada e serem repetitivos nas respostas prontas. Nem sequer demonstraram revolta com relação a pessoa que teria matado Isabella.

O advogado foi incompetente. Teve uma grande oportunidade. Os dois principais clientes da sua carreira falando em rede nacional, por mais de 20 minutos, num dos programas de maior audiência do Brasil, com um entrevistador "camarada", e eles ficaram repetindo que a família é unida, que ninguém os conhece, que não sabem explicar o que estão vivendo.

"Alexandre, vão te perguntar sobre o sangue. Aí você responde isso, isso e isso." O cara podia falar qualquer coisa, mas preferiu dizer que o sangue que a perícia encontrou nunca existiu. Que raio de estratégia de defesa é essa?!

As perguntas, em casos como este, geralmente são combinadas com o jornalista. Imagino que desta vez não foi. Se o advogado tiver pedido pra ele repetir a mesma pergunta quatro vezes e não questionar as evidências (tempo entre eles chegarem ao prédio e a criança cair, marca da tela na camisa dele, não terem ligado pro socorro) que a polícia usa para indiciá-los ele realmente não é um gênio. Imaginem se Valmir os pressionasse e eles respondessem convincentemente a todas as questões.

Aí eu poderia ter de volta aquela esperança que tentei manter de uma terceira pessoa ter estado naquele apartamento.

20.4.08

Entrevista imperdível

A ministra Dilma Rousseff concedeu ótima entrevista ao jornalista Ricardo Kotscho, meu colega de portal.

Dilma falou "dentro de mim mesma eu nunca falei não pra ele (presidente Lula) e nunca vou falar na vida" (grifo deste blog). Juntando-se a isso o fato de ela ter dito que, como todo brasileiro, ela gostaria de ser presidente da República o que pode-se tirar disso? Ela é pré-candidata a sucessão de Lula e, ela vencendo, o barbudinho vai continuar dando as cartas. Ceteris paribus, ele voltaria em 2014 sem resistências de Dilma.

A ministra não deve pensar em ser candidata. A ministra não deve ser candidata. Dilma é ótima naquilo que faz hoje. A chefia da Casa Civil é o ápice dela. Se o PT fizer o sucessor de Lula ela deve até continuar no cargo que tem hoje. Ser candidata não é pra ela. Ela não tem traquejo, não tem o apoio do partido, não tem o apoio dos partidos aliados.

Mas vale a pena ler a entrevista.

Clique aqui

Campanha começa na internet

A campanha municipal deste ano? Não, a campanha presidencial da ministra Dilma Rousseff. Os blogueiros lulistas já compraram a idéia.

Não mudo de opinião. Esta pré-candidatura é um bode na sala.

19.4.08

Problema na testa?



Reparem a reação de Marta Suplicy

"Demo... quem?"


O PSDB realmente não está nem aí pro seu amiguinho ex-PFL.

Segundo a "Folha de S. Paulo" de hoje, em matéria de Kamila Fernandes, o partido "social-democrata" (as aspas não são à toa) decidiu não lançar candidato à prefeitura de Fortaleza, terra do senador cacique Tasso Jereissati (PSDB-CE) (foto).

Junte-se a isso o fato do líder nas pesquisas de intenção de voto para a prefeitura da capital cearense ser o ex-deputado Moroni Torgan (DEM-CE).

Então é claro que os tucanos apoiaram o "democrata" (estas aspas também não são à toa), não é. Não, não é.

O PSDB, ainda segundo a matéria de Kamila, apoiará a senadora Patrícia Saboya (PDT-CE) (foto), ex-esposa do ex-governador e deputado Ciro Gomes (PSB-CE), eterno aliado de Tasso.

O "socialista" (claro, estas aspas também não são à toa) também declarou apoio a Patrícia, apesar do seu partido apoiar a candidatura a reeleição da atual prefeita Luizianne Lins (PT-CE).

fotos: Agência Senado

Sambinha com Chico e Tom



"Sem compromisso"
Composição: Nelson Trigueiro / Geraldo Pereira

18.4.08

"Como assim, Bial?"

Estimados leitores, juro que não sou rabujento, mas hoje as notícias estão difíceis de engolir.

Clique aqui, leia a matéria e passe raiva.

Parem tudo. Cancelem o concurso. Processem o responsável. Isto é um completo absurdo!

Para ser servidor público em Taubaté é necessário saber sobre BBB e sobre uma recente separação de atores "globais".

Confesso. Não sei. Não tenho idéia de quem se separou. E não me importa. Não importa ao funcionalismo público. Não é concurso para trabalhar na Tititi, pô.

Só a finada velhinha conseguiria defender estes.

E a pipoca?

Em 1994, o então candidato à presidência da República Orestes Quércia (PMDB-SP) criticou Lula (PT-SP) pela sua inexperiência administrativa. Torpedeou: "Lula nunca dirigiu nem um carrinho de pipoca". A resposta do petista foi antológica: "É verdade que nunca dirigi um carrinho de pipoca, mas também nunca roubei a pipoca".

Mas o tempo é o senhor da r... Quer dizer. O tempo muda as pessoas.

Hoje Quércia é cortejado pelo PT. Os correligionário de Lula e de Marta Suplicy (PT-SP), pré-candidata a prefeitura de São Paulo, almejam o apoio do peemedebista à candidatura da petista e, segundo a imprensa, prometem em troca apoio para sua eleição para o Senado em 2010.

O ex-PFL, hoje Democratas, também quer Quércia. E a promessa, ainda segundo a imprensa, é a mesma.

Todo mundo quer Quércia. Mas e a pipoca?

Viva Roberto Marinho (?)

O jornalista e empresário Roberto Marinho faleceu em 2003. Lula, o ecumênico, foi chorar ao lado da sua sepultura. O senador Marco Maciel (DEM-PE), um "democrata", apresentou projeto para alterar o nome da Ordem do Mérito das Comunicações para Roberto Marinho. Adivinha o que o presidente Lula fez. Sancionou o projeto.

:o

Na justificativa do projeto Marco Maciel diz que Marinho "marcou, de forma indelével, a história da comunicação social de nosso país". Para por aí? Não. Maciel ainda fala do caráter empreendedor do empresário, responsável pela integração nacional por meio da televisão.

Repito. Lula sancionou o projeto.

Me permito não alongar este post em comentários.

Estes mais do que aqueles

Já falei aqui que não gosto de criticar as decisões do Banco Central. Se os diretores compõem o Comitê de Política Monetária é porque entendem mais de economia do que eu. Porém, outros, que também entendem mais do que eu, discordam do COPOM, e eu acho que estes entendem mais do que aqueles.


0,5% de aumento da SELIC.

Eles já erraram na dose lá atrás, e parece que erram agora de novo.

Faltou confiança na economia brasileira.

Não há inflação de demanda.

A maior conseqüência disto é o aumento da dívida.


Vocês já leram tudo isso em algum lugar. Até os editoriais dos jornalões ficaram contra a decisão do COPOM. Este blog não pode deixar de fazer coro. Estamos de saco cheio desta política monetária.

Globo e Lula, tudo a ver (?)

Segundo o Radar online da revista Veja, editado pelo jornalista Lauro Jardim, o governo Lula renovou as concessões das cinco principais emissoras da TV Globo, as do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Recife e Belo Horizonte. As concessões são válidas por 15 longos anos.

Se você já leu este blog antes e chegou até esta parte do texto deve estar esperando que eu critique esta renovação. Não. Discordo de Ana Paula Bessa, acho a Globo importante para o Brasil, até para a integração nacional, não só historicamente. Mas discordo (sempre discordo de algo) dessa renovação quase automática.

A renovação foi aprovada pelo Senado Federal no ano passado e agora o executivo confirmou. E a discussão? Onde? Cadê? "Nada, besteira. Discutir é para os fracos". Não se trata de qualquer concessão, mas da mais importante deste país. Renová-la desta forma é tão grave quanto a não renovação da concessão da RCTV na Venezuela. O debate destas renovações como questão de interesse público, que são, seria o melhor caminho para a melhora da televisão.

Não debater, não criticar, não fazer ressalvas faz parecer que a Globo está correta. Somos todos Homer Simpson, não é mesmo? Não, não somos. E não podemos ser tratados assim. Nem pela Globo, nem pelo governo, ora.

A Globo, juntamente com a MTV, é o que há de pior na televisão brasileira. Deve continuar existindo? Sim, mas não desta forma. Tem que se portar como concessão pública.

E que fique claro que não estou nem criticando a jornalismo, não. Falo de "Malhação", "Big Brother Brasil", novela das 8, seja lá qual for, etc. Esta cultura de massa é o circo que continuará por 15 anos sem ser debatido.