30.9.07

Para relaxar

Domingo a noite.

Campeonato de Fórmula 1 decidido.

O Vascão perdeu (roubado, é claro).

Amanhã dia de pegar no batente (e de eu voltar à programação normal do blog).

Para relaxar um pouco de palavrão:

29.9.07

Está acabando

A enquete sobre a mídia brasileira encerra-se amanhã.

Depois virá uma novinha.

Soninha

A ex-VJ da MTV, apresentadora da ESPN Brasil e vereadora da cidade de São Paulo Soninha Francine pediu sua desfiliação do PT e enviou a seguinte carta ao partido:


"Mensagem ao Partido
O título me ocorreu espontaneamente; não resisti à tentação de usá-lo... (É o nome da tese que assinei, ou seja, que eu apoiei no Congresso do PT).
Pensei em escrever apenas “venho por meio desta solicitar minha desfiliação do Partido dos Trabalhadores”. Mas seria formal demais, frio demais para uma relação de 26 anos.
Não, eu não tenho a pretensão de me gabar de ter sido uma das fundadoras do PT (eu tinha 14 anos!). Apenas me identifiquei com o partido desde que ele foi fundado, e sempre me considerei petista e militante. Sem aquela participação “orgânica” que para muitos é a única que vale, mas indo muito além do mero voto na eleição. Pegava material para distribuir, participava das campanhas, entrava em discussões e debates, públicos ou familiares. Essa militância não-orgânica que, acredito, ajudou o partido a crescer em reconhecimento e prestígio na sociedade.
Mas agora estou saindo, e se não quero fazer nada muito frio, também não acho que deva ser “quente”, cheio de carga emocional, ódio e ressentimento.
Nos últimos meses foi assim: alguns me aconselhavam, exortavam, imploravam para que saísse do PT, cheios de fúria – uma parte deles dizendo “eu também era petista, e o partido me traiu”; outra parte, “sempre odiei esse partido”. Havia também os que suplicavam para que eu não saísse: “não acredite no que dizem da gente, é tudo mentira!” -- ou, coincidindo com que eu decidi fazer, “fica, vamos brigar aqui dentro”.
Que nenhum outro partido desperte tantas emoções pró e contra é um fenômeno que não vale a pena discutir agora..
Pois bem: sem drama, sem ódio, resolvi sair do PT. Já andava desanimada demais, sem disposição para continuar brigando dentro dele, por ele.
Em qualquer relacionamento temos problemas, crises, conflitos, divergências. Eles não precisam determinar a separação. Mas, se ao fim de algum tempo, houver mais divergências que afinidades, mais distância que proximidade, chega-se a um ponto em que não faz sentido “segurar” a relação.
Não saio do PT por causa dos erros graves cometidos por integrantes do partido; o desafio de toda instituição é identificar, punir e criar mecanismos para evitar desvios, deturpações, ilicitudes. Nenhuma está imune a isso. Saio porque acho que algumas de nossas inclinações, hoje, são muito diferentes. Onde o partido já foi até intransigente, ficou muito concessivo. Onde eu acho que é o caso de negociar, o PT se recusa. Quem conviveu comigo nesse tempo de mandato sabe das nossas divergências -- naturais, inevitáveis, mas talvez predominantes hoje em dia.
Não vou, de um dia para o outro, renegar o que defendi, só porque saí do partido – se eu nunca deixei de criticá-lo quando estava dentro... Não era defensora fanática, não serei detratora do mesmo tipo. Não sou fanática!
Era muito provável que eu saísse do PT para não entrar em partido nenhum. Já tinha decidido que não seria candidata a um novo mandato na Câmara Municipal. Por desistir da política? Não, para me dedicar ao serviço público em outro lugar, sem planos de disputar novo mandato eletivo e sem procurar outra legenda. Sempre disse que partido perfeito não existe; seria bobagem deixar o PT com a esperança de encontrar um lugar sem problemas, desconfortos, atritos.
O PPS mostrou interesse em ter em seus quadros alguém “independente” -- o tipo de “problema” que eles querem ter, pelo que entendi. Não se apresentou como o céu, o olimpo, a terra pura, mas uma instituição que quer se qualificar, aperfeiçoar, se tornar sempre mais consistente. E que ofereceu a oportunidade empolgante de disputar no ano que vem a prefeitura de São Paulo; a chance de entabular um debate rico, baseado em visões da cidade, diretrizes, propostas, reconhecendo honestamente boas experiências aqui ou em outros lugares do Brasil e do mundo, estabelecendo um compromisso com algumas metas e não promessas fabulosas.
Continuarei com respeito, admiração e afinidades com muitos petistas... Não torço para que o PT "se dê mal"; enquanto a democracia se basear nesse modelo com partidos (pressinto que em algumas décadas teremos outros modos de organização, mas isso é lucubração para outra hora), ela continuará precisando de bons partidos, para que tenhamos o debate, façamos o bom combate. Espero, agora, que se cumpra a profecia de um colega (do PC do B!): “Vai ser bom pra cidade”.
Atenciosamente,
Soninha Francine"

Quem matou Taís?

O principal vilão da novela!

Tô bobo

¬¬

27.9.07

Do Elio Gaspari ontem na Folha

"Se o ministro da Articulação Política do governo fosse um petista saído do movimento sindical, o céu já teria desabado sobre Brasília.

Imagine-se um companheiro metido numa reunião para definir a arrecadação da caixinha eleitoral de um candidato que acabou derrotado na eleição de 1998. Some-se um empréstimo pessoal feito por esse mesmo petista ao candidato, depois de sua derrota. Walfrido Mares Guia fez tudo isso, mas o tucanato trata o assunto com um silêncio retumbante, indicador do oportunismo com que manipula a moralidade alheia.

Mares Guia não é um sindicalista, mas próspero empresário; não está no ABC, mas na plutocracia mineira; não se meteu na campanha dos companheiros, mas na do então governador Eduardo Azeredo, que viria a ser presidente do PSDB. Sua praia é outra, a do tucanato que considera falta de educação tratar das maracutaias do andar de cima."

Duas boas do Senado hoje

O Senado acabou com um monstro que era institucionalizado: Sessão secreta nos pedidos de cassação de mandatos.

Vence a transparência e a democracia.



Hoje também o Senado derrubou a medida provisória que criava a Secretaria de Planejamento a Longo Prazo da presidêncida da República, apelidada de "Sealopra".

Os motivos que levaram a MP a ser rejeitada não são os mais republicanos (briga por cargos), mas o fato é que este era um dos ministérios mais desnecessários que havia. O pior é que têm piores.

Ficará Mangabeira Unger aumentando as estatísticas de desemprego?!

Que seleção!

Dia desses conversava com a jornalista Tereza Cruvinel num dos corredores do Congresso e a disse: "Olha, você, o Franklin (Martins) e a Helena (Chagas) foram as pessoas que me fizeram gostar de jornalismo". Ela, que algumas horas antes havia acertado o retrovisor do meu carro (¬¬), sorriu e prometeu nos conceder uma entrevista exclusiva. Com tanta coisa pra fazer acabei nunca cobrando-a a entrevista e agora ficará ainda mais difícil nossas agendas se encaixarem, por motivo mais que nobre.

Estes três nomes, que tanto admiro, comandarão aquele que será o melhor jornalismo desta terra tupiniquim.

Franklin Martins já é o secretário de Comunicação Social da presidência da República, com status de ministro, Tereza assumirá nada mais nada menos do que a presidência da TV pública e Helena Chagas tornar-se-á (segunda mesóclise da história do Blog) a comandante do jornalismo do canal.

Parabenizamos, não só as jornalistas pelos novos desafios colocados a elas e que certamente cumprirão com a mesma competência que têm conduzidos suas carreiras, mas também o governo pelas excelentes escolhas.

25.9.07

Política de Lula aumentou desigualdade, denuncia César Borges

O site oficial do senador César Borges diz:


Borges trocará o oposicionista Democratas pelo governista Partido da República.

Ótima dica

Acerto de Contas

E o Curinthians?

Duas do painel da Denise Rothenburg

"Querida, encolhi o partido

Os deputados do PPS estão atônitos com os números. Eles apostam que, no próximo dia 4, quando termina o prazo de troca-troca pré-eleição municipal, levarão o troféu encolhimento. O partido elegeu 23 deputados. As contas indicam que sobrarão apenas 11."

Em outras palavras: Vai virar outro Psol.



"
Cansei II, a missão/ O deputado Gastão Vieira (foto) editou um novo “Cansei”, desta vez voltado à ditadura dos líderes de um pequeno grupo que manda no Parlamento. “Ex-governadores, ex-secretários, ex-ministros, profissionais liberais, que lutaram e sonharam chegar aqui, vagam pelos corredores, pelos sofás, pela leitura dos jornais, nesse caminho até o gabinete, porque nada mais têm que fazer a não ser apertar o sim ou o não ou a obstrução. Nada mais. Nenhum papel resta para nós nesta Casa”, reclama, disposto a criar uma cruzada."

Em outras palavras: Candidato a compor a mesa diretora. É o baixo-clero, defendido por ele, que decide estas eleições.

Mentira do Painel

Sinais. Um grão-petista interpreta as reiteradas declarações de Ricardo Berzoini de que não pretende disputar novo mandato de presidente na eleição interna de dezembro: "Muita gente perguntou se ele queria. Mas ninguém chegou e disse "eu te apóio"".

Não é verdade. Eu, que sou eu, já presenciei mais de 20 deputados declarando apoio e pedindo que Berzoini repense sua decisão de não se candidatar à reeleição.

Palpite: Basta Lula pedir que ele aceita. Voltaria com um cacife político bem aumentado.

Contra-candidatura

Matéria de Ricardo Galhardo no "O Globo" de hoje:

"Líderes da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB, o antigo Campo Majoritário), contrariaram o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e se recusaram a homologar o nome de Marco Aurélio Garcia como candidato à presidência do PT em reunião realizada ontem. Diante de Garcia, nome defendido por Lula, líderes do CNB imploraram ao atual presidente, Ricardo Berzoini, que volte a se candidatar. Berzoini recusou, mas o CNB não desistiu de seu nome e adiou para os dias 6 e 7 de outubro a definição.

- Foi constrangedor. O Marco Aurélio lá sentado, colocando o nome na disputa, e os oradores implorando para o Berzoini aceitar a reeleição- disse um participante da reunião.

O objetivo da reunião era homologar o nome do candidato da corrente no Processo de Eleições Diretas (PED), marcado para dezembro.

Entre os que defenderam Berzoini estão os deputados João Paulo Cunha (SP) e Paulo Rocha (PA), denunciados por participação no mensalão. O ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, também denunciado, participou da reunião, mas não se manifestou. Berzoini recusou o convite, alegando motivos familiares.

Lula, integrante do CNB, foi alvo de críticas na reunião. Líderes da corrente reclamaram que tentam marcar há mais de 20 dias uma conversa com o presidente e não conseguem. O objetivo seria pressionar Lula a pedir que Berzoini seja candidato."



Se a imprensa não gostar de Berzoini, eu gosto. Se a imprensa não gostar de tardes cinzentas, eu gosto. Se a imprensa não gostar do Galvão Bueno, peraí, tudo tem limite.

Não é julgando não

O ministro do fisiologismo político Walfrido dos Mares Guia (PTB) pode até ser inocente, mas há mais indícios contra ele do que contra o ex-ministro José Dirceu (PT).

É a mídia, estúpido!

24.9.07

Deputada petista deverá ter o processo arquivado


O corregedor da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputato Rôney Nemer (PMDB), apresentou hoje parecer pedindo o arquivamento da denúncia feita contra a deputada Érika Kokay (PT).




Mais informações


Eles leram o Blog do Braga

São farinha do mesmo saco sim

No post "Mensalão mineiro" falei que PT e PSDB são farinha do mesmo saco.

São mesmo.

O PT é um tipo de PSDB proletariado e, até há pouco, dono da ética. O PSDB é um PT elitista e eterno dono da sabedoria. Para os vermelhos só se é ético se for do PT. Para os tucanos quem não está com eles é burro.

São partidos primos. Nasceram em São Paulo, durante a ditadura. Na primeira eleição presidencial após a ditadura estiveram juntos no segundo turno e só não se aliaram já no primeiro turno de 1994 porque a dita esquerda do PT vetou. Grande erro. O Brasil seria melhor se PT e PSDB fossem aliados. PFL, PTB, PP e todo a direita deveria ser o adversário comum a ser derrotado.

A coalizão de um governo de centro-esquerda seria capitaneada por estes dois pólos que se digladiam. Juntos com o PDT, a força do PMDB, o PCdoB e o PSB far-se-ia um governo realmente com o vetor ideológico de esquerda moderada, e não de direita-centro-esquerda como temos hoje.

Dizer que são farinha do mesmo saco não é dizer que são todos ladrões. É que eles têm muito em comum mesmo. Começando pela sede pelo poder. Talvez o maior empecilho para esta coalizão de centro-esquerda. Quem seria a cabeça da chapa? Nenhum dos dois abriria mão para o outro. Já pensou José "compromisso" Serra candidato a presidente com Dilma Rousseff na vice?! Eu apoiaria, mas vai falar disso com o PT pra você ver.

Este “valeriodutos” são sintomas desta sede pelo poder. Em nome dos seus projetos os dois partidos fizeram aquilo que sempre condenaram. Não para enriquecimento deste ou daquele candidato, mas para chegar ao poder e aplicar seus programas partidários.

PT e PSDB, farinha do mesmo saco (ainda bem).

Roberto Campos X Futuro presidente do PT

TV Brasil

A TV pública vai ganhar imagem.

O nome será TV Brasil e nos bastidores dá-se como certa a indicação de Orlando Senna para a superintendência do canal.

23.9.07

Foca

Foca sou eu, repórter iniciante. Kerlon é um craque.

O drilhe que ele faz quicando a bola na cabeça é belíssimo e os zagueiros devem usar a inteligência. Até hoje esse drible nunca resultou em gol. Se o back só cercar a bola vai cair e pronto.

Hoje é a vez do Vascão enfrentar o Cruzeiro. Kerlon começa o jogo no banco e se entrar espero que a zaga vascaína seja esperta para não ver o drible como provocação.

Melhorando de pouco em pouco

MEC bate recorde de compra de livros

21.9.07

Mas já?

Alberto Dualib renunciou à presidência do Sport Clube Corinthians Paulista.

Foi foi o comando do experiente presidente que o Corinthians ganhou os principais títulos da sua história. Três Brasileiros (um a ser cassado), um título mundial (sem nunca ter ganho a Libertadores) e uma série de paulistas também.

Mensalão mineiro

O procurador-geral da Repúlica, Antonio Fernando de Souza, que almoçou há uma semana com o ministro Joaquim Barbosa e o governador Aécio Neves (PSDB) com direito a uma hora e meia de conversa reservada, deveá denunciar o ex-governador mineiro Eduardo Azeredo (PSDB), o ministro Walfrido dos Mares Guia (PTB), então vice-governador, e uma penca de outros políticos de Minas Gerais no caso do suposto Mensalão mineiro.

Na verdade não foi um mensalão, assim como aquele que quase resultou no golpe branco do impeachment do presidente Lula também não era. O que ocorreu em Minas foi a gênese do valerioduto, um mega-esquema de caixa-2 eleitoral.

Nos dois casos, no tucano e no petista, o crime eleitoral consistiu em arrecadar dinheiro, pelo que foi provado até agora, privado para campanhas eleitorais e não declarar todo para a justiça eleitoral. É crime e ponto. Quem for culpado, e que tenha esta culpa comprovada, que pague pelo que fez.

Não adianta o PT querer taxar o esquema mineiro como mensalão tucano. O caixa 2 ajudou políticos de vários partidos, inclusive do PT, e, inclusive, do PSDB.

PT e PSDB, farinha do mesmo saco.

Madeleine

Há alguns meses vemos diariamente manchetes sobre a caso do desaparecimento da menina inglesa Madeleine, e no meu caso é só manchetes mesmo. Nunca parei para ler sobre o caso. Não sei, sinceramente o que ele tem de especial.

Uma menina sumiu. Com todo respeito a ela e a família, 40 mil crianças somem no Brasil por ano. O que este caso tem de tão especial? Por que Madeleine é tão mais importante que as outras crianças que somem?

Espero, mesmo pessimista, que encontrem a menina com vida, sã, e salva. Espero que encontrem todas as crianças desaparecidas assim.

Notícia boa de verdade

Investimento externo direto cresce 161% no ano e soma US$ 26 bi

Atentado contra imprensa

O Correio Braziliense vem fazendo um jornalismo investigativo brilhante mostrando a realidade da violência no entorno do DF. Como represália, o jornalista Amaury Ribeiro Jr. foi vítima de um atentado na noite desta quarta-feira. Foi alvo de três tiros. Felizmente, apenas uma bala o acertou, ele foi operado e não corre risco.

O Correio conta com a admiração deste blog pelo trabalho de investigação que vem fazendo e Amaury pela aguerrida participação. Esperamos que ele se recupere bem e volte a trabalhar o quanto antes.

Mas peraí. O jornal botou um editorial na primeira página dizendo: "Já passou da hora de o Palácio do Planalto ajudar os governos goiano, mineiro e do DF a enfrentar o banditismo no Entorno do Distrito Federal".

Tá bom, a atual situação da (in)segurança pública no Brasil requer que o governo federal ajude os governos estaduais a fazer aquilo que é obrigação deles. Oprimir o crime e prevenir para que ele não aconteça, mas um jornalista sofre um atentado e primeira coisa que passa pela cabeça é jogar a culpa no governo?! Eu, hein!


A propósito, agradeçam a ex-governador Joaquim Roriz (PMDB-DF) pela ocupação desordenada do entorno e pelo caos urbano da região.

20.9.07

O Gigante da Colina

Quem me conhece sabe que sou vascaíno apaixonado. Acima do Vasco só o Brasil e o socialismo.

O Vasco tem a história mais bonita entre todos os clubes brasileiros. Foi o primeiro a aceitar negros. Como represália os clubes elitistas da zona sul, Botafogo, Flamengo e Fluminense, criaram uma outra liga de futebol no Rio e proibiram o Vasco de participar com o pretexto do clube cruz-maltino não ter estádio próprio, mas seriam flexíveis se os atletas negros fossem dispensados. Como resposta, foi construído o então maior estádio do Brasil (que mais viria a ser também o primeiro com iluminação para sediar jogos noturnos), São Januário, com contribuições da torcida e o Vasco continuou jogando, inclusive com os negros no elenco.

O Vasco foi o primeiro clube brasileiro a ganhar um título oficial no exterior, o Campeonato Sul-americano de Clubes Campeões em 1948. Pelo Vasco passaram nomes como Romário, Edmundo, Pelé, Tostão, Roberto Dinamite, Juninho, Andrada, Barbosa, Bellini, Domingos da Guia, Acácio, Bebeto, Bismarck, Brito, Carlos Germano, Leônidas, Mauro Galvão, Ricardo Rocha, Vavá e tantos outros craques.

Além do citado título Sul-americano de Clubes Campeões de 1948, o Vascão também ganhou a Libertadores da América de 1998 (primeiro campeão invicto), a Copa Mercosul de 2000, no jogo mais espetacular que eu já assisti com o Palmeiras abrindo 3 a 0 no primeiro tempo e o Gigante da Colina virando para 4 a 3 nos acréscimos do segundo tempo com um jogador a menos, os brasileiros de 1974 (primeiro carioca a vencer o brasileiro), 1989 em pleno Morumbi, 1997 e 2000 com o Brasil inteiro torcendo pelo São Caetano.

Depois de tudo isso eu só quero torcer pelo Vasco. Já não me importo mais se ele perde. Ele está acima disto.

Mas tem duas coisas que eu, como torcedor, sempre exijo. Vencer o Flamengo e jogadores de bom futebol e muita garra.

Com relação ao Flamengo eles levam a melhor. Segundo o portal Netvasco, já foram 338 partidas, com 121 vitórias do Vasco, 88 empates e 129 zebras. O saldo de gols é positivo para o urubu em nove tentos.

Com relação aos jogadores não aguento ver o Roberto Lopes em campo. Não é que ele seja ruim. É que ele é muito ruim! Andrade, o canhão da Colina, fica no banco vendo um jogador bem, mas bem abaixo da média fazendo besteira em campo.

Enfim, seguem os 10 mandamentos vascaínos:

1º Todos os times tem uma torcida. O VASCO é uma torcida que tem um time;
2º O maior defeito da cidade de Rio é não se chamar VASCO;
3º O VASCO nao tem um texto, tem uma historia belissima...
4º A torcida do VASCO vai ver o time jogar, e não apenas ganhar;
5º VASCAINO fanático é redundante. Ser VASCAINO já significa ser fanático;
6º O VASCO é mais do que um time de futebol. É uma legião;
7º Quando o VASCO perde, a alma do mundo entristece;
8º O VASCO ta na veia, no sangue, nas arterias, no coraçao, na cabeça, no peito, na camisa, na vontade de vencer, nas glórias, na fama...
9º Com ou sem razão, o VASCAÍNO tem sempre razão;
10º A Cruz de Malta nao é uma simples Cruz, é a Cruz de VASCO DA GAMA, um dois maiores navegadores...

Como é bom ser vascaíno!

Jackson Allen

Ou Wood Lago?

Lúcio avisa pela metade

eleições 2008

Todo mundo errado

Na manhã de hoje um lavrador tentou invadir o Palácio do Planalto. Foi imobilizado, com visível excesso de violência, expulso e depois levado a um hospital da capital, segundo informações oficiais.

Apesar de ser um prédio público, há toda uma burocracia para se entrar no Palácio. Eu mesmo já fui barrado tentando cobrir posse de ministros. Não é qualquer um que pode entrar ali não. E está certo. É pela segurança do presidente da República, mesmo quando ele não está no prédio, mas o excesso com que os seguranças agiram está igualmente errado. Se fosse um empresário engravatado botando banca pra falar com o presidente? Duvido que agissem assim.

18.9.07

A Participação da Mulher na Gestão Pública


Efeagacê não sabia?

O banqueiro Salvatore Cacciola, aquele que já tem habeas corpus prometido pelo ministro Marco Aurélio Mello, aquele que é primo de e foi indicado por Fernando Collor para compor a Suprema Corte, é apenas mais um banqueiro "sabichão", como disse o economista Luiz Gonzaga Belluzzo abusando do eufenismo.

O nome Cacciola nos remete ao período mais triste da economia brasileira na era do plano Real. Na verdade, tirando o título de campeão da Libertadores conquistado pelo Vasco (invicto) 1998 foi um ano péssimo para nosso país. Crises internacionais quase nos fizeram quebrar, Efeagacê foi reeleito, perdemos a Copa do Mundo para a França com Ronaldo marcando Zidane em um lance de escanteio (!?), o Palace II caiu, nasceu a Sasha, perdemos Lúcio Costa, Tim Maia, Nelson Gonçalves, Luís Eduardo Magalhães, entre outros. Logo depois de tudo isso veio a desvalorização. O governo tucano, que mantinha uma paridade burra da moeda brasileira com o dólar por puro estelionato eleitoral, acabou com essa fantasia. Muita gente quebrou nesta época. Principalmente quem apostou que isto não ia acontecer. E sabe quem apostou nisso? Salvatore Cacciola. E ele quebrou? Não. O Banco Central vendeu dólares a ele abaixo do preço de mercado para ele saldar suas dívidas.




Pois bem, o presidente do BC na época desta falcatrua era Chico Lopes, nomeado, como manda a Constituição, pelo então presidente da República Efeagacê. Agora dou-me o direito de perguntar: O mestre, o guia, o guru, o príncipe dos sociólogos, o aluno número 1 da Sorbone, o Farol de Alexandria, o Efeagacê, o excelentíssimo senhor ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso não sabia de nada? Como pode? O cara que ele nomeou causou um prejuízo de R$ 1,5 bilhões aos cofres públicos, aos nossos bolsos e o presidente não sabia!?
¬¬

Efeagacê sem louros



O ex-presidente Efeagacê (na foto com sua tropa de choque) deve estar uma arara. Ninguém gosta de ser relacionado a ele, ninguém gosta do seu governo, mas sempre se gabou de ser o responsável pela estabilidade econômica do Brasil. O povo, mais uma vez, discorda dele.

Na recente pesquisa realizada pelo instituto Ipsos e divulgada no último domingo pelo jornal O Estado de S. Paulo 67% dos entrevistados declararam considerar Lula o responsável pela estabilidade, apenas 7% creditaram esta consquista na conta do tucano. No nordeste, onde Lula é mais popular, o placar em 70% X 2% a favor do petista.

Na pesquisa nem aparece o nome do ex-presidente Itamar Franco, presidente a época do lançamento do plano Real.

17.9.07

Para quem ainda não entendeu a popularidade de Lula

PNAD: O BRASIL É SHOW

O PIB, A PNAD E OS PESSIMISTAS

Esta foi uma semana rica de informações oficiais sobre o desempenho da economia brasileira. Diversas leituras podem ser feitas: agrupando-as, tem-se a leitura dos pessimistas e a dos otimistas.

Os pessimistas apostam num crescimento do PIB de 4,5%; como o PIB cresceu no trimestre 5,4% e considerando as taxas dos trimestres anteriores, eu apostaria num crescimento anual de 5,1 a 5,3%. Exagero? Não. A economia costuma apresentar um melhor desempenho no terceiro trimestre, ainda mais que no segundo trimestre no máximo tem-se as encomendas feitas às indústrias e elas costumam acelerar o funcionamento das suas máquinas no terceiro e início do quarto trimestres. O resto é só vendas.

Some-se a isso o espetacular desempenho da indústria automobilística e de máquinas e veículos pesados.

Qualitativamente, temos que observar o desempenho do componente Investimento. Este, sim, tendo aumentado, é capaz de suportar um crescimento ainda maior do componente Consumo.

A PNAD – Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios, mostra que de forma geral os brasileiros estão vivendo melhor. Viver melhor significa aumento da renda, aumento do uso de bens de consumo durável, melhores taxas dos índices relacionados à educação e à saúde.

Para a grande maioria dos indicadores sociais, houve uma melhoria muito acentuada, querendo dizer que a população, de uma maneira geral, teve maior acesso aos serviços, tais como água, esgoto, coleta de lixo, dentre outros.

Um dado se apresenta relevante: o número de domicílios que dispõe de computador que era de 18,8 no ano passado, saltou para 22,4%. Ouvi um comentarista (na CBN) dizer isso gera um outro tipo de problema que é o lixo eletrônico. O mesmo comentarista ao discorrer sobre o aumento do número de domicílios que já dispunha de serviço de coleta de lixo, argumentou que o lixo é recolhido, mas não é tratado.

Todos sabem que, em qualquer economia, os recursos são escassos por natureza. Não se pode atender todas as necessidades de todos os indivíduos. Importa saber se estamos progredindo. Os pessimistas desprezam os avanços e fazem comparações com um dado histórico, desde que possam afirmar que em determinado aspecto não houve avanço.


Newton Braga,
Professor de economia do Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB)

16.9.07

Quem falou foi o Zé Graça

"Quem mais tinha a perder com a queda de Renan Calheiros nem era um senador, e sim Lula."

(Zé Graça)


Ele é o porta-voz de Roberto Civita e mostra a opinião da revista Veja.

Eles admitem que com a queda de Renan Calheiros quem mais perderia seria Lula.

Eles perseguiram Renan diuturnamente nos últimos três meses.

Não é coincidência.

2014 aí vou eu

Lula diz que nunca abandonará a política e que apoiará sucessor

15.9.07

Cacciola, o banqueiro favorito do governo efeagacê, é preso

Encontrado pelo Interpol o ex-banqueiro Salvatore Cacciola foi preso em Mônaco. O Ministério da Justiça já se prepara para pedir sua extradição.

Para entender a falcatrua

Em defesa da CPMF

Não sou exatamente um expert em questões tributárias, mas a briga sobre a renovação ou não da CPMF me parece sem muito cabimento.

Ela existe pelo mesmo motivo de todos os outros tributos. Para o governo ter receita suficiente para pagar seus gastos. Salários de servidores, obras, programas sociais etc.

Alguém aí acha que a FIESP está se importando com os mais pobres? Não está, e não tem que estar mesmo não. Ela é a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. O que ela defende? As indústrias do Estado de São Paulo, ora bolas. São a nata da elite branca paulista (separatista, diria Paulo Henrique Amorim). Quando o senhor Paulo Skaf, presidente da entidade, diz que é contra a CPMF porque ela atinge mais os mais pobres dê uma gargalhada e lembre que ele falaria qualquer coisa para livrar os amiguinhos empresários dele de pagarem imposto.

O Brasil tinha que fazer uma reforma tributária profunda (a propósito, foi promessa de campanha do Lula em 2002 e em 2006 e até agora nada), mas simplesmente acabar com um tributo que representa 8% da receita da União de uma outra pra outra seria dar um tiro no pé do próprio país.

Como diz nosso articulista Newton Braga, ninguém acorda pensando: "Hmm, quer saber? Me deu uma vontade danada de pagar de imposto hoje!". As pessoas não pagam imposto porque querem, ou porque gostam. Pagam porque tem que pagar. E não é pra receber em troca o que pagou não. Nós, classe média, pagamos mais para que quem não tem tanto quanto a gente possa ter escola de graça, saúde de graça, vaga em faculdade particular etc (nem sempre tem, é verdade, mas esta é uma outra discussão).

Enfim, seria péssimo não renovar a CPMF agora, seria pior ainda não se fazer uma reforma tributária.

Belo herói este de vocês

Do painel da Folha:

"Tutu 1. O almoço que reuniu ontem em Sabará o governador Aécio Neves, o ministro do STF Joaquim Barbosa, relator do processo do "mensalão mineiro", e o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, que em breve deve apresentar a denúncia contra aliados do tucano, estendeu-se por quatro horas. Os três tiveram conversa reservada por hora e meia."

12 anos sem Costinha

13.9.07

Agora vai...

Roger passou boa parte da carreira do São Paulo sendo reserva de Rogério Ceni. Cansado desta vida foi para o Santos que estava sem um bom goleiro. Na semana seguinte o alvinegro praiano acertou também com Fábio Costa e Roger voltou a sua situação de eterno reserva.

Para quem não lembra Roger é também aquele goleiro que posou para um revista gay e sempre que entrava em campo (quando Ceni estava machucado) levava gols humilhantes.

Agora Roger ficou revoltado de vez. Foi para o Botafogo, time que já teve Max, Júlio César, Marcos Leandro e Lopes na camisa 1 só neste ano.

Resumo: Eles se merecem.

Vão reclamar da FIA não?

O Brasil está indignado com o Senado por ter absolvido um cara contra quem não há provas cabais, mas absurdo mesmo, salvas as devidas proporções, é o que aconteceu no julgamento da McLaren.

A equipe inglesa foi acusa de espionar a Ferrari. O que a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) fez? Reconheceu a validade da acusação, declarou a escuderia culpada, sentenciou uma multa recorde de US$ 100 milhões e a perda dos pontos no campeonato de construtores. E os pilotos da equipe? Nada!

Deixa eu ver se eu entendi. Uma equipe espionou outra. A FIA diz que isto não é aceitável da Fórmula1. Multa a equipe. Como a espionagem ajudou indevidamente a equipe ela perde os pontos no campeonato de construtores, mas no campeonato de pilotos não?! Como diabos isto faz sentido? Ou tira os pontos nos dois campeonatos ou não tira em nenhum!

Renan pode ir a cadeia nacional

O presidente do Congresso Renan Calheiros (PMDB-AL) estuda a possibilidade de falar à Nação em cadeia nacional de rádio e TV.

Para se explicar? Para ensinar? Não se sabe ao certo ainda.

12.9.07

Cadê o Arruda?

O resultado da votação que salvou o mandato do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) foi 40 votos "não", 35 votos "sim" e 6 abstenções. Porém, ouvidos pelo portal Terra, 40 senadores declaram que votaram a favor da cassação.

Considerando-se que Delcídio Amaral (PT-MS) não declarou como votou, mas deve ter votado pela cassação e os senadores Jefferson Peres (PDT-AM), Marconi Perillo (PSDB-GO), Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) e Antonio Carlos Júnior (Democratas-BA) estão entre os que não foram encontrados pela reportagem do Terra (pelo menos os dois primeiros são contados como votos certos pela cassação) pode-se dizer que algo entre seis e oito senadores estão mentindo. Quer saber como? Chama o governador violador de painel José Arruda. O cara entende tudo do assunto.



Update às 0:31 14 de setembro de 2007

Protesto!

Só por que ele foi absolvido?

Detalhe para a cara do deputado Gabeira na foto lá em cima.

Derrota da imprensa

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) foi absolvido pelo Senado, e não por este ou aquele partido.

Errei o palpite. Achei que o Senado sucumbiria à pressão da imprensa e da sociedade. Esta segunda convencida pela primeira de que Renan é culpado.

Este resultado, magistral e magnífico nas palavras do senador Almeida Lima (PMDB-SE), é apenas no que diz respeito à primeira acusação contra Renan, aquela que dizia que a empreiteira Mendes Junior pagaria a pensão de Mônica Veloso, jornalista que teve uma filha com Renan. Ainda há outras três acusações, muito mais sérias, diga-se.

O resultado da votação (40 votos pela absolvição, 35 pela condenação e 6 abstenções) trás força política para Renan continuar, pelo menos por enquanto, na presidência do Senado, mas não pense ele que o Oráculo vai se dar por vencido. Manchetes escandalosas, denúncias sem pé nem cabeça, tudo vai continuar até ele cair.




Palavra de PHA

Olha a faca!

Palpite do blog: Renan será cassado! Não importa se ele é inocente ou não. Não importa se algo foi provado contra ele ou não. Importa que o oráculo decidiu que ele é culpado e, como diria Lewandowski, o Senado votará com a faca no pescoço.

11.9.07

E o inter?

Esqueçam a anulação dos jogos apitados por aquele árbitro da "máfia do apito". Esqueçam a não marcação do pênalti mais escandaloso dos últimos anos (aquele do Fábio Costa o Tinga). Esqueçam tudo mais que tirou o brilho do campeonato brasileiro de 2005. Agora a coisa é séria.

A operação Perestroika da Polícia Federal descobriu lavagem de dinheiro e outros tantos atos ilícitos na parceria entre o Sport Clube Corinthians Paulista e Media Sports Investment (MSI), empresa oficialmente controlada por Kia Joorabchian, com o magnata Boris Berezovsk por trás.

A justiça que faça o que tiver que fazer, mas algo tem que acontecer no campo esportivo também. Caso contrário seria dizer que, no campo esportivo, não tem problema nenhum usar dinheiro sujo para formar um baita time e vencer títulos.

Não é justo o título de campeão brasileiro de 2005 continuar com o Corinthians.

Foi um erro da instituição sim, senhor. A parceria foi aprovada respeitando as regras do clube. A torcida apoiou e não viu mal nenhum em, do nada, chegar um camarada "acima de qualquer suspeita" e injetar dinheiro no clube. O importante era o time ganhar, né?

O Internacional, oficialmente vice, é, mais do que nunca, moralmente o campeão brasileiro de 2005!

A quem interessa?!

A quem interessaria a absolvição do senador Renan Calheiros (PMDB-AL)?

Se ele for cassado a oposição não terá força suficiente para eleger o sucessor. Já se for absolvido, o governo continuará com um fiel aliado na presidência do Senado, mas sem nenhuma viabilidade política, sem capacidade de dialogar com a oposição e, de quebra, o PT é quem será responsabilizado pela "pizza".

Seria ruim para o senado como um todo, claro. Absolver quem já foi condenado pelo oráculo (a imprensa). Imagina uma coisa dessas! Mas que seria uma tremenda jogada política da oposição rachar seus votos e permitir a salvação de Renan, isso seria.

Novidade para o FGTS: possibilidade de remuneração mais justa

10.9.07

E olha no que deu

A imprensa brasileira faz hoje 199 anos.

No dia 10 de setembro de 1808 foi lançada a Gazeta do Rio de Janeiro, primeiro jornal brasileiro.

9.9.07

Reforma do Senado


No início de uma das mais importantes semanas na história do Senado Federal, pela primeira vez os anciões da República decidirão no supremo plenário a cassação ou não do mandato do seu presidente, falo sobre a instituição no meio da tal reforma política.

Só escrevo sobre o assunto porque prometi, mas a tal reforma não deve voltar à pauta tão cedo.

As propostas são muitas.

Acabar com o Senado: O sistema unicameral atenderia perfeitamente aos interesses dos estados mais ricos e populosos e deixaria os estados mais pobres com baixa representação popular.

Suplência: Querem acabar com a suplência de senador. Besteira. Há hoje no Senado 13 senadores que eram suplentes e, legitimamente, assumiram o cargo. E daí?

Seria absurdo se alguém fosse eleito senador, saísse no meio do mandato e então indicasse alguém para ocupar a vaga, mas não. O suplente já concorre nas eleições dentro da chapa e dá a segurança de que a sociedade está escolhendo uma determinada força política e ela manterá a cadeira no Senado mesmo se o cabeça da chapa sair.

Fim de licenças: A única hipótese na qual o fim da suplência viria a calhar é se o senador só puder deixar o cargo em caráter definitivo e, neste caso, seja convocada uma nova eleição no seu estado para preencher a vaga.

Tamanho do mandato: A redução do mandato de senador não tem razão de ser. O Senado é uma casa de maior estabilidade. Não tem, e não deve ter mesmo, uma alta renovação. O efeito prático de uma redução do mandato não seria positivo em nada.

Papel do Senado: Tem de ser revisto. Ele não pode ser uma Câmara de Deputados VIP.

8.9.07

Operação abafa

É incrível como as pessoas fazem no hoje o que sempre criticaram no passado. E isto não é exclusivo dos políticos não.

A revista Veja sempre criticou os governos (trabalhistas) que tentaram evitar a criação de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI). "Quem não deve não teme" era praticamente o slogan da revista. Porém, agora que querem fazer uma comissão destas para apurar as negociações nebulosas da editora Abril, dona da Veja (clique para assistir aos vídeos sobre as denúncias 1, 2 e 3), eles fizeram um tipo de força-tarefa para convencer os deputados a tirar suas assinaturas do requerimento que pede a abertura da CPI.

"Po, assim não dá! Tem diretor da Abril me ligando todo dia pra eu tirar minha assinatura do requerimento", declarou a este Blog um deputado petista indignado com a pressão.

7.9.07

Pensando bem


É complicada a situação da deputada distrital Erika Kokay (PT-DF). Não por ela ser culpada, mas porque o PT tem apenas quatro deputados distritais e numa votação pela sua cassação a base aliada do governador violador de painel a massacraria. Porém, é bom a base pensar bem.

Se a cassarem colocarão nas primeiras capas manchetes do tipo: "Deputada PETISTA é cassada!". O problema é que com a cassação dela assume o primeiro suplente Chico Vigilante (PT-DF) e este iria fazer muito mais barulho contra o governo Arruda na Câmara Legislativa.

4.9.07

Berzoini já avisou

O atual presidente nacional do PT já avisou que não será candidato nas eleições adiantadas que ocorrerão em dezembro.

Por que? Culpa do Luigi. Além das filhas mais velhas, inclusive uma de 13 anos (fase complicada), o filho mais novo, 8 anos, anda reclamando da constante falta do pai quando ministro do Trabalho, da Previdência e, nos últimos dois anos, como presidente do PT.

A maioria daqueles que o ouvem entende a situação, mas pede para reconsiderar a decisão.



OBS: Luigi é uma figuraça. Certa vez, depois de um jantar, mandou o presidente Lula se tocar que a hora já estava avançada dizendo que estava tarde e que seu pai tinha que dormir.

Do Jacaré Banguela



Tirado do Provocações

As Facas do Brasil



"A faca que estava no pescoço do ministro Ricardo Lewandowski cortou as línguas dos jornalistas pretenciosos na entrevista que ocorreu neste domingo 2 de setembro, no programa Canal Livre da Rede Bandeirantes. O programa teve como entrevistado o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu.


Na entrevista José Dirceu concordou com a matéria publicada na Folha de São Paulo que revelou uma conversa telefônica do ministro do STF com o seu irmão, no qual ele afirmava que o supremo votou com a faca no pescoço. E não deveria ser diferente, meus amigos. A votação do STF foi realmente pressionada pela mídia e a decisão precipitada. Com um discurso moralista a mídia fingia carregar no peito a luta pela justiça e no coração a indignação do brasileiro. Quando na verdade os interesses de seres "marinhos", cafeicultores, peões de boiadeiro, é que eram defendidos.


A mídia não tem limites. Alberto Dinis disse " é necessário um quinto poder. O poder que regula a mídia". A mídia com essa falsa missão de revelar a verdade criou um mundo de inverdades difícil de combater. A credibilidade não importa mais. Vale mais o furo, a cerca pulada, a conversa ouvida, a foto tirada, o sorriso estampado, a faca na mão. A mídia brasileira sempre tem uma faca na mão.


Mais para o meio da entrevista José Dirceu disse; "estamos caminhando quase para uma ditadura da mídia". Os jornalistas "intelectuais" - mas que não sabiam comprovar os fatos- criticaram, bateram o pé, e subentenderam. Mas José Dirceu, como bom articulador que é perguntou : " Mas do que é que vocês têm medo?". José Dirceu soube cortar as línguas grandes.


Não sou petista, muito menos defendo José Dirceu com unhas e dentes, mas concordo com ele. Assim como Noblat concorda com o Ministro do STF que disse em resposta à matéria da Folha, que não havia provas para tornar réu, o ex-ministro José Dirceu.Acredito que a mídia está precisando de umas rédias.


Há uma pesquisa no Blog do Braga: A imprensa brasileira é ... . Eu digo que é golpista - a la Newton Braga - e medíocre. E você o que acha? Entre no Blog e vote.


A tendência é piorar. Qual o governo quer fiscalizar o poder da mídia? Vale mais a pena negociar com a mídia. Sim. Colocá-la em posição de aliada. Você, caro leitor, deve exclamar: Mas o governo Lula não se aliou a mídia brasileira!. Respondo eu: Será?. Vão-se os anéis, ficam os dedos, meus caros. Antes as guerras eram físicas, hoje as guerras são de interesses, de poder de influência através da mídia. Ganha, quem sabe politicar na linguagem midiática.


José Dirceu estava muito bem na entrevista. Soube calar a boca dos jornalistas. Mas ele está muito bem informado. Os seus advogados devem ter dado um aulão intensivo para isto. Mas esta não é uma critica. É, pleo contrário, um elogio. Na guerra que vivemos. Vence a mídia quem se informa melhor.


INFORMEMO-NOS JÁ!


Informação é necessária! Não boicote!


Ana Paula Bessa,
estudante de jornalismo e editora do blog Provocações"

Redução da maioridade penal

Duas de um gênio



2.9.07

PED adiantado

O PT decidiu em seu Congresso remarcar a data do seu Processo de Eleições Direta (PED), no qual todos filiados votam e elegem os dirigentes do partido.

O PED estava programa para acontecer em setembro do ano que vem. Às vésperas das eleições municipais. Por isso e por tudo o que o partido passou ultimamente decidiu-se renovar as direções ainda este ano, nos dias 2 e 16 de dezembro (1º e 2 turno). Provavelmente o atual presidente, deputado Ricardo Berzoini, deverá ser reeleito confirmando que o Campo Majoritário, mesmo agora rebatizado de "Construindo Um Novo Brasil" mantem a hegemonia dentro do partido.

O bom filho à casa torna

O III Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores parece que vai levando-o de volta à esquerda.

O PT ficou perdido quando chegou ao poder entre suas convicções históricas e a obrigação de governar um país enfrentando a realidade, mas a reafirmação que as teses apresentadas fizeram do socialismo (em diferentes moldes), as decisões de defender a descriminalização e a reestatização da Companhia Vale do Rio Doce no plebiscito popular feito por várias entendades populares mostra o novo rumo petista.

Faca no pescoço

O ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, relator do julgamento do escândalo do mensalão (que, a propósito, tem uma belíssima historia de vida), está na capa de duas revistas de circulação nacional, numa inclusive sendo descrito como novo herói nacional.

E se ele tivesse chegado à conclusão óbvia de que não há prova nenhuma contra José Dirceu, que Silvio Pereira só pode fazer parte de uma quadrilha se tiver cometido um crime e que não tem quadrilha de três membros?

Estaria na capa talvez até de mais revista. Seria descrito como pizzaiolo. Dir-se-ia (opa, primeira mesóclise da história do Blog) que ele teria abafado o caso porque foi indicado pelo presidente Lula para Suprema Corte.

A CartaCapital desta semana trás o seguinte elucidante trecho: “Marco Aurélio Mello, companheiro de Barbosa no tribunal, sempre pronto e disponível para interpretar os anseios da sociedade, disparou: “O pior em termos de avanço cultural é o sentimento de impunidade. E essa decisão revela que esse sentimento está excomungado de uma vez por todas”.” Exatamente. A decisão, meus caros, não foi técnica, em cima das provas, dos indícios, das acusações e das defesas. Foi simbólica e, portanto, política. Ignore-se todo o resto que envolve o julgamento. O país está cedento para ver alguém pagando o pato. Deputados confessamente culpados são absolvidos na Câmara, Renan, condenado pela imprensa, continua na presidência do Senado, os presos nas operações da Policia Federal são todos soltos (muitos pelo próprio Marco Aurélio Mello). A impunidade está por todo lado. Aí vem um julgamento desta importância politica. Independentemente se seria certo ou não a não aceitação da denúncia seria desmoralizante. Como disse Noblat (olha eu concordando com ele) o STF não teria nem peito para isso.

A imprensa não botou a faca no pescoço. A faca está sempre no pescoço de qualquer pessoa pública. Volto a repetir o que já disse neste blog. Não briguem com a imprensa. A imprensa quer escândalo, quer vender jornal, revista, quer telejornal com audiência alta. E se você brigar com ela, é você quem vai pagar o pato.

A faca estava no pescoço sim senhor.

FHC: Esqueçam que eu governei

O ex-presidente Efeagacê publica hoje artigo em grandes jornais do país intitulado "Culpa e responsabilidade". Mantendo-se, como ele mesmo diz, como o único oposicionista (esquece-se de Agripino “obstrução” Maia) ele fala sobre o que não entende, o PT, e para descascar o inimigo vermelho esquece do passado, esquece do seu próprio governo e do seu próprio partido.

"(...)PT faz seus dirigentes dizerem em uníssono: não temos nada com isso, o julgamento não respinga em nós nem no governo, o mau comportamento é caso isolado, talvez de um só "companheiro", o auto imolado Delúbio, etc. São justificativas típicas de partidos autoritários: "o Partido", em sua essência, é perfeito; os homens que o compõem são entidades à parte -- podem ser pecadores, mas o partido não erra nunca."

Ora, ora, ora... Eu critico o governo Lula com a consciência tranquila. Nunca governei o Brasil de braços dados com o PFL, nunca comprei deputado para aprovar a emenda da reeleição, nunca doei o patrimônio público contra a vontade do povo. Durmo toda noite tranquilamente. Será que FHC também encosta a cabeça no travesseiro e dorme?

Efeagacê sofreu com o PT fazendo-lhe cerrada oposição por oito, mas mesmo assim fez um transição do seu governo neo-liberal para o de Lula da forma mais diplomática e amistosa possível, mas Lula não o chamou para compor o governo. De lá pra cá critica o PT e seu ex-amigo presidente com o rancor saltando aos olhos. Tudo bem. Se estivéssemos falando de um Pedro Simon, de um Rui Barbosa, de um Ulysses Guimarães, mas não. O cara tinha o finado Sérgio Motta, repito caros leitores, Sérgio Motta na sua tropa de choque e quer falar de Delúbio Soares?!

"A hipótese de que os maiores responsáveis políticos nada sabiam é de difícil sustentação.", disse o príncipe dos sociólogos.

Perigoso. Perigosíssimo. Faz-me crer que ele, portanto, sabia de tudo o que acontecia no seu governo.

Recapitulando rápido. Tráfico de influência nas privatizações das "Teles", doação da Companhia Vale do Rio Doce, que tinha a época um patrimônio de mais de R$ 90 bilhões, por míseros R$ 3 bi (a Vale é nossa), compra de votos para aprovar a emenda da reeleição, violação do painel do Senado (sim, afinal de contas quem violou foi seu então líder do governo no Senado ilustre senador José Arruda, hoje governador do DF ¬¬). Isto para ficar em quatro casos.

Efeagacê sabia de tudo?

1.9.07

De Franklin Martins

Dia desses falando sobre a TV Brasil no Palácio do Planalto o ministro Franklin Martins dizia que a programação da TV pública não será toda formal. "As vezes é bom descontrair. Eu mesmo gosto de relaxar... Eu vou falar só relaxar", disse arrancando risadas dos interlocutores.

Lula falando aos militantes

Na manhã deste sábado o presidente Lula compareceu ao III Congresso do Partido dos Trabalhadores e falou aos militantes. Lembrou a importância de o PT ter adiantado o PED (Processo de Eleição Direta) durante a crise política de 2005, quando mais 300 mil filiados foram às urnas petista "mostrar que estavam mais vivos do que nunca e mais petistas do que nunca".

A frase do discurso foi: "Ninguém neste país tem mais autoridade moral ética e moral política do que o nosso partido. Admitimos que tem gente igual a nós, mas não admitimos que tenha melhor". E a militância ovacionou-o.

Berzoini falando besteira

O III Congresso do Partido dos Trabalhadores foi iniciado nesta sexta-feira. Destaque para as ilustres presenças dos réus no escândalo do mensalão, com exceção do dep. Paulo Rocha e do ex-ministro Luiz Gushiken.

As consequências deste Congresso só poderão começar a ser sentidas quando ele terminar, mas já no início do presidente nacional do partido, deputado Ricardo Berzoini (PT-SP), chegou criando polêmica e defendendo o sistema unicameral. Em outras palavras a extinção do Senado Federal.

o.O

Não sei se foi motivado pela crise instalada ali sobre os tapetes azuis (até porque se fossêmos fechar tudo a cada crise...), mas a idéia de Berzoini é péssima. Prometi um texto sobre o assunto e não esqueci. Ainda neste fim-de-semana ele sai.