29.6.07

Quem tem medo da censura?

Eu. E não estou só. O Chico Buarque, o Tom Zé, a Rede Globo, o Zero Hora, o Paulo Henrique Amorim, o Diogo Mainardi, o Jô Soares e a grande maioria da população é contra a censura prévia. A sociedade brasileira não assistiria inerte a uma tentativa de volta da repressão social. Quem viveu os anos de chumbo da ditadura militar (1968-1979) sabe bem o que é um país sem liberdade de expressão. Quem não viveu cresceu ouvindo sobre os horrores daquela época. Por isso, qualquer coisa que vá em encontro, de alguma forma, com algo que lembre a censura de outrora é demonizado. Naquela época éramos cerceados e, portanto, lutávamos por liberdade “ampla, geral e irrestrita”, hoje o Brasil é um país relativamente democrático e com sua sociedade livre. Temos de repensar esta liberdade.

Se irrestrita fosse nossa liberdade e se os grandes meios de comunicação a defendessem tanto, teriam declarado repúdio à condenação que o professor Emir Sader sofreu na justiça(com “j” bem minúsculo) por ter chamado o ex-senador Jorge Bornhausen (DEM-SC) de racista. O que aconteceu foi simplesmente a censura da opinião de um renomado acadêmico brasileiro.

Agora, não se trata de censura a classificação indicativa que o Ministério da Justiça quer implementar no Brasil. Proteger a sociedade, principalmente as crianças, de conteúdo midiático impróprio em alguns horários é extremamente saudável, e o diretor do Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação do Ministério da Justiça (Dejus), José Eduardo Elias Romão, deixa claro que esta é a intenção do Ministério na entrevista que concedeu ao jornal “Folha de São Paulo”. Ele declarou que a emissora de TV que não respeitar a classificação indicativa só terá de mudar sua programação depois de decisão do poder Judiciário, e não ao bel prazer de meia dúzia de burocratas do Ministério e voltou a frisar também que nenhum programa noticioso pode ter classificação indicativa.

Está certa a mídia em deixar claro que a sociedade não voltará a tolerar censura prévia no Brasil, principalmente no que se refere ao jornalismo, e está mais certo ainda o Ministério em não se omitir das suas responsabilidades e, pelo menos, discutir o tema, o que já é um avanço democrático para o país.

28.6.07

Fujimori no Senado dos outros

Os ex-presidente peruano Alberto Fujimori disputará as eleições para o senado japonês



Tá rindo do que? Você tem Fernando Collor (PTB-AL) no seu Senado!

Roriz, o canastrão

Queria comentar o discurso do senador Joaquim Roriz (PMDB-DF), mas só repetiria o que o Noblat já disse.

surpresa?

O seleção da CBF (como diz Juca Kfouri) que começa com Doni e termina com Vágner Love perdeu.
:o

No assunto futebol prefiro falar de dois franceses:

Samir Nasri: Jovem jogador do Olympique de Marseille. Com apenas 20 anos é uma das boas promessas do do futebol frânces. Fiquem de olho.

Thierry Daniel Henry: No auge da carreira o craque deixou o Arsenal e se apresentou esta semana no Barcelona F.C.. Eu não poderia estar mais animado para a próxima temporada do futebol europeu. Apaixonado pelo clube catalão prevejo grande sucesso para a camisa azul-grená.

Um pouquinho de Henry:

Ufa

Nos livramos

26.6.07

Grande Democratas

O povo é burro

Tolinho

O mandatário deste Blog é realmente um ingênuo. Pensava que não tinha como piorar as lambanças da operação abafa no Senado Federal. Conseguiram.

O senador Sibá Machado (PT-AC) renunciou ao cargo de presidente do Conselho de Ética do Senado e do posto de titular do mesmo conselho. Ele sofria pressões de ambos os lados. Desagradou a gregos e troianos.

O sucessor não deve ser o vice-presidente senador Adelmir Santana (DEM-DF). Discute-se quem será. Talvez Eduardo Suplicy (PT-SP). Duvido. Este é mais independente ainda.

É bom lembrar que o caso de Renan Calheiros (PMDB-AL) já estava, e continua, sem relator.

E o pulso ainda pulsa...

O povo sabe das coisas

74% são contra a lista fechada

Como eu já disse

Na pesquisa do Sensus foi feita a pergunta: "O senhor ou senhora já foi prejudicado (a) ou conhece alguém que tenha sido prejudicado por atrasos em vôos?"

  • 8,2% foram prejudicados pessoalmente;
  • 23,2% conhecem alguém que foi prejudicado;
  • 67,2% não foram e nem conhecer alguém que foi prejudicado.
Agora, pergunte se a pessoa já foi ou conhece alguém que já tenha sido prejudicada pelas condições desoladoras do transporte "público" urbano.

Zico critica, Lídio rebate e tá todo mundo errado

Zico dispara contra CBF e revela detalhes da final de 1998

Lídio Toledo: "Se eu vetasse o Ronaldo, eu estaria na Sibéria"

Zico, o homem que só jogou no Flamengo, não ganhou nenhuma Copa, apagou contra a Itália em 82, perdeu um penâlti decisivo em 86, cortou o Romário em 98 e é idolatrado, soltou o verbo e deu mais detalhes sobre o jogo mais bizarro da história do Brasil nas Copas: A final de 1998.

A gente nunca vai saber o que realmente aconteceu. Porém, defendo o Dr. Lídio Toledo. Primeiro porque ele foi atacado pelo Zico, primeiro passo para virar meu amigo. Segundo porque ninguém veta o melhor jogador do mundo pedindo para jogar numa final de Copa do Mundo. Ele não tinha condições de jogar? Claro que tinha. Jogou os 90 minutos. Não jogou 100%, é verdade, mas prefiro metade do Ronaldo de 98 do que o Edmundo* inteiro.

O time entrou em campo frágil emocionalmente. Por que? Porque o único craque do time havia tido uma convulção na frente de todo mundo menos de 12 horas antes da partida. E sabe por que ele era o único craque do time? Porque cortaram o Romário, que a época da final já estava jogando e marcando gol pelo Flamengo.

Outra observações importantes:

  • Apesar de tudo o Brasil, é bom lembrar, teve duas chances de gol antes do primeiro cabeceio de Zidane;
  • No fatídico primeiro gol da França sabe quem estava marcando Zidane no hora do escanteio? Ronaldo!!!

Não estão sozinhos

A MSI quer a saída do meia Carlos Alberto do Fluminense


A torcida também!

Vamos jogar fora o sofá

Um belo dia o marido chegou em casa mais cedo e encontrou sua mulher transando com seu melhor amigo no sofá da sala. Tomado pela fúria, ele tomou uma atitude drástica: Jogou fora o sofá!

É mais ou menos o que o governador violador de painel quer fazer. Há uma denúncia envolvendo ex-dirigentes do Banco de Brasília (BRB). O que fazer? Privatizar o banco, ora!

Lula tem segunda melhor avaliação desde 2005

Lula é bem avaliado por 64%, o governo por 47,5%

Prova de que o povo espera pouco dos políticos. E a maioria ainda decepciona.

25.6.07

Ruim com ele, pior sem ele...

O caso do senador Joaquim Roriz é emblemático.

  1. Ele é do PMDB;
  2. Ele é um político do Distrito Federal;
  3. Envolve bois;
  4. O PSol (o que o PT foi um dia) pediu abertura do processo;
  5. Como ele não é um figurão em âmbito nacional será facilmente abafado;
  6. O descrédito (dele e da classe política) é tão grande que ele já é dado como culpado, mesmo sem haver provas cabais;
É um verdadeiro clássico.

Mas pensando bem... Nós, cidadãos do DF, temos que lutar contra a cassação dele. O suplente, meus caros, é o GIM ARGELLO (PTB-DF).

O etanol e as condições colonias de trabalho

O ônus e o bônus

Fico às vezes refletindo sobre a (im)parcialidade das pessoas. É certo pensar que temos um time preferido, uma praia preferida, um barzinho ou um restaurante preferido etc. etc. Não existe pecado, nem do lado de cá, nem do lado de lá.

Vamos colocar os pontos nos ii. A palavra mais em moda desde o início do governo Lula, utilizada pelos seus opositores, foi crise. Fala-se em crise como se estivessem bebendo água. Assim foi a “crise” do álcool, a “crise” do gás boliviano, a “crise” aérea, e por aí vai.

- “Viu aí o que o seu governo fez? A crise aérea está aí.”, diz um interlocutor.

Eu consigo ver tudo o que o governo fez e o que não fez. Eu rebato a pergunta do meu interlocutor, balançando a cabeça em sinal de concordância, mas me lembro de chamar a sua atenção para o fato de que a inflação está abaixo dos 4%, as reservas internacionais já ultrapassaram a casa dos US$ 125 bilhões, o risco país nunca esteve tão baixo e a renda das pessoas está aumentando.

- Bom, mas não foi este governo o responsável por isso.

Tento explicar que quem leva o ônus da crise aérea, deve ser creditado pelo bônus do sucesso da economia. Ou então podemos inverter a situação: se o sucesso do bom desempenho da economia se deve a governos passados, a crise aérea também é resultado dos investimentos que deixaram de ser realizados pelos mesmos governos.

Argumentos pífios são sempre levantados pelos opositores. Um dos mais evidentes é dizer que o que se faz hoje na economia é a repetição do programa do governo passado. Houve tantas coisas boas em outros governos que, responsavelmente, não se deveria mudar tudo só porque mudou o governo. Mas mudanças significativas foram feitas: a pedra basilar de um programa de governo está na definição do papel do Estado (promotor/regulador) e da propriedade dos fatores de produção. Deriva daí o processo de privatização, que nada mais é do que transferir a propriedade dos fatores de produção da sociedade para alguns grupos que se beneficiaram do processo.

Ninguém é a favor de que o governo explore supermercado, hotéis ou coisas do ramo. Ao Estado não cabe essas funções. No entanto, dar de mão beijada a infra-estrutura que pertence à sociedade para que alguém a explore teria que ter, para ela (a sociedade), uma boa recompensa. Ainda bem que a fúria liberalizante não aconteceu neste governo.

Da mesma forma, o ônus de vender a Vale do Rio Doce por US$ 3 bilhões deve ser absorvido por quem a privatizou.

Antes de criticarmos, temos que estabelecer um referencial. O referencial é uma linha imaginária em torno da qual marcamos os erros e acertos dos governantes. Só assim, independentemente do nome ou partido do governante, podemos fazer uma justa distribuição do ônus e do bônus.


Newton Braga,
Professor de Economia do Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB)

Como se já não bastasse

Há quatro senadores e 25 deputados respondendo ações que pode cassar-lhes o diploma e, portanto, o mandato.

Segue a lista:

Senadores

- Rosalba Ciarlini (DEM-RN);
- Cícero Lucena Filho (PSDB-PB);
- Expedito Júnior (PPS-RO); e
- Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR).

Deputados federais

PT

- Devanir Ribeiro (SP);
- Anselmo de Jesus (RO);


DEM

- Rodrigo Maia (RJ);
- Guilherme Campos (SP);
- Walter Ihoshi (SP);
- Carlos Melles (MG);


PSDB

- Silvio Lopes (RJ);
- Andréia Zito (RJ);


PMDB

- Bernardo Ariston (RJ);
- Solange Almeida (RJ);
- Geraldo Pudim (RJ);
- Eduardo Cunha (RJ);
- Nelson Bornier (RJ).


PP

- Aline Corrêa (SP);
- Vilson Covatti (RS);
- Pedro Henry (MT);
- Eliene Lima (MT);
- Neudo Campos (RR).


PSB

- Abelardo Camarinha (SP).
- Laurez da Rocha Moreira (TO);


PDT

- Paulo Pereira (SP);
- Pompeo de Mattos (RS).


PMN

- Francisco Tenório (AL).


PSC

- Hugo Leal (RJ).


PR

- Valdemar Costa Neto (SP).

Mais notícia boa

Desta vez na WEB.

Danielle Cicarelli perdeu na justiça e o vídeo dela "se divertindo" com o namorado em uma praia espanhola está livre para ser exibido na rede.

Boa notícia no futebol


A auxiliar Ana Paula Oliveira vai posar para a PlayBoy.



obs: sim, a notícia está velha, mas esqueci de escrever e não queria que passasse batido.

Para nós

Fãs de Chaves:

24.6.07

Quer saber antes?


Leia o Blog do Braga.


Em recente entrevista o presidente nacional do PPS Roberto Freire disse que o ex-presidente Itamar Franco estaria quase acertando sua filiação ao partido com as bençãos do governador Aécio Neves e ainda emendou “Agora, pensando bem, Aécio, Serra, PSDB, PPS, Itamar Franco... Quem sabe isso tudo não evolui para a formação de um novo partido?”.

Eu avisei.


Os pecuárista Renan Calheiros (PMDB-AL) e Joaquim Roriz (PMDB-DF) estão em apuros.

Eu avisei também.

Para descontrair

Parece sacanagem

Capa da "Folha de S.Paulo" de hoje:
Colocar a foto da Mônica Veloso, ex-amante do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), e ao lado a manchete de outra matéria dizendo: "País tem recorde no número de divórcio" só pode ter sido sarcasmo de alguém da redação.

Opa, acendam a luz amarela

Pesquisa do PSDB diz que Lula obteria o 3º mandato


Dado preocupante da pesquisa: Inquiridos sobre a hipótese de fechamento do Legislativo 58% declararam que apoiariam a idéia.

23.6.07

Tudo que a TPM pode fazer por você

Essa função/disfunção hormonal é a única coisa que deixam todas, todas as mulheres por uma semana, ou dias parecidas.

Não adianta negar, todas temos TPM. Algumas têm a TPM agressiva que a palavra mais suave que martela em sua cabeça é: morte, morte, MORTE!!! São quando nós xingamos, batemos, gritamos com pessoas aleatórias e não sentimos nenhum tipo de remorso. É exatamente nessa hora que descobrimos o tanto que somos más e pisamos de salto agulha no sentimento das pessoas mais queridas (sim, as mais queridas são as vítimas favoritas) e acaba soltando da pior forma que a sua melhor amiga está gorda e fica ridícula com aquelas blusinhas curtas e coladinhas que ela adora.

Ainda temos a TPM chorosa. É quando algumas de nós (não se iludam rapazes, essas são difíceis de ser encontradas) choram, mas choram mesmo, choram por tudo! Elas são consumidas por um sentimento de perda, carência, aflição, isolamento e até aqueles filmes meia boca da sessão da tarde fazem os seus olhos se encherem de sentimentos, ai não adianta. Ou você a entope de chocolate ou a tranca no quarto. (A segunda opção eu acho mais segura para a convivência em família, manter um relacionamento...) Nem tente agradar, conversar e muito menos não caiam na besteira de dizer que vocês entendem o que ta acontecendo, entendem a forma como ela se sentem, porque é mentira!!! E ela sabe que é mentira, isso vai fazer com que ela chore ainda mais, pois você acaba de mentir pra ela, como você mente assim na cara lavada pra sua namorada, noiva ou, pior, esposa?! Que tipo de namorado, noivo ou, pior, MARIDO você é?!

A TPM também tem um lado bom. Aliás, é um lado muito bom para nós, mulheres sofredoras dessa onda de emoções, e quase ninguém olha por esse ponto. Na tpm você se libera!!! Você fala tudo que estava entalado, atravessado, contido dentro do seu ser e sem precisar pedir desculpas depois. As suas amigas entendem e por isso te perdoam! Elas querem mesmo é ouvir as lamurias umas das outras e no final dizer que é foda! É mentira minha!!! Na verdade elas não entendem nada, só pensam que mês que vem será a vez delas de falar, falar, falar e no final acabarem com você e saírem por cima. É um jogo de leva e trás. Os homens, ai os homens... esses nem se atrevem a falar disso, não entendem nada mesmo, e morrem de medo de abrir a boca pra questionar qualquer ação sua com receio que possam se passar por insensíveis e o pior confessar indiretamente que estão com você a meses ou anos e não fazem idéia de quem realmente você é.

Por mais difíceis que as coisas estejam tudo tem sem lado positivo e negativo. Apesar de o positivo ser impossível da gente ver quando estamos de tpm.

Rachel Assunção,
Estudante de jornalismo

Não farei isso...

Eu poderia me divertir com a acusação que pesa contra o senador e ex-governador do DF Joaquim Roriz (PMDB-DF), mas não. Dirão que o faço por ser esquerdista e por ter participado de uma campanha eleitoral derrotada por um aliado seu.

Portanto, passo a matéria da revista (de direita) Época. Prestem atenção. Não é a Veja, é a Época. Pode, então, quer algum fundamento.

As reses de outro senador




obs: diversão pra mim e pro Noblat.

22.6.07

Falando em crise aérea

Reforço o que já disse aqui: A crise é grave, o Estado tem considerável parcela de culpa, os controladores estão é querendo salários maiores e muito, mas MUITO mais grave é o "apagão" do transporte público urbano que atinge milhões de trabalhadores todos os dias e nada se faz para resolver.

Continua a mesma coisa


Ontem a tarde, o simpático senador José Agripino Maia (DEM-RN) subiu à tribuna do Senado para falar sobre a crise aérea. Pensem num discurso longo. O reloginho que marca o tempo dos discursos nem estava ligado.

Ele falou, falou, falou, criticou, criticou, criticou, recebeu apartes e por fim... disse que o jeito é privatizar os aeroportos.

Deus, por que?

Por que eles não deixam essa lógico neo-liberal de lado? Até mudaram de nome, mas continuam os mesmo liberais de sempre.

21.6.07

O "off" é sagrado, pô

Ontem, antes da reunião do conselho de ética do senado, o senador Wellington Salgado (PMDB-MG) conversou com um grupo de jornalista (entre os quais eu não estava) nos corredores da Casa e, em "off", disse que não haveria apoio suficiente par arquivar o processo que corre contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) . O jornalista Ricardo Noblat sabendo do ocorrido publicou em seu famoso blog a conversa desrespeitando o "off". Deixou claro que, como também não estava na roda de conversa, não havia se comprometido com o segredo de fonte.

Pô, não é um foquinha (jornalista que está começando) não. É o Noblat. O Ricardo Noblat. Que besteira. Pra quê isso? Só porque ele não gosta do senador Wellington Salgado. Se fosse o Arruda ou algum outro queridinho dele ele não teria feito isso.

O pior é que amanhã ou depois algum senador pode deixar de dar alguma boa informação em "off" à imprensa, inclusive a este blog, com medo de chegar aos distintos ouvidos do Noblat e ele publicar de novo desta forma.

Noblat é um grande jornalista, um dos maiores do Brasil, mas isso foi realmente lamentável!

O anti diagnóstico

Nas conversas paralelas andam dizendo que a situação do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) é irreversível e que, se quiser evitar a punição, ele deveria deixar a presidência do Senado. Tolice.

Renan está muito vivo. Conta com a simpatia pessoal da grande maioria dos senadores. É bom lembrar: O Senado é um grande clube de amigos e quando um está em apuros não faltam companheiros dispostos a ajudar, mesmo que só nos bastidores. Renan é o presidente do Clube e é querido por todos. Tem gente de olho do cargo dele, mas ninguém quer queimá-lo, ele não possui inimigos ali.

Junte-se a isso o fato de, em último caso, uma votação de cassação dele em plenário se dar por meio de voto secreto.

E essa história de que seria melhor para ele sair da presidência é balela. São dois casos diferentes, mas o hoje deputado Jáder Barbalho (PMDB-PA) também era presidente do Senado quando sofreu acusações de irregularidades envolvendo-o na SUDAM. Afastou-se da presidência, não suficiente deixou de vez o cargo, ainda sobre pressão acabou tendo que renunciar ao cargo para não ser cassado. A presidência da Casa é, na verdade, um grande trunfo de Renan e, para evitar o pior ele deve se manter nela, mesmo que saía depois que a tempestade passar, afinal, mais um ano e meio ocupando o cargo depois destas denúncias parece ser insuportável politicamente.

20.6.07

Brasília é um universo paralelo...

... Uma ilha da fantasia ou qualquer outra coisa longe da realidade.

Ontem conversei com o relator da proposta de reforma política deputado Ronaldo Caiado (ruralista - DEM - GO). Na cabeça dele e daquele que defendem a lista pré-ordenada para as eleições proporcionais a campanha se daria em torno de programas partidários. Piada. A campanha teria a mesma baixa qualidade que já tem e ainda daríamos às cúpulas partidárias a autoridade para decidir quem será deputado.

Gente, nas eleições proporcionais basta acabar com as coligações. De resto, o sistema não é ruim, mas sim o voto, o eleitor, e, lógico, os candidatos.

19.6.07

A corrupção corrói a política

Neste fim de semana recebi um dos maiores números de mensagens, quase todas com a mesma crítica indignada sobre os políticos. Algumas personalizando os nomes de parlamentares, mas a maior parte generalizando, tratando todos como corruptos.

As mensagens passam, além da indignação, a descrença na política, no Congresso, nas instituições e até mesmo na democracia.

Os políticos, em toda parte, todos os dias, ao acordar, devem se perguntar: o que vou fazer hoje para ajudar o meu país?

No Brasil, esta pergunta é ainda mais necessária. Nunca o País precisou tanto de ajuda: a violência do tamanho de uma grande guerra civil, quarenta milhões vivendo de esmola e sem perspectiva de sair dela, apagões diversos por todos os lados da infra-estrutura, o crescimento diminuto na economia, a educação mostrando todos os dias a dimensão de sua catástrofe.

Sobretudo, a corrupção corroendo a imagem da política, do Congresso e por ele da própria democracia. A continuar a falta de credibilidade no Congresso, respeitado apenas por 1,1% das pessoas, segundo uma recente pesquisa, o Brasil sofrerá o maior dos apagões: de suas instituições.

Por isso, temos a obrigação de ajudar o Brasil. E no caso específico do presidente Renan, não estaremos ajudando se passarmos a idéia, que está se consolidando, de que estamos arquivando o processo aberto contra ele sem fazer as devidas análises das denúncias. Eu, como talvez todos os senadores, desejamos que todas essas denúncias sejam falsas. Mas desejo também que o povo esteja convencido de que foram acusações falsas.

Não estaremos ajudando o Brasil, nem a democracia, nem ao Congresso, nem a cada um de nós, nem ao Senador Renan, se formos incapazes de mostrar ao povo que fizemos nosso trabalho com competência e seriedade, que investigamos todos os indícios, arquivamos o processo porque ele não tinha base sólida.

Isso exige uma investigação profunda, como estão manifestando senadores como Pedro Simon, Jefferson Peres e Demóstenes Torres. Se não formos capazes de convencer ao povo, estaremos prestando um desserviço ao Brasil. Ainda é tempo de recuperar a credibildade perdida, mas não temos muito tempo mais.

Nada pior para o Brasil, para o Senado e para o Presidente Renan, se o arquivamento for feito por falta de investigação e não por falta de provas, e se dias depois do arquivamento, novos fatos surgirem.

Não sou membro do Conselho de Ética, mas eu não estaria ajudando o Brasil se ficasse escondido no anonimato de não ser conselheiro, cuidando de manter a discrição, porque pessoamente torço para que as explicações do senador Renan convençam ao povo inteiro.

Desejo que o arquivamento seja visto pelo povo como uma justiça para com o Senador Renan, como prova de sua idoneidade pessoal e não de um trabalho inconsistente e apressado dos membros do Conselho. E essa é a imagem que está passando.

O presidente Renan percebeu isso na semana passado e pediu para adiar por alguns dias a decisão do Conselho. Ele ajudaria ainda mais ao Brasil e a si próprio se pedisse para tudo ser investigado pelo tempo que for necessário, sem marcar prazo para a conclusão dos trabalhos, que só terminaria quando houvesse um relatório que não deixasse dúvidas. Que obrigasse a imprensa a desmentir as denúncias que fez, e quando povo inteiro aplaudir o rigor da análise feita pelos senadores do Conselho.

E para que isso pudesse ser realmente isento e aceito pela opinião pública, ele ainda poderia se licenciar do cargo de presidente, por vontade própria.


Cristovam Buarque,
Ex-reitor da Universidade de Brasília (UnB), ex-governador do Distrito Federal e senador da República pelo PDT

18.6.07

Mais uma piada pronta

Pessoal,
ando sem tempo pro blog, mas tem coisa que não dá pra não comentar.

Wagner Canhedo é preso com armas ilegais



Leiam a matéria.

A notícia não é Canhedo ser preso, é ele ser liberado por "bons antecedentes".

15.6.07

Mania de 4 a 0

Como é duro ser vascaíno!

Qualquer vascaíno mentalmente saudável sabia do surrealismo deste timinho medíocre do Gigante ocupar a liderança do campeonato, mesmo que por uma só rodada. Isto foi fruto de grande times estarem priorizando outras competições e o Vasco só ter pegado "baba" nas primeiras rodadas. Times fracos e/ou reservas.

Não precisava ser de 4 a 0, mas a derrota pra este arrumado e esforçado time do Botafogo já era esperado.

E agora? E agora chora. Nada mais há a tratar neste temporada (estamos em junho hein). O Vasco não vai ganhar a sul-americana, não vai ganhar o Brasileirão, não vai pra Libertadores, não vai ser rebaixado. Vamos participar da festa do futebol brasileiro como coadjuvantes.


Como é duro ser vascaino!

14.6.07

Tem o meu apoio

Tem que ser lei

O problema de Renan foi seguir os conselhos de Marta

Por enquanto reforma na Câmara dos deputados só no corredor que leva dos gabinetes ao plenário. A reforma política subiu no telhado. Um acordo entre os líderes das bancadas havia acertado que o primeiro ponto a ser votado seria o voto em listas pré-ordenadas nas eleições proporcionais. O ponto mais polêmico e que causaria a maior mudança no sistema político brasileiro. O Democratas, o PT e o PMDB fecharam questão favoravelmente em nome do fortalecimento dos partidos politicos, mas os partidos pequenos e o PSDB se opuseram por considerar autoritário tirar do eleitor e dar às cúpulas partidárias o direito de escolher quem serão os deputados. Como também eram esperadas dissidências nos partidos favoráveis viu-se que a proposta não seria aprovada e tirou-se este ponto da pauta. O quadro agora é imprevisível. O voto em listas pré-ordenadas é tido como a alma da reforma política e se não for aprovado a reforma cai como um todo e o sistema não vai mudar. Mas será que o sistema tem que mudar ou tem que mudar os candidatos com seus interesses escusos e o eleitor que vota e meses depois não lembra em quem votou?

Do outro lado do Congresso, no Senado, a terça-feira foi tomada por mais um capítulo da novela que trata do relacionamento extraconjugal do presidente do congresso Renan Calheiros com a empreiteira Mendes Junior, um caso de amor a ser abafado. O relator do processo contra Renan no Conselho de Ética, senador Epitácio Cafeteira, pasmem, pediu o arquivamento da acusação. Depois de um showzinho do advogado de defesa Dr. Eduardo Ferrão o conselho decidiu adiar a decisão para sexta-feira. Em outras palavras: Vão abafar o caso, mas vão fazer toda uma cena antes para não ficar mais feio ainda para a imagem da Casa.

Enquanto isso a sexóloga e ministra do Turismo pede para nós relaxarmos a gozarmos. Como diria josé simão: É mole? É mole, mas sobe.

12.6.07

1 ano

Gostaria de agradecer a todos que acessaram o Blog do Braga neste seu primeiro ano de vida. Agradeço em especial os autores de artigos que nos enviaram para publicarmos. Nosso comentarista de economia Newton Braga é o mais ativo deles. Todos os comentários postados aqui e dito pessoalmente ficaram guardados para melhorar este espaço e este continuará a ser livre para quem quiser debater os grandes temas e os pequenos detalhes do cotidiano.

Espero melhor nosso Blog a cada dia e vocês são a parte mais importante deste processo.

Mais uma vez obrigado e segue nossa programação normal.

=)

Parabéns ao blog

O primeiro presente de um ano do Blog do Braga é o seguinte artigo da coluna "Economia ao Alcance de Todos":


AS PREVISÕES, ERROS E ACERTOS

Já se disse que a Economia é a ciência que nos permite fazer previsões......a posteriori, o que logicamente é uma tremenda gozação para os economistas. Parece até que os economistas têm explicações para tudo, depois que acontece. No entanto, algumas vezes tentamos nos antecipar aos fatos, fazer prognósticos. Às vezes, acertamos; noutras erramos.

Seria bom para todos nós que escrevemos sobre economia, relêssemos o que a nossa crença, nossa esperança ou nossas estimativas nos fizeram acertar ou errar acerca dos fenômenos econômicos. Sem passionalismo, sem coloração partidária.

Leio hoje um artigo do Prof. Luiz Carlos Bresser-Pereira, datado de 31 de janeiro deste ano. Inteligência rara, o professor tem cacife para analisar a economia brasileira, principalmente porque ele fez parte da equipe do Presidente Fernando Henrique Cardoso e também era parte do grupo mais bem relacionado com o Palácio do Planalto à época.

Com todos esses predicados, o ilustre professor critica o PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, talvez numa época que o referido programa estava em fase de lapidação, com alguns pontos ainda a serem alinhavados. Além de dizer que o PAC é um equívoco, diz que o mesmo não é suficiente para impulsionar o crescimento do país.

Entre janeiro e os dias de hoje vê-se que o PAC é um programa que desonera e induz a elevação dos níveis de investimentos. Alguém pode ser contra? Em segundo lugar, é melhor com o PAC ou sem o PAC? Claro que todos vão responder que com um plano nós estaremos melhor direcionando a economia.

O nobre professor tucano fala em outro trecho “não há perspectiva de que juro real fique abaixo de 9%”. Ainda bem que meu bom professor está vivo e a taxa nominal de juros é de 12% e a taxa real já alcançou 8,3%, contrariando todas as previsões do mestre.

Por fim, acha o professor que a Argentina é um exemplo a ser seguido pelo Brasil. Embora a economia argentina tenha crescido mais que a do Brasil, a inflação está em ascensão e esqueceram que energia é um fator de crescimento. Também não queremos apenas crescer como a China (aliás, essas comparações são todas fora de propósito). Queremos um crescimento com a cara do Brasil, onde todos os brasileiros tenham, de fato, melhor condição de vida. Repetindo: não adianta um país crescer a uma taxa de dez por cento ao ano e seus habitantes terem uma renda média que equivale a um terço da dos habitantes de uma país que cresce a quatro por cento.

Em suma, não basta crescer. Mais importante é a sustentabilidade. Refaçamos as nossas previsões, o que pode acontecer ainda que a posteriori.

Newton Braga,
Professor de economia do Isntituto de Educação Superior de Brasília (IESB)

11.6.07

Destaques de agosto

Alckmin voltou

1 x 1

Ótima reportagem da Época:

O que o Brasil precisa fazer para combater a corrupção

1) REDUZIR AS NOMEAÇÕES POLÍTICAS
2) OBRIGAR A CUMPRIR O ORÇAMENTO
3) ADOTAR TRANSPARÊNCIA DE CONTAS
4) MELHORAR O CONTROLE
5) ACABAR COM A IMPUNIDADE



Péssima reportagem da Época:


"Escola privada para todos?

Estudos sugerem que, em vez de investir na rede pública, o governo poderia dar o dinheiro aos pais"


Tradução: Viva o neoliberalismo!

Escândalos escondidos

O Congresso tem razões para estar envergonhado por causa dos baixos indicadores de sua credibilidade na opinião pública. Depois de décadas de prestígio no final dos anos 80 e começo dos 90, com a redemocratização, a resistência à ditadura, a luta pelas Diretas, a elaboração da Constituição, a aprovação do impeachment, o Congresso entrou em crise de credibilidade, desde o escândalo do Orçamento.

Desde então, não houve, ainda, recuperação.

Sucessivas crises morais têm afetado não apenas os diretamente envolvidos, mas o conjunto da instituição parlamentar, e, em conseqüência, a própria democracia. O mais grave, porém, é que a crise decorrente dos escândalos esconde causas mais profundas da crise de credibilidade.

Os escândalos éticos não são a verdadeira causa da perda de credibilidade do Parlamento; eles refletem uma podridão na superfície, escondendo as ferrugens que existem no funcionamento de nossas instituições. Pelo menos três razões abalam a credibilidade de maneira ainda mais grave, embora imperceptíveis. São escândalos escondidos.

A primeira é a falta de causas pelas quais lutar. Nos períodos de maior crédito do Parlamento, havia causas que empolgavam, e os discursos eram ouvidos com respeito. O público jogou flores nos senadores depois que votaram a Lei Áurea. Durante o regime militar, os parlamentares eram apontados nas ruas como guerreiros da democracia. No começo dos anos 60, houve muita discussão entre esquerda e direita sobre os rumos da sociedade brasileira, que atraiu a atenção do público, não só porque os oradores eram melhores, com melhor retórica, mas porque tinham causas que serviam de base à oratória. Hoje, aplausos são dados raramente e somente por grupos organizados, quando seus interesses corporativos são atendidos pelas votações.

Por isso, os discursos ficaram irrelevantes. Raramente provocam contestação, e, em geral, sequer são ouvidos no Plenário. (Um artigo como este pode incomodar mais sendo publicado do que se for lido em Plenário e transmitido pela TV Senado.)

A segunda e grave razão é o enfraquecimento do Parlamento no que deveria ser o equilíbrio dos três poderes. Nos últimos anos, o Congresso tem sido um poder imprensado entre medidas provisórias vindas do Executivo e liminares que chegam do Judiciário. No lugar de legislar, o legislador se surpreende, submisso, legislado por liminares ou medidas provisórias. Baixando a cabeça como o menino surpreendido em uma falta, ou ante a força dos adultos.

A terceira é a falta de sintonia entre a agenda do Congresso e a pauta do povo. Os graves problemas da sociedade brasileira - desemprego, violência, saúde, desigualdade, pobreza, escolaridade - vão ficando escondidos, soterrados inclusive pelos escândalos éticos que chamam a atenção de todos, especialmente da mídia. Basta observar quantas vezes nós, parlamentares, falamos a palavra povo e quantas vezes seus problemas aparecem nos discursos e quantas vezes encaminhamos soluções. Basta ver o número de vezes que esses assuntos aparecem nos discursos na tribuna, e quantas vezes falamos deles nos palanques das campanhas.

Se o Congresso quiser recuperar sua credibilidade, deve encarar com rigor o comportamento de seus membros, mas, sobretudo, rever a ação política de seus membros, casando a agenda parlamentar com a pauta do povo, acendendo a chama de grandes causas nacionais e recuperando seu papel de legislador que luta pela igualdade de poder com o Executivo e o Judiciário.

Precisa enfrentar com transparência os seus escândalos visíveis, e acordar para os escândalos escondidos. Essa é a parte mais difícil, porque, no mundo de hoje, não vamos encontrar causas prontas, e os partidos que julgavam ter o monopólio das causas, na esquerda, se acomodaram diante do mundo, não percebem os escândalos escondidos e, ainda pior, fecham os olhos até mesmo para os visíveis.



Cristovam Buarque (PDT-DF),
Ex-reitor da Universidade de Brasília (UnB), ex-governador do Distrito Federal e senador da República

10.6.07

Novo desafio

As vésperas de completar um ano escrevendo neste espaço acabo de assumir um novo desafio no campo do jornalismo. Foi lançado na última quinta-feira (6) o Canal8. Um canal de televisão da internet. O portal, sediado no Piauí e voltado para o público de lá, contará com a minha contribuição cobrindo as notícias da política aqui em Brasília. Recomendo a todos o acesso.

Pequena demonstração
Vídeo de lançamento

Agosto

Em agosto eu estava num clima de férias danado. Mal havia entrado no curso de jornalismo, mas vale a pena rever o posto sobre as eleições presidenciais. De 2002.

Deixem-me curtir o momento

Que final de semana!

O Vascão venceu o finalista da Taça Libertadores da América por 4 a 0 (quem disser que o Grêmio usou o time reserva está perseguindo o Vasco com medo do Gigante garantir o título já no 1º turno). Estamos ainda muito no início do campeonato e o alvi-negro cruz-maltino só pegou "baba" até agora, mas há quantos anos eu não o via no topo da tabela? Tenho que aproveitar.

O Flamengo, a alegria do povo, foi enfrentar o Figueirense e levou uma sapecada também por 4 a 0 fora o baile.

Felipe Massa foi desclassificado, é verdade, mas a nova sensação da Fórmula 1, o inglês Lewis Hamilton venceu o Grande Prêmio do Canadá alcançando seu sexto pódio em seis corridas nesta temporada, sua primeira a Fórmula 1. Ele, que ficou conhecido como o primeiro negro na história da categoria, tem tudo para se tornar um dos grandes gênios do automobilismo.

Outro destaque deste GP do Canadá foi o acidente do polonês Robert Kubica. Violentíssimo, mas graças aos avanços tecnológicos e a alta preocupação com a segurança que reina na Fórmula 1 de hoje o piloto apenas fraturou uma perna. Menos mal.

Setembro

Os destaques do Blog em setembro foram:

A avaliação do quadro político nas vésperas do 1º turno;
O combate à campanha pelo voto nulo.

PSDB de luto

O empresário Abel Pereira, estrela do escândalo dos "sanguessugas", morreu hoje vítima de um ataque do coração.

Solução para os seus problemas

Você está triste? Deprimido? Chateado? Abatido? Sem motivo para cantar uma bela canção? Não precisa ser Joseph Climber para reanimar. Leia o Zé Graça, leia a Veja toda. Sinceramente, recomendo a todos. Principalmente os estudantes de jornalismo. Aprenderão como não exercer a profissão.

Nesta semana nosso comediante preferido veio com essa:

"Dois anos atrás, quando VEJA publicou que Vavá intermediou encontros sigilosos no Palácio do Planalto entre homens de negócios e o principal assessor de Lula, Gilberto Carvalho, ninguém deu bola para o assunto. (...)

A gente deveria punir os políticos arruinando sua vida particular. Ao contrário do que se diz, não há nada de errado nisso.(...)"


Como ele ainda tem coragem* de reclamar que ninguém o leva a sério?!




*Olha pessoal, eu falei em coragem, mas não foi com a intenção de ameaçá-lo de morte não viu?

FOMOS SUPERADOS

Não tem jeito… fomos superados, graças a Deus.

Nos nossos comentários, sempre estamos analisando a conjuntura nacional em termos econômicos e chamamos a atenção dos leitores sobre o desempenho da economia. Falávamos de um recorde da Bovespa de 49.000 pontos e logo logo ela atingiu 53.000; falávamos de uma inflação de 4% e logo o mercado sinaliza com 3,6%. As reservas cambiais que eram superiores a US$ 92 bilhões, agora alcançam US$ 125 bilhões; o risco Brasil em declínio, já alcança índice menor que 150 pontos e o dólar que estava a $ 2,025 já alcança R$ 1,96. A taxa SELIC alcança 12% em termos nominais e 8,3% em termos reais.

O importante neste aspecto é que enquanto reduzimos a nossa taxa de juros, os países da União Européia aumentam suas taxas. Como diria a Miriam Leitão, o Brasil está sempre na contramão.

Mas o que mais chama a nossa atenção é a superação dos prognósticos com relação ao crescimento da economia brasileira. Em 22/04, eu já dizia que o mercado estava trabalhando com uma previsão de crescimento do PIB de 4,2%. Na época eu achava que o mercado, em pouco tempo, trabalharia com algo em torno de 4,7 a 5%.

Não deu outra: No Jornal da Globo do dia 8/06, o economista Caio Megale já sinalizava que a economia poderá crescer 4,9%. O Correio Braziliense deste domingo cita trabalho do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (IEDI) indicam que o setor industrial pode crescer 5% este ano, com semelhante evolução do PIB.

Contrariando os pessimistas, uma economia que vem crescendo há 14 trimestres consecutivos parece não estar repetindo o vôo de galinha de períodos passados. No passado, pagamos um preço muito alto com a preocupação em frear a inflação e o resultado foi taxas de crescimento pífias. Este monstro não morreu, mas já está domado. Mas existem outros indicadores que nos dão o suporte necessário para vislumbrar novos tempos para a economia brasileira.

Se formos novamente superados, melhor para os brasileiros!

Newton Braga,
Professor de economia do Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB)

Collo X Simon

Lembram do debate entre os senadores Pedro Simon (PMDB-RS) e Fernando Collor (PTB-AL) no Senado?

Para lembrar vejam o video:

9.6.07

Do fundo do coração

A indicação do ex-prefeito do Rio Luiz Paulo Conde para a presidência de Furnas vem dando o que falar. Duvido que Lula a confirme e torço com minhas fracas forças por isso mesmo. Seria mais uma vitória do fisiologismo puro. O que diabos Conde entende da área elétrica?

Outubro

Outubro foi o melhor mês do blog:


Ufa, acabou...

Melhores momentos de novembro

Em novembro merecem destaque:

7.6.07

Do Carlos Chagas

"O DÓLAR CAI, A GASOLINA, NÃO

Brasília (ALO) - Caso a pergunta se faça a um economista, a um executivo de multinacional ligada ao petróleo ou, mesmo, a um técnico da Petrobrás, e eles nos olharão de cima para baixo, com ar de comiseração, antes de dar a resposta. Terão mil explicações que o cidadão comum não entenderá para a indagação de por que, enquanto o dólar subia, elevava-se o preço da gasolina, mas agora que o dólar despenca, como não cai o preço da gasolina?

Podem dizer o que quiserem, mas tem vigarice nessa história. No mínimo, contrariando a lógica dos pobres mortais situados aqui em baixo.

Celebra-se a força do real frente ao dólar ou, até mesmo, a fraqueza das verdinhas, mas, em termos concretos, a conclusão é de que os mesmos de sempre continuam faturando em cima de todos nós. Apesar das mil equações esotéricas expostas em economês, como explicar o inexplicável? Suportamos montes de aumentos da gasolina por conta da alta do dólar. Tudo bem, era assim que as coisas funcionavam. Só que quando chega a vez da recíproca, ela não é verdadeira. O dólar despenca e os preços do combustível mantém-se no mesmo patamar, quando não crescem...

É por essa e outras que, humildemente, duvidamos desse fajuto mercado que não sofre limite algum do poder público. Aliás, de uns tempos para cá, o estado transformou-se em linha auxiliar do poder econômico. Fazer o quê?"

Carlos Chagas

Do blog da Cristiana Lobo

"Só tem artista...


Há alguns dias, o ex-deputado João Cunha entrou na Justiça contra o pagamento de verba indenizatória aos parlamentares - R$ 15 mil por mês que suas excelências recebem a partir da apresentação de notas de despesas com combustível, alimentação e aluguel de escritório e automóveis.
Agora, se sabe que nem todos os que questionam o pagamento da tal verba indenizatória o fazem pela mesma razão. É fato que a verba indenizatória representa um salário indireto e, também, é um foco de irregularidades - muitas notas frias andam por ali. Mas outros questionam por outra razão. São os ex-congressistas que têm suas aposentadorias calculadas com base no salário dos parlamentares. Se o salário dos deputados e senadores é R$ 16 mil, como está agora com o reajuste, o benefício dos aposentados é proporcional a isso. Mas se é extinta a verba indenizatória, o salário teria de ser reajustado. E junto com ele, o benefício dos aposentados.

Portanto, quando se lê uma coisa, é preciso olhar mais longe para identificar a real razão."

6.6.07

Cantor do RBD diz que ‘sair do armário’ fez bem

Do g1:

"Christian Chavez, integrante do grupo mexicano RBD, diz que tem vivido a vida que sempre sonhou desde que assumiu publicamente sua homossexualidade, há três meses.

Iniciei um processo de cura em que deixei as coisas para trás e comecei outras maravilhosas”, disse o artista à rede Televisa."

Dezembro

Em dezembro...

E disse o Príncipe dos Sociólogos

Do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso:

"O PSDB deve explorar, por exemplo, a pífia geração de empregos no governo Lula e a informalidade do mercado de trabalho. Assim como deixar claro que fizemos as privatizações e que elas foram realizadas sem roubo."

O Brasil é realmente o país da piada pronta.

É a exceção

A história dos gêmeos idênticos que a UnB considerou um afro-descendente e outro não é curiosa. Nada mais.

Todo sistema tem falhas e este não é diferente. Os dois deveriam ter direito a concorrer a uma vaga na universidade pelas cotas para negros, se não conseguiram assim isso não é motivo para acabar com este avanço do movimento negro.

TV pública

Nunca tive uma posição bem formada sobre a tal TV pública, mas o Zé Graça é contra, portanto, agora sou a favor.

3.6.07

Continuando a lembrança

Em março os destaques do Blog do Braga foram:

Grande besteira

O povo tá dando a maior bola para a besteira que o Hugo Chavez disse. Deixa o cara falar o que ele quiser. Não estão criticando-o exatamente por não aceitar as opiniões de quem é contra ele?! Que o Congresso responda a altura. Que Lula mande ele cuidar da Venezuela. E pronto.

2.6.07

Quase um ano

Pessoal,

Dia 12 completaremos um ano de Blog do Braga. Para comemorar repostarei daqui ao nosso aniversário os melhores post's do blog por mês. Era para eu ter começado ontem, então hoje serão os últimos dois meses.

Em maio tivemos:

  • Uma hipotética conversa entre Lula e o ministro Silas Rondeau, que acabara de ser denunciado no escândalo da Navalha;
  • A crítica à criação da Secretaria dos Portos;
  • O comentário sobre a final do carioca.


Abril foi ótimo:


Que mês!

Revejam e curtam =)