2.11.06

Solidariedade a Emir Sader

Assim como os blog's do Dirceu e do Mino este blog também declara sua solidariedade ao sociólogo Emir Sader.

Menos importante, mas tão sincero quanto as declarações de José Dirceu e Mino Carta o apoio é conseqüência da absurda decisão do juiz Rodrigo César Muller Valente que, em primeira instância, condenou Emir a um ano de detenção em regime aberto e a perda do seu cargo de professor na UERJ.

A condenação é resposta ao artido publicado pelo professor no qual chamara o senador Jorge Bornhausen (PFL-SC) de "racista" por este ter dito que estava feliz com a crise política que atingiu o Partido dos Trabalhadores e ter completado dizendo: “estaremos livres desta raça nos próximos 30 anos”.

CENSURA!!! Como mais poderia interpretar esta decisão judicial?

Lembro-me que a época desta declaração preconceituosa (espero não ser processado por dizer preconceituosa) vários cartazes foram grudados, na calada da noite, em pontos de ônibus de Brasília com a foto do senador vestido de nazista numa montagem com os dizeres: "Vamos acabar com "este" raça. Preto, pobre e operário nunca mais!”.

Quando vi, me opus aos cartazes. Não por discordar da mensagem que eles traziam, muito pelo contrário. Porém julguei equivocada a forma com a qual foi feita. Anonimamente simplesmente colaram os cartazes e não deram a “cara a tapa”. Hoje vejo que quem dar a cara a tapa, leva um murro que não fere o rosto do atrevido, mas sim a liberdade de expressão.

Queria muito dizer o que realmente penso sobre o senador catarinense, mas e se alguém ler e me processar? É, é assim que se faz censura hoje.

Nenhum comentário: