15.10.06

O futuro do PFL

Desculpem-me o otimismo, mas penso no Partido da Frente Liberal (PFL) como um partido em processo de extinção.

Antes de qualquer coisa lembremos que o PFL nasceu de uma dissidência do Partido Democrático Social (PDS), que outrora foi a Aliança Renovadora Nacional (ARENA). Isto mesmo, o partido que dava sustentação política aos governos da ditadura militar.

Na década de 90, o PFL inicia seu duradouro "casamento" com o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) indicando Marco Maciel como candidato a vice-presidente na vitoriosa chapa de Fernando Henrique Cardoso em 1994 e 1998. Em 2002 a aliança tucano-pefelista teve uma crise com a tentativa de candidatura à presidência de Roseana Sarney que foi refugada graças a uma ação da polícia federal no escritório de seu marido. O partido suspeitou que a ação da polícia foi arquitetada pelo PSDB e não apoio o tucano José Serra na sua candidatura presidencial.

O PFL é hoje um partido que tem a prefeitura de apenas uma capital: Rio de Janeiro, onde o prefeito depois de rodar por vários partidos acabou pousam ali. No 1º turno das eleições deste ano fez só um governador: José Arruda aqui em Brasília. No 2º turno tem dois candidatos ainda disputando governos estaduais: Mendonça Filho em Pernambuco e Roseana Sarney no Maranhão. As pesquisas mostram o governador pernambucano bem atrás nas pesquisas e Roseana empatada tecnicamente com seu adversário, mas de qualquer forma a saída dela do PFL é mais do que esperada. Ou sendo expulsa ou não.

Alguém di: É, mais eles tem a maior bancada do Senado. É verdade, porém com senadores velhos, eleitos pelas oligarquias conservadoras que estão perdendo força: Antônio Carlos Magalhães, César Borges, José Agripino, Heráclito Fortes, Marco Maciel, Edison Lobão, etc.

Luís Eduardo Magalhães teria alçado vôos altos se em 1998 sua morte prematura, com apenas 43 anos de idade, não tivesse interrompido sua trajetória política. De lá pra cá as tentativas de renovação dentro do partido vêm sendo com nomes como Antônio Carlos Magalhães Neto e Rodrigo Maia.

Nada imediato, mas não vejo muito futuro para o PFL.

Um comentário:

Adolfo Strombowsky disse...

Nunca houve no Brasil um presidente como Lula.
Mentir como ele, nunca nenhum presidente mentiu.
Roubar como ele, nunca nenhum presidente roubou.
Enganar como ele, nunca nenhum presidente enganou.
Lula é o grande pirata da política brasileira.

http://examigosdopresidentelula.blogspot.com

Sai Lula!