11.9.06

Cel. Ubiratan é assassinado


Em 1992 o coronel Ubiratan foi o comandante de uma operação que resultou no "Massacre do Carandiru", um caso vergonhoso, coisa de grupos de extermínio.
Alguns apoiaram a forma como a coisa aconteceu. O tipo de pessoa que diz "bandido bom é bandido morto". Não defendo bandido e creio que a lei deve ser dura com todos, porém excecuções sumárias por parte da polícia não podem ser toleradas. Alguém dirá "não me venha com negócio de diretos humanos, bandido não respeito o direito dos outros por que a polícia tem que respeita o deles?". O eles não respeitam os diretos dos outros, quebram as leis e fazem o que bem entenderem ser se importarem com as regras da sociedade porque são marginais. O estado não o é e portanto não pode se portar como tal.
No júri popular o Coronel Ubiratan, que foi eleito deputado estadual e era candidato a reeleição, foi condenado a mais de 600 anos de prisão, mas recorreu e foi absolvido. Exemplo infeliz, como todos, de impunidade, mas nem por isso o assassinato do coronel significa justiça. Justiça seria ele pagar por aquilo que era responsável. O assassinato dele é, como todos, uma brutalidade e espero que neste caso ocorra justiça, diferentemente do caso do massacre do carandiru.

Nenhum comentário: