30.9.06

Eleição em estado de luto

A fatalidade que ocorreu com o boeing da GOL entristeceu todo o país e o presidente Lula declarou luto oficial por 3 dias. Espero sinceramente que hajam sobreviventes e que sejam resgatados com vida.
Este não foi um ano bom para a aviação brasileira. Um pedaço de avião caiu numa casa em São Paulo. A porta de um avião caiu sobre o telhado de um supermercado também em São Paulo. O candidato a governador Siqueira Campos (PSDB-TO), o governador José Reinaldo Tavares (PSB-MA), o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) junto ao senador e candidato a govenador Teotônio Vilela Filho (PSDB-AL) sofreram acidentes de helicóptero, todos sem vítimas fatais. Tivemos também a crise da VARIG e agora este que é o maior acidente aéreo da história do Brasil.
Contudo, andar de avião ainda é 600 vezes mais seguro do que andar de carro.
OBS: Até agora a oposição não tentou responsabilizar o presidente pelo acidente da GOL.


Acabada a campanha só nos resta a expectativa pelo recado que as urnas vão mandar.
Na eleição presidencial, por não ter ido ao debate da Globo, Lula pode não vencer no 1º turno. Não ouve o que eu digo, olha aí.
Nos estados alguns caciques passam dificuldade.
Nas brigas pelas vagas no senador;
O maranhense Sarney (PMDB-AP) sofreu pressão de uma quase desconhecida, Cristina Almeida (PSB-AP), na eleição para senador do Amapá, mas deve ser reeleito;
Eduardo Siqueira Campos (PSDB-TO), um dos bons nomes do seu partido, deverá perder sua cadeira no Senado segundo pesquisa IBOPE;
Collor (PRTB-AL) deve ser eleito por Alagoas (aff);
O grupo de ACM (PFL-BA) perderá uma das três vagas baianas no Senado com a eleição do grande João Durval (PDT-BA);
No Ceará a briga está quente entre Inácio Arruda (PCdoB) e Moroni Torgan (PFL-CE);
Pedro Simon (PMDB-RS) deve ser eleito para seu 4º mandato como senador. Concluindo-o chegará a marca de 32 anos como senador da república.
Eduardo Suplicy
(PT-SP) será eleito para seu 3 mandato consecutivo no senado;

Nas disputas pelos governos dos estados deverá ocorrer muitas reeleições e muitas decisões já em 1º turno:
O PT chegará ao 3º mandato seguido no governo do Acre;
Cid Gomes (PSB-CE) vencerá depois de uma bela virada sobre Lúcio Alcântara (PSDB-CE);
Aécio Neves (PSDB-MG) será reeleito governo e desde já é postulante a eleição presidencial de 2010.
A disputa em Pernambuco irá para segundo turno entre o governador Mendonça Filho (PFL-PE) e um candidato de esquerda, provavelmente Eduardo Campos (PSB-PE) já que Humberto Campos (PT-PE) sofreu acusações durante a campanha que o atrapalharam.
A governadora Wilma Faria (PSB-RN) parecia ter perdido a eleição, mas conseguiu uma bela reação e está empatada nas pesquisas com o representante a oligarquia dos Alves Garibaldi Filho (PMDB-RN).
Os três mosqueteiros sulistas do PMDB Germando Rigotto (PMDB-RS), Luiz Henrique (PMDB-SC) e Roberto Requião (PMDB-PR) deverão ser reeleitos, mas apenas o governador lincenciado de Santa Catarina pode vencer no 1º turno.
Serra (PSDB-SP) deve ser eleitor governador já amanhã.

Aqui no DF aposto com quem que quiser apostar e o que quiserem apostar que a eleição terá 2º turno. As pesquisas que mostram José "violador de painel" Arruda (PFL-DF) com 60% não têm cabimento e já é tradição no DF as pesquisas furarem. Arlete Sampaio (PT-DF) deverá ter por volta de 25% dos votos e com os voto da governadora Maria Abadia (PSDB-DF) deverá haver segundo turno. Se o segundo turno for, eventualmente, entre Arruda e Abadia declarado desde de já que meu voto será de Abadia. Na verdade, se o segundo turno fosse entre Arruda e o macaco Tião, o saudoso chimpanzé teria meu voto.

29.9.06

Debate na Globo


O debate de ontem na Rede Globo ficou esvaziado pela ausência de um candidato, um tal Lula.

Mantenho minha posição. Ele deveria ter ido e poderia ter dado um show. As desculpas para não ir não são válidas. Se Heloísa Helena fizesse um barraco isso iria atrapalhar ela e não ele. Iria ser um jogo de todos contra um? Sim, mas todos se uniramser mesmo sem a presença dele para se defender. Foi um elogiando o outro o tempo todo, a não ser por Heloísa Helena que atacou Alckmin na figura de FHC. Cristovam chegou a elogiar o choque-de-gestão que Alckmin propõe. Onde já se viu candidato elogiar proposta de outro num debate!?!?!?

De forma geral Heloísa Helena foi a que se saiu melhor, a não ser quando falava seus bordões: "Eles são uns moleques de recado do capital estrangeiro", "Eles tem coragem de matar e passar por cima de todos que passam pela frente do seu plano de poder", etc. Cristovam também foi muito bem, apesar de, pasmem, ter falado muito de educação. Geraldo não foi tão bem quanto os outros, mas quem saiu mal mesmo foi o presidente Lula. Não sei quem exatamente decidiu que ele não deveria ir, mas foi uma bola fora. eu já recebi três ligações de familiares do Maranhão reclamando pra mim a falta de Lula no debate. OBS: não tenho culpa.

Acredito que a ameaça de 2º turno volta e pra quem não terá maioria sólida nem na Câmara, muito menos no Senado e ainda tem o risco de sofrer um golpe branco vencer no 1º turno é importantíssimo.

Foto: Liliam Rana/Agência Brasil

27.9.06

Haverá 2º turno...

Calma, haverá segundo turno na eleição pra governador do DF.
Deixei de acreditar em pesquisas. Não considero confiáveis os institutos de pesquisas daqui, principalmente depois de um candidato a vice-governador ter declarado que recebeu uma proposta de um desses institutos para que sua chapa ficasse melhor nas pesquisas caso houvesse um pagamento por fora.
Também podemos lembrar das últimas eleições. Em 1998, Cristovam era dado como reeleito e acabou perdendo para Joaquim Roriz (PMDB). Em 2002, pouco antes das eleições as pesquisas indicavam o mesmo Roriz com 57% das intenções de votos e Geraldo Magela (PT) com menos de 20%. As urnas foram abertas e o resultado foi 42% a 40% e no 2º turno Magela perdeu por apenas 15 mil votos numa eleição cheia de acusações de abuso de poder.
Mas isso é passado. O presente nos mostra vária pesquisas contradizendo-se. Hoje, uma pesquisa foi divulgada dando a José "Painel" Arruda (PFL) 60% dos votos válidos, porém pesquisas de bastidores, algumas de orgãos acima da suspeitas, o mostram com pouco mais de 40% e as candidata Arlete Sampaio (PT) e Maria Abadia (PSDB) disputando a outra vaga no segundo turno.
As pesquisas "suspeitas" chegam a ser engraçadas. Mostram Arlete Sampaio com pouco mais de 10%. Ora, o DF sempre foi dividido ao meio entre petistas e rorizistas e agora só restou um quinto dos simpatizantes petistas!? Tá bom que o partido teve uma séria crise, mas também não é assim.
Palpite pessoal: Haverá 2º turno. Arruda estará lá sustentado nos ultimos quatro anos que passou fazendo campanha e no aparente esquecimento do caso da violação do painel do Senado , um crime contra o parlamento, da qual ele participou. Sua concorrente será Arlete Sampaio içada pela força de sua militância e seu passado limpo.
Espero o que dirão as urnas e não as pesquisas.

Viva os debates!!!

Ontem a Rede Globo promoveu debates entre os candidatos a governador em todos os estados e no Distrito Federal.
Destaque para o debate entre os candidatos a governador aqui do DF. Arlete Sampaio(PT) foi muito bem, sem dúvida a melhor no debate. Toninho do PT, quer dizer, do PSOL também foi bem, mas se concentrou em atacar a candidata do PT e entrou no jogo dos candidatos de direita. A governadora Maria Abadia (PSDB) falha em não ter uma boa oratória, mas apertou o candidato Arruda (PFL) por ele prometer ampliar o número de Campus da UnB sem lembrar que é uma universidade federal, portanto, não compente ao governador do DF decidir sobre isso. A conclusão que se tira desse debate é que deverá haver segundo turno e Arlete ganhou força para superar Abadia e ir concorrer com Arruda.

Adoro debates, acho que todo candidato deveria comparecer. Roseana Sarney, no Maranhão, e Aécio Neves, em Minas Gerais, não compareceram porque são absolutamente favoritos em suas disputas e não ganham nada nos debates.
Isso nos remete à disputa nacional na qual Lula é o grande favorito e não foi a nenhum debate até agora, mas especula-se que, motivado pelas denúncias do caso do dossiê, ele pode ir ao debate de quinta-feira entre os candidatos a presidente também realizado pela Globo.
Sinceramente, creio que ele deveria ir. Não por causa da história do dossiê no qual o Serra é acusado (é bom lembrar que o acusado é o Serra), mas pela importância do debate. Alguns lulistas dirão: "Mais todo mundo vai ficar atacando-o e ele só tem a perder". E eu responderei: E ele não tem respostas pras perguntas? Não tem as devidas explicações? Não tem porque fugir. Lula pode dar um show nesse debate, ser simpático, responder com firmeza o que lhe for perguntado, não atacar ninguém, falar dos avanços dos últimos quatro anos e sair com a vitória assegurada no primeiro turno.

26.9.06

Voto Nulo

Quando estourou o escândalo do valerioduto eu pensei em votar nulo nas eleições, sobretudo no voto para deputado federal. Eu achava que seria uma forma de demonstrar meu descontentamento com tudo o que estava acontecendo naquela época, mas hoje vejo a inutilidade deste tipo protesto.
O direito ao voto não caiu do céu. Quando os brasileiros começaram a votar eram apenas os homens ricos que votavam. Conseguimos, com mobilização popular, conquistar o voto feminino e acabar com o voto censitário. Ditaduras tiraram nosso direito ao voto e povo não deixou de lutar. Alguns morreram na luta e nem chegaram a ver a democracia de volta. Na constituinte 88 conquistamos o direito do voto aos 16 anos de idade. Depois de tudo isso vem meia dúzia de babaca pregarem o voto nulo como protesto!? Votar nulo é renunciar ao maior direito do cidadão, e é através desse direito que podemos mudar a realidade da política brasileira.
Se todos estes que pensam em protestar com o voto nulo, ao invés disso, votassem corretamente já seria uma boa renovação para a câmara federal.
Renovar sim é um bom protesto. Temos de deixar de votar em Severino Cavalcanti's, Roberto Jefferson's, Inocêncio de Oliveira's e todas as figuras que fujam a política brasileira. Escolhi apoiar para deputado federal um candidato de 36 anos que nunca teve mandato legislativo exatamente por isso.
NÃO VOTEM NULO. VOTEM CERTO.

24.9.06

A Lenda do Dossiê

Lula estava desesperado. Precisava, de qualquer maneira, de uma grande denúncia contra seu adversário Geraldo Alckmin e contra o candidato a governador de São Paulo, José Serra. Eles estavam nadando de braçada. Alckmin já tinha garantida a eleição para presidente em primeiro turno e, por outro lado, Lula tinha muito a ganhar atacando um candidato a governador. Assim, o presidente da República mandou um seu auxiliar procurar algum dossiê demolidor contra Alckmin e Serra. Achou. Havia um dossiê à venda com informações que ninguém tinha e que não deixava sombra de dúvida de que os tucanos estiveram envolvidos com a máfia dos sanguessugas. E o tal dossiê era tão "bom" que seus donos o colocaram à venda por quase dois milhões de reais. Então, Lula mandou desviarem dinheiro público para comprar o dossiê, pois sua reeleição já estava praticamente perdida e ele nada teria a perder...

(Autor desconhecido)

O que é isso Alckmin? Defendendo Collor?!

No dia 28 de agosto de 1992, o então presidente da República Fernando Collor de Mello teve seu processo de impeachment aprovado pela Câmara dos Deputados. As acusações eram diversas. Collor faria parte, ou até mesmo lideraria, uma quadrilha que cobrava propina dentro do governo, fazia tráfico de influência, desviava dinheiro público, deixou a sua conta bancária fora do confisco de 1990, entre outras acusações.
Agora vem o candidato tucano a presidência Geraldo Alckmin, querendo atacar o presidente Lula, dizer: "Por muito menos o Collor foi afastado". Como assim?!?!? Eles, perdendo as urnas, vão querer impedir um presidente eleito e reeleito pelo povo sem o apoio maciço da população e sem nenhuma justificativa legal? Se tiverem esses ingredientes que comecem o processo de impeachment agora, mas não têm. Nem mesmo a OAB, que foi e é oposição desde o primeiro dia deste governo, teve a coragem de dizer que havia motivo para pedir esse impeachment.
Alckmin, critique Lula, é a função de qualquer oposição, mas também não precisa defender o Collor né.

23.9.06

Dossiê Serra


Queria ser uma mosquinha

Segundo a pesquisa Datafolha divulgada neste sábado pela Folha de São Paulo o quadro eleitoral se mantém estável, isso é, Lula venceria no 1º turno mesmo após a crise do dossiê.
O que eu queria agora era ser uma mosca para poder presenciar uma reunião tucano-pefelista. Qual será o sentimento geral ali? Desespero? Raiva? Devem estar inconformados. "Como esta raça se atreve a eleger e reeleger um ex-retirante para a presidência da República!?", deve estar dizendo o fürer pefelista.
O jogo está ganho? Não, mas virar agora só com uma "marca de batom na cueca", só algum prova cabal de alguma acusação muito séria contra o próprio Lula. Não adianta bater nos amigos. Mesmo com a crise do mensalão , o caso do caseiro e, agora, a questão do dossiê o povo não vê motivo para deixar de votar no ex-operário. Na visão do povo, 7,5 milhões de novos empregos, inflação controlada, bolsa-família, ProUni, 19% de redução da miséria e outros avanços sociais e econômicos estão a frente de dossiês comprados, na verdade, o que a população quer é ver esse dossiê sendo investigado, tanto os que o compraram quanto os acusados por ele.
Acredite Bornhausen, esta raça tem vontade própria.

21.9.06

Agora sim

O deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ), uma ilha de sanidade no meio de tanta insensatez, pediu o envio à CPI das Ambulâncias (ou CPI dos sanguessugas) do dossiê que envolve o ex-ministro e candidato a governador de São Paulo José Serra com a máfia dos sanguessuga. O pedido foi deferido pelo juiz Marcos Tavares da justiça federal de Mato Grosso. Assim sendo Serra e o secretário executivo do ministério da Saúde na sua gestão Barjas Negri, que inclusive o sucedeu, entram para a lista de investigados como os também ex-ministros Humberto Costa (PT-PE) e Saraiva Felipe (PMDB-MG).
Aleluia. Agora sim parece que a investigação abrangerá todos os acusados. E é bom que seja dito com todas as letras o que parte da mídia tucana não quer falar: Serra é um acusado e não, necessariamente, vítima.

E o estado democrático de direito?

Segundo o portal Terra o ex-presidente FHC afirmou numa entrevista em Nova Iorque que o atual presidente Luís Inácio Lula da Silva terá de provar "objetivemente" que não sabia das negociações para a compra do dossiê no qual José Serra é acusado de envolvimento com a máfia dos sanguessugas.
Para onde estamos caminhando? Está lá no art. 333 do código de processo civil: "O ônus da prova incumbe a quem alega". É o velho "são todos inocentes até que se prove o contrário" que funciona, ou pelo menos deveria funcionar, em qualquer estado democrático de direito.
Uma declaração como essa vindo de um dos maiores sociólogos do Brasil é assustador. Se ela viesse de um dos ex-membros da Arena que têm saudades da ditadura militar seria compreensível, mas não condiz com a biografia de Fernando Henrique.

20.9.06

Pressentimento

Tenho o pressentimento que a próxima edição da revista Veja, a última antes do 1º turno, virá com acusações contra o presidente Lula, contra o governo, contra PT e quem mais estiver próximo. Não duvido nem mesmo que tentem ligar diretamente o presidente à compra do dossiê contra José Serra. Dossiê que ninguém discute se é verdadeiro ou não.
Hoje o deputado federal e presidente nacional do Partido dos Trabalhadores Ricardo Berzoini (PT-SP) foi afastado da coordenação de campanha a reeleição do presidente Lula e foi substituido por Marco Aurélio Garcia, secretário especial de Assuntos Internacional da Presidência e vice-presidente do PT. Essa mudança não é uma punição a Berzoini como se ele fosse culpado pela história do dossiê, mas por via das dúvidas...

19.9.06

Até onde irá esse denuncismo?

A duas semanas das eleições Lula passeia com 50% das intenções de votos e 62% de aprovação do seu 1° mandato. Quem numa situação destas colocaria tudo a perder se envolvendo num caso como a da compra do dossiê contra José Serra? Então seria obra do senador Aloízio Mercadante, concorrente de Serra ao governo de São Paulo? Quem conhece o senador sabe que este tipo de coisa não é do seu feitio.
Agora me imagino na situação do tal Freud Godoy (não, não farei nenhum trocadilho com seu nome) que tem o mesmo tipo de envolvimento com o PT que eu tenho. Sou filiado, membro do setorial de juventude no DF e membro da coordenação de campanha da companheira Arlete Sampaio ao governo do DF. Sendo-me oferecido um dossiê contra o candidato José Arruda, adversário de Arlete, eu compraria, não pensaria duas vezes, bastaria ter o dinheiro. O problema é que eu não teria dinheiro suficiente. E não sei se o Freud tinha. Portanto a dúvida é: De onde veio o dinheiro? Outra dúvida, insisto, é: As acusações contra Serra são verdadeiras?
Não sei a resposta para nenhuma das dúvidas e por isso mesmo espero que sejam investigadas a fundo deixando questões político partidárias de lado.
Freud Godoy é colega (não gosto de abusar da palavra amigo) de Lula e por isso muitos já dizem: "Será que Lula terá a coragem de dizer de novo que não sabia!?!?". Já disse que Lula não ganha nada com a história do dossiê, até porque, é amigo de Serra, chegou a aconselhar Itamar Franco a nomeá-lo ministro da Fazenda quando o mineiro era presidente. Porém, o que me vem a mente quando vejo eles criticando Lula pore não saber tudo que acontece no governo ou no PT é que eles mesmo se colocam em posição delicadas pois me dão a liberdade de pensar que eles então sabem do que ocorre ao redor deles. Saberia Serra dos sanguessugas, já que começaram na época que ele era ministro na Saúde? Saberia Alckmin dos mais 400 vestidos que sua esposa teria ganhado de presente? Saberia FHC dos casos Marka-FonteCindam? Do caso Sivam? Da compra de votos para a emenda da reeleição? Da violação do painel da qual seu líder no Senado participou ao lado de ACM? Não, duvidam que sabiam.
O presidente da República tem 37 prerrogativas segundo a Constituição Federal e nenhuma delas é fiscalizar o governo, muito menos seu partido.

As acusações perdem a credibilidade ao passo que o nervosismo fica evidente diante a eminente derrota que parece nascer no horizonte próximo. Chegam a acusar Freud Godoy de participação no assasinato de Celso Daniel. Meu Deus, digo ferindo meu agnosticismo, a impotência deles diante o fenômeno social Lula faz com que tomem atitudes Lacerdistas deploráveis. Porém, deixou claro, toda, repito TODA, acusação deve ser investigada até alcançada a verdade e todos os culpados devem ser punidos, tenham ou não filiação a qualquer partido.

Estão perdendo o foco


Muito vem se falando sobre o dossiê contra o ex-ministro da Saúde José Serra (foto). Porém, o que se vem falando é como ele foi comprado, sobre o petista que o teria comprado e estão perdendo o fato principal. As acusações contra José "compromisso" Serra são verdadeiras ou não.
Não estou dizendo que as acusações contra o petista suspeito não devem ser apuradas, pelo contrário, todas, e quando eu falo todas eu quero dizer TODAS, as acusações devem ser apuradas e os culpados, se existirem devem ser punidos.
O que fica claro também é que acusações há duas semanas das eleições não têm credibilidade, não sei se são verdadeiras, mas não são confiáveis.

18.9.06

Gato escaldado tem medo de água fria


O presidente do PT/DF Chico Vigilante (foto) foi deputado federal entre 1990 e 1998. Em 98 foi candidato a reeleição e era tão certo que seria reeleito que muitos que votariam nele decidiram votar em alguém que precisa mais. Resultado: Chico Vigilante não foi eleito.
Hoje ele é deputado distrital e tentar reeleger-se. Mais uma vez surgem boatos de que ele já está eleito e não precisa de votos, mas dessa vez ele fez questão de, no horário eleitoral, lembrar o que aconteceu em 98 e para que votem nele independentemente de ele ter a eleição garantida ou não.
É Chico, cachorro mordido de cobra tem medo até de linguiça... hehehe

17.9.06

Mais uma notícia para ser abafada pela "grande imprensa"

Quero ver se essa noticia será divulgada pelo meios de comunicação que estão claramente apoiando o candidato José Arruda.

"O candidato a deputado federal, advogado Eri Varela, avisa que tem muita munição contra o candidato do PFL ao Palácio do Buriti, José Roberto Arruda. E conforme havia prometido, “aos poucos, vou esclarecendo a população e mostrando quem realmente é este senhor”. Durante evento realizado em uma chácara no Lago Oeste, neste sábado (16), ele voltou a soltar faíscas, em um discurso inflamado. “Como pode, um invasor dizer que vai combater a invasão?”, ironizou.

De acordo com Varela, Arruda é invasor da chácara 16, onde mora. “Ele, juntamente com o seu candidato ao Senado, Marcos Cardoso, construiu um clube prive de lazer, numa área pública, localizada entre o conjunto 16 e 19 da Chácara 16, no Botanic Garden, onde é morador. E mais: “A mansão, adquirida em 2003, no valor de R$ 658 milhões, e que demorou um ano e meio para passar a escritura, está em nome de três de seus filhos, então adolescentes, e um deles – na ocasião – morava na Austrália”.

Eri Varela também reafirmou sua lealdade à governadora e candidata à reeleição Maria de Lourdes Abadia. “Estou com a senhora até o fim, porque desde pequeno, aprendi que não se pode agradar a dois senhores”. Ele assegurou que prefere perder a eleição para deputado federal a ter que deixar de falar a verdade sobre o que sabe sobre os adversários.

O candidato a deputado federal enalteceu as virtudes de Abadia e Maurício Corrêa, “pessoas muito honestas” e disse que não aprendeu a pedir, mas a agradecer. Endossado por Ivelise Longhi, a também candidata a distrital enalteceu as virtudes de Varela – “coragem, responsabilidade e certeza no que está falando”."

Texto tirando do site de campanha da governadora Maria Abadia.

15.9.06

Gabeira volta atrás

O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) voltou atrás na sua decisão e declarou que irá indicar a responsabilidade política do senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT) nas acusações de envolvimento com a máfia das sanguessugas, porém descartou responsabilizar o senador pelo recebimento de propina.

Viram? Só porque eu publiquei aqui no blog a tentativa de pizza não deu certo.
hehe

14.9.06

Esqueçam de novo


Ainda hoje ecoa a repercussão da "Carta aos Eleitores do PSDB" escrita pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Das duas uma: Ou ele queria isso mesmo, afinal ele nunca foi um entusiasta da campanha de Alckmin e de bobo ele não tem nada, ou ele estar arrependido e língua deve estar coçando para repetir seu antigo bordão: "Esqueçam o que eu escrevi".

:D

Lembrando: Quando ainda presidente Fernando Henrique foi questionado sobre as contradições entre aquilo que ele escreveu em seus livros durante sua carreira de sociólogo e aquilo que vinha colocando em prática como chefe do governo. A resposta não podia ser mais emblemática e acabou ficando como um bordão na boca do povo.

Vedoin acusa Serra


A próxima edição da revista ISTOÉ virá com uma entrevista do empresário Luiz Antonio Vedoin, dono da empresa Planam, que ocupará sete páginas. Nessa entrevista Vedoin afirma que pagou propina a José "compromisso" Serra, na época ministro da Saúde, e a Barjas Negri, secretário-executivo do ministério, para que liberassem grana destinada à compra superfaturada de ambulâncias.

Duas observações:
Por que esse empresário faz essas denúncia parceladas? Por que um dia ele acusa um, no outro ele acusa outro e assim sucessivamente? Por que não declarou tudo que tinha para declarar logo de primeira?

Mais uma denúncia e não quero saber a filiação partidária do acusado. A denúncia tem que ser investigada, a verdade tem que ser alcançada e os culpados punidos, ponto.

13.9.06

Primeira pizza nos sanguessugas


O deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) isentou o senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT) (foto) da acusação de envolvimento com a máfia das sanguessugas. Se o senador tucano é culpado ou não é eu não sei e não é dever meu julga-lo, o fato é que essa declaração de inocência mal aparece escondidinha entre uma ou outra notinha de jornal. Se sua conterânea, a senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), que também sofre a mesma acusação fosse inocentada todas trombetas na grande mídia iriam se insuflar para declarar que se tratava de uma pizza decorrente de uma grande acordão orquestrado pelo PT. Ora, por que esse "dois pesos e duas medidas"? Fica parecendo ser um jogo de cartas marcadas.
É bom deixar claro que a conclusão da inocência do polêmico político matogrossense não vem depois de uma exaustiva investigação, pelo contrário, o deputado Gabeira, que havia sido escolhido para fazer um relatório preliminar sobre as acusações a Antero na CPMI das ambulâncias, simplesmente enviou um e-mail ao gabinete do senador adiantando a conclusão do seu parecer, que só será apresentado no dia 4 de outubro, no qual diz que não pedirá a abertura de um processo contra Paes de Barros no Conselho de Ética do Senado.

Lembrando: Antero Paes de Barros é aquele senador que recebeu em seu gabinete o caseiro Francenildo antes do humilde trabalhador fazer acusações contra o então ministro Palocci e por isso foi, na época, acusado de ter manipulado o caseiro.
Paes de Barros também foi acusado, e provaram a acusação, de ter envolvimento com o bicheiro João Arcanjo Ribeiro, o Comendador, que por sua vez é acusado de mandar matar mais de 30 pessoas em Mato Grosso.

11.9.06

Cel. Ubiratan é assassinado


Em 1992 o coronel Ubiratan foi o comandante de uma operação que resultou no "Massacre do Carandiru", um caso vergonhoso, coisa de grupos de extermínio.
Alguns apoiaram a forma como a coisa aconteceu. O tipo de pessoa que diz "bandido bom é bandido morto". Não defendo bandido e creio que a lei deve ser dura com todos, porém excecuções sumárias por parte da polícia não podem ser toleradas. Alguém dirá "não me venha com negócio de diretos humanos, bandido não respeito o direito dos outros por que a polícia tem que respeita o deles?". O eles não respeitam os diretos dos outros, quebram as leis e fazem o que bem entenderem ser se importarem com as regras da sociedade porque são marginais. O estado não o é e portanto não pode se portar como tal.
No júri popular o Coronel Ubiratan, que foi eleito deputado estadual e era candidato a reeleição, foi condenado a mais de 600 anos de prisão, mas recorreu e foi absolvido. Exemplo infeliz, como todos, de impunidade, mas nem por isso o assassinato do coronel significa justiça. Justiça seria ele pagar por aquilo que era responsável. O assassinato dele é, como todos, uma brutalidade e espero que neste caso ocorra justiça, diferentemente do caso do massacre do carandiru.

9.9.06

Ótimo texto

Livres dessa raça?
por Louise Caroline, vice-presidente da UNE

O senhor não está desencantado com tudo isso que acontece no Brasil ?”"Desencantado? Pelo contrário. Estou é encantado, porque estaremos livres dessa raça pelos próximos 30 anos."
Assim o Senador Jorge Bornhausen, presidente nacional do PFL, analisou o quadro político brasileiro há exatamente um ano. Naquele momento, os principais cientistas, jornalistas e políticos concordavam com esse vaticínio. Roberto Freire, presidente nacional do PPS, chegou a afirmar em inserções de rádio e televisão que o Governo havia acabado e apontava sugestões para a imediata sucessão. O fato estava dado, o PT acabado e a direita se considerava de volta ao poder.
A quem me lê, adianto que este não se trata de um libelo revanchista. Nem uma lição para que os sociólogos de plantão revejam suas premissas e teses na busca por explicar o fenômeno Lula e sua reeleição iminente. O debate se pauta, sim, sobre a inversão do constrangimento e também sobre de qual campo ideológico o povo brasileiro está se libertando neste momento da luta política.
Há um ano, o constrangimento foi imposto aos petistas e aos defensores da sustentação do Governo Lula. Agora, acompanhar famosos líderes tucanos e pefelistas renegando seu candidato à presidência, e, mais que isso, disputando na Justiça o suposto direito de veicular imagens suas ao lado do Presidente Lula, causa um impacto imensamente maior do que a revolta originada nas declarações preconceituosas de Jorge Bornhausen. E não são casos isolados.
Mendonça Filho, candidato a Governador do PFL em Pernambuco; Lúcio Alcântra, do PSDB, postulante do mesmo cargo no Ceará; Roseana Sarney, PFL do Maranhão. E dezenas, centenas de candidatos ao parlamento e de prefeitos da base oposicionista sentem-se constrangidos a apoiar o Presidente que apresenta índices de aprovação e intenção de voto recordes na história de nossa democracia.
Mais que isso: Heloísa Helena, virtual terceira colocada na sucessão, é recém expulsa do PT. Cristóvam Buarque, que deve alçar o quarto lugar na disputa, recém dissidente também do PT. Perceba-se, portanto, que dos quatro possíveis primeiros colocados, três têm suas raízes justamente na “raça” cujo fim foi profetizado.
Por outro lado, aliás, muito do outro lado, Jorge Bornhausen não teve sequer condições de se candidatar à reeleição. Aproveitou para comunicar seu desligamento da vida pública, e, - que ironia! – nos livramos dele para sempre. Arthur Virgílio, que ameaçou surrar o Presidente, apanha nas urnas e não será eleito Governador do Amazonas. Roberto Freire, sem condições políticas nem votos para disputar nada pelo partido que preside, aceitou como prêmio de consolação por serviços prestados a vaga de suplente da candidatura de Jarbas Vasconcelos ao Senado em Pernambuco. Alckmim e seu alter-ego, Geraldo, seguem abandonados até por Fernando Henrique – para quem “Serra é mais preparado” - e Aécio Neves que, agora, negam a paternidade de sua candidatura.

Desde o Movimento Estudantil aprendemos que a política é dinâmica. Mas que não é mágica e, portanto, nada acontece por forças sobrenaturais. A disputa de hegemonia se dá com elementos concretos, na vida real. E a realidade, que agora estupefata a tantos, não surpreende aos que têm acompanhado sem a arrogância elitista as transformações profundas que o Governo Lula tem garantido à vida das pessoas.
O povo miserável que sempre dependeu de se subjugar ao poder coercitivo da cesta básica no período eleitoral está livre para decidir quem o representa, porque a comida chega o ano inteiro, como política pública, e não como assistencialismo eleitoreiro.
A consciência de que a classe trabalhadora pode dirigir o país de forma soberana e democrática é mais uma liberdade para os que sempre foram tratados como incapazes e “raça” inferior.
Essas conquistas são bons elementos para que os sociólogos, cientistas políticos e jornalistas iniciem um novo método de análise e para que a direita brasileira aprenda a ler a realidade crua, sem os temperos de uma falsa “opinião pública” inventada por seus pares.
Liberdade, ainda que tardia!

Louise Caroline
Vice-Presidente da UNE
louiseune@gmail.com

Oooo golpismo


O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) (foto), voltou a falar em impeachment do presidente Lula. Quanto desespero. Com tanta pesquisa mostrando vitória do Lula, provavelmente no 1° turno, o jeito é tentar apelar. Tsc tsc tsc... Apelou perdeu. Não há o mínimo apoio popular para cassar o presidente e um impeachment não deve nascer nas bocas de uma oposição derrota, tem que nascer nas ruas, e elas, a cada dia que passa, apoiam ainda mais o presidente.
Há uma acusação, mais uma, contra o governo e mais uma vez vinda da revista Veja. Ela, como toda acusação, deve ser apurada e se houverem culpados que sejam punidos, ponto.
É melhor se esforçarem mais. Só tem mais duas edições da Veja até as eleições.

8.9.06

Carta aberta de FHC


O ex-presidente FHC publicou ontem uma carta aberta intitulada "CARTA AOS ELEITORES DO PSDB". Pra começar: Que eleitores!? hehehe
Na carta, o tucano praticamente admite a derrota nas eleições de outubro próximo: “Nós do PSDB não fomos suficientemente firmes na denúncia política de todo esse descalabro no momento adequado. Não será agora, durante a campanha eleitoral, que conseguiremos despertar a população". E mais a frente completa: "Ainda que o eleitorado não nos acompanhe neste momento, deixaremos as marcas de nosso estilo, de nossas atitudes, para calçar um futuro melhor para o país”.
Em outro trecho o presidente da privataria assume que o ex-presidente do PSDB, senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), também bebeu da fonte do valerioduto. Erro que quando cometido por membros do PT gerou uma crise e uma perseguição política poucas vezes vistas. "Erramos no início, quando quisemos tapar o sol com a peneira no caso do senador Azeredo”, disse.

Tão esforçado em entrar para a história com o aposto “um democrata”, FH mais parece “o excluído”. O próprio partido que ele fundou o deixou de lado nesta campanha, sua imagem só espanta voto. E não é pra menos. Grande sociólogo, nascido nos berços da classe média alta, estudante da escola de Sorbonne, em Paris, FH teve dois governos com resultados piores dos que o de um metalúrgico que concluiu apenas o ensino fundamental e tem um dedo a menos.
Pela sua história como sociólogo, resistente ao regime militar, defensor das “Diretas Já” e fundador de um partido bem intencionado, pelo menos na sua fundação, Fernando Henrique não precisava entrar nesse joquinho de perseguição política, mas quando o faz, principalmente quando crítica o presidente Lula por não fiscalizar o governo, e isso não é papel de presidente da república, FHC acaba colocando a própria imagem em cheque.
Malhar o ex-líder sindical por não ter visto as irregularidades que de fato ocorreram nos remete à idéia de que ele sabia de tudo o que se passava em seu governo. Sabia então da compra de votos para a aprovação da emenda constitucional que instituiu o instrumento da reeleição? Sabia então do caso dos bancos Marka e FonteCindam? Sabia então do tráfico de influência nas privatizações da Telebrás? Sabia que dar a Companhia Vale do Rio Doce por R$ 3,3 bi seria um prejuízo anual de mais R$ 7 bi? Sabia da corrupção na Sudam e na Sudene? Sabia que passaríamos pelo apagão e nada fez para evitar? É melhor mudar o discurso FH.

Fim do voto secreto (se eles deixarem)


Nessa semana, intitulada semana de exforço concentrado, a Câmara dos Deputados limpou a pauta da casa que estava trancada com 20 MP's, que têm prioridade máxima para serem votadas e não deixavam que mais nada fosse aprovado.

A votação mais importante foi a que decidiu acabar com o voto secreto em todas as votações no Congresso. Segundo este projeto não há exceções, em todas as votações o eleitor poderá saber como seu representante está votando na Câmara e no Senado, porém tem gente que não gosta disso. O líder da oposição na Câmara, José Carlos Aleluia (PFL/BA), ainda quer o voto escondido. Ele defende que ninguém saiba como os parlamentares votam para eleger os presidentes da Câmara e do Senado. Foi com o voto secreto que ele articulou a eleição de Severino Cavalcanti para presidir a Casa do Povo só para ter o prazer de derrotar o governo naquela eleição colocando as questões político-eleitorais a frente das questões de Estado. Vamos falar sério, a eleição do Severino foi um atentado contra o próprio Parlamento e agora eles querem manter o voto secreto para continuar essa prática.

3.9.06

Reflexão da semana

Vocês já notaram como as coisas estão sendo banalizadas?
Quem fica surpreso quando vê o noticiário e assiste que 20 pessoas foram mortas no Iraque? Meu deus, 20 pessoas, 20 vidas, tão importantes quanto a minha, a sua ou de qualquer um. Será que a vida humana deixou de ser importante? Será que perdeu sua santidade? Por que nós vemos noticias de assaltos, assassinatos ou seqüestros como se fossem coisas naturais. NÃO SÃO.
Os sentimentos também vão perdendo o valor. Qualquer namorinho adolescente tem "eu te amo" pra cá, "nosso amor é eterno" pra lá assim como os "eu odeios" ficam cada vez mais presentes.
E o pior é, num momento eleitoral importantíssimo, a banalização do voto. O número de pessoas dizendo que votaram nulo nas eleições de outubro é alarmante. É como se não fosse importante, é como se a maior arma do cidadão fosse algo banal. A conseqüencia é que a renovação no congresso não será tão grande quanto aquilo nós gostariamos depois de tantos escândalos.

1.9.06

Entrevista com Agnelo Queiroz


Agnelo Queiroz é candidato a senador pelo PCdoB do Distrito Federal. Ex-ministro dos Esportes no governo Lula por muito pouco ele não foi candidato ao governo do DF. Num gesto de despreendimento pessoal abriu mão dessa candidatura para apoiar Arlete Sampaio e concorrer contra ninguém mais ninguém menos do que Joaquim Roriz por uma cadeira no senado.
Agnelo concedeu uma rápida entrevista ao blog que publico a seguir:

Blog: A sua candidatura é tida como uma das mais difíceis de todas por ser contra um candidato com muita força política aqui no DF. O senhor pensa na hipótese de não sendo eleito voltar ao governo como ministro?

Agnelo Queiroz: Não. Eu só penso em ser eleito. Tenho confiança que o povo do Distrito Federal vai ver que sou melhor do que o meu adversário. Tenho uma grande relação com o presidente Lula, de quem fui ministro e esse é um apoio importante.

Blog: Muito se especula que seu adversário na verdade não iria cumprir o mandato de senador caso eleito e com isso assumiria seu suplente Gim Argelo que não tem a mesma força política e possui uma certa rejeição. O senhor acha que esse é um ponto fraco para a campanha dele?

Agnelo Queiroz: Sim. Fraquíssimo. O próprio Roriz, e estou apenas falando o que ele já disse, odeia o congresso. Quando ele foi parlamentar foi muito mal poruqe ele não gosta de legislar. Eu gosto de fazer lei para ajudar sobre tudo os mais jovens. Fiz isso como deputado e agora quero fazer como senador.

Blog: Nosso blog é mais voltado para o jovem. Qual a mensagem que o senhor deixa para o jovem do Distrito Federal?

Agnelo Queiroz: Eu serei o senador da juventude. Na Câmara dos Deputados fui da comissão de educação e cultura e da comissão de esporte que são temas bem ligados ao jovem. Nossa maior bandeira será o esporte. Hoje o Brasil tem 17 milhões de jovens entre 14 e 21 anos em emprego e fora da escola e é por esse jovem que a gente vai trabalhar mais. Defenderemos educação, cultura e emprego para o jovem.

O blog estará sempre aberto a ouvir qualquer candidato.