13.8.06

Deu na "Folha de São Paulo"


47% dos brasileiros se dizem "de direita", 23% dizem ser de centro e outros 30% são de esquerda.
Mas peraí... faça as contas e veja que somando os percentuais dá 100%. Ora, o que toda pesquisa tem e faltou nessa? Os que "não sabem ou não opinaram" e nessa pesquisa seriam maioria absoluta. Sejamos sinceros. Parte considerével do povo brasileiro é mal informada, não sabe o que é o quê no expectro político. E não pensem que estou falando dos mais pobres. Muita gente de classe média, com acesso vasto à mídia e a educação de qualidade também não entende no assunto.
Outros dirão: "Depois da queda do muro de Berlin essa história de esquerda e direita não faz mais sentido". Ledo engano. Ainda há ideologia. Como dizer que não há esquerda observando os pensamentos de Plínio de Arruda Sampaio, Luiz Dulci, Inácio Arruda ou Miguel Arraes (este último já falecido). Assim como Marco Maciel, Delfim Neto, Esperidião Amin (caramba, lembrei até desse carequinha) mostram bem o que é a direita.
Mas que o povo brasileiro é conservador não tenho dúvidas. E as razões mais evidente que vejo para isso é cultura católica trazida pelos portugueses e o fato do principal meio de comunicação de massa no Brasil ser a televisão. Esse meio cultua o American Way of Life. Vemos na nossa televisão cópia fiel do pensando estadunidense (que palavrinha feia), sobre tudo no maior canal da TV brasileira. Os EUA, é bom lembrar, é um país sem esquerda. A política se divide entre a direita e a extrema-direta. Não há pensamento esquerdista por causa da cassa aos comunista que durou meio século.
Conclusão: Quando o assunto é aborto, maconha, pena de morte, casamento homossexual ou algum tema polêmico a tendência da nossa sociedade tende a ser a mais conservadora.

Nenhum comentário: